Quais as competências mais procuradas pelo mercado de trabalho?

Mercado de Trabalho
02 de setembro de 2018
Última modificação: 01 de setembro de 2021

Autor: Virgilio Marques Dos Santos
Categorias: Melhoria de Processos

Como ter destaque no mercado de trabalho?

Diante das transformações, as companhias precisam de gente que tenha um leque de competências que as ajudem a enfrentar as constantes reviravoltas, cuja única certeza para o futuro consiste no excesso de incertezas. Porém, a questão é mais da metade das organizações não possui internamente essas aptidões. A maior carência encontra-se nas habilidades comportamentais, no gap de soft skills.

Com essa carência de mão de obra especializada, num cenário de crise, quem as detêm tende a se destacar e atrair a atenção – seja de headhunters e recrutadores preparados para oferecer uma vaga, seja de investidores dispostos a aplicar o dinheiro em bons negócios. Mas, afinal, o que tem nessa caixa de ferramentas que diferencia um profissional do outro?

Para responder essa pergunta, a FM2S lançou mão de um estudo elaborado pela VOCÊ S/A de agosto de 2018. O estudo, foi um compilado de mais de 14.000 pessoas, entre colaboradores e líderes, cerca de 100 empresas em 130 países. Pelo estudo, a revista destacou as cinco competências mais demandadas atualmente. Só para ter uma ideia, no Brasil, 80% das vagas trabalhadas pelas consultorias de recrutamento e seleção, exigem que os candidatos tenham comunicação e pensamento digital, duas das aptidões abordadas no estudo.

Quais as cinco competências necessárias para alcançar a vaga dos sonhos?

Comunicação no mercado de trabalho

Comunicação é o processo no qual a pessoa que é a fonte da comunicação a codifica em uma mensagem e a transmite por meio de um canal. O receptor decodifica a mensagem e, de uma forma ou de outra, realimenta sua compreensão ou falta de compreensão da fonte.

Compreendendo as etapas do processo, você pode se tornar mais consciente do seu papel, reconhecer o que precisa fazer para se comunicar de forma eficaz, antecipar os problemas antes que eles aconteçam e melhorar sua capacidade geral de se comunicar de forma eficaz.

Como planejar sua comunicação?

Antes de começar a se comunicar, reserve um momento para descobrir o que você quer dizer e por quê. Não desperdice seu tempo transmitindo informações que não são necessárias – e não perca tempo do ouvinte ou do leitor também. Muitas vezes, as pessoas continuam falando ou escrevendo – porque acham que, falando mais, elas certamente cobrirão todos os pontos. Muitas vezes, no entanto, tudo o que fazem é confundir as pessoas com quem estão conversando.

Para planejar sua comunicação:

  • Entenda seu objetivo. Por que você está se comunicando?
  • Entenda seu público. Com quem você está se comunicando? O que eles precisam saber?
  • Planeje o que você quer dizer e como enviar a mensagem.
  • Busque feedback sobre como sua mensagem foi recebida.
  • Quando você fizer isso, você será capaz de criar uma mensagem que será recebida positivamente pelo seu público.

Como codificar sua comunicação?

Quando você souber o que quer dizer, decida exatamente como vai dizer isso. Você é responsável por enviar uma mensagem clara e concisa. Para conseguir isso, você precisa considerar não apenas o que você vai dizer, mas também como você acha que o receptor irá percebê-lo.

Geralmente nos concentramos na mensagem que queremos enviar e na maneira como a enviamos. Mas se nossa mensagem for entregue sem considerar a perspectiva da outra pessoa, é provável que parte dessa mensagem seja perdida. Para se comunicar de forma mais eficaz:

  • Entenda o que você realmente precisa e quer dizer.
  • Antecipe a reação da outra pessoa à sua mensagem.
  • Escolha palavras e linguagem corporal que permitam que a outra pessoa realmente ouça o que você está dizendo.

Pode ser preciso muito esforço para se comunicar de forma eficaz. No entanto, você precisa ser capaz de se comunicar bem se quiser aproveitar ao máximo as oportunidades que a vida tem a oferecer.

Aprendendo as habilidades de que você precisa para se comunicar bem, você pode aprender como expressar suas ideias de maneira clara e eficaz e entender muito mais as informações que são transmitidas para você.

Seja você um palestrante, um ouvinte, um escritor ou um leitor, você é responsável por garantir que as mensagens sejam comunicadas com precisão. Preste atenção às palavras e ações, faça perguntas e observe a linguagem corporal. Tudo isso ajudará a garantir que você diga o que quer dizer e ouça o que é pretendido.

Resolução de Problemas

A FM2S treinou mais de 30 mil profissionais desde sua fundação. A demanda é a maior dos nossos alunos e reflete na falta de conhecimento do método. Se antes apenas os cargos de alta gestão eram responsáveis por resolver problemas, hoje, com equipes enxutas, eliminação de gerências e coordenações e a velocidade dos negócios, profissionais de todos os graus e carreiras precisam resolver problemas.

Para isso, o primeiro passo é consiste na mudança da maneira como se enfrentam as dificuldades. Passe a enxerga-las como algo positivo, como oportunidades para aprender. Dessa forma, a chance de tirar algum proveito da situação – e não se estressar tanto com os perrengues – aumentam.

É importante ter capacidade analítica, disciplina para seguir os processos de resolução e resiliência para aceitar as pedras que surgirão no caminho. É importante criar mecanismos e indicadores para acompanhar se as ações tomadas estão trazendo os resultados esperados.

Algumas metodologias podem ajudar, como o PDSA, o PDCA e o Lean Six Sigma. Por isso, a FM2S disponibiliza a certificação White Belt gratuitamente, para fortalecer a competência do nosso leitor na melhoria de processos e resolução de problemas. Além dessa metodologia, a FM2S também criou um curso e planilha de PDCA, cujo conteúdo aborda o passo a passo para elaborar o Ciclo PDCA.

Tão importante quanto seguir a metodologia é observar o todo a sua volta. É necessário ter pleno conhecimento da situação; saber como uma operação funciona e o que é crítico para o negócio, indo na essência do trabalho e das atividades. Para fazer isso, a melhor saída é oferecer e solicitar ajuda. A dica vale para os colaboradores formais ou informais.

Atenção aos detalhes

Muitos trabalhos exigem atenção aos detalhes, mas pode ser difícil manter os padrões consistentemente. No entanto, a reputação profissional da sua equipe e, por extensão, a sua própria é em grande parte definida pela qualidade de seu trabalho, por isso é importante incentivar a atitude e as habilidades corretas.

A melhor maneira de fazer isso é introduzindo listas de verificação e formalizando procedimentos, particularmente para tarefas importantes. Lembre-se de dar à sua equipe tempo e espaço para se concentrar e usar um sistema de amigos para reforçar a abordagem.

Permita que sua equipe se acostume com qualquer novo processo que você apresentar e ajude-o a perceber como erros podem afetar as cargas de trabalho e prazos de outros departamentos. Finalmente, resolva todos os problemas de desempenho restantes.

Se você seguir essas estratégias, a atenção aos detalhes provavelmente se tornará parte essencial da cultura de sua equipe. Na FM2S, criamos um curso para isso: Folha de Verificação. Nele, nosso objetivo é capacitar o colaborador a entender os detalhes. Se não prestarmos atenção nos detalhes, com a imensa quantidade de informação para nos distrair, não conseguiremos entregar um resultado consistente.

Pensamento digital

A proliferação ‘digital’ não é apenas uma mudança na tecnologia. Mas uma mudança na forma como trabalhamos e aprendemos. Nos últimos 100 anos, nossas práticas de trabalho foram modeladas a partir de uma abordagem industrial. Por isso, hierarquia, controle e fragmentação são as características que definem nossos locais de trabalho.

Novas formas de trabalho estão surgindo. Coisas como trabalho flexível e nuvens de pessoas. Onde as organizações não podem empregar todas as pessoas de que precisam, mas reunir as habilidades necessárias quando necessário, de diferentes locais e diferentes fusos horários. Onde as pessoas se reúnem para trabalhar em uma tarefa comum e depois se dispersam novamente.

Seus colegas não são necessariamente as pessoas que se sentam ao seu lado no trabalho, mas as pessoas que estão trabalhando nos mesmos problemas com a mesma paixão que você. As organizações e líderes que descobrirem as formas mais inteligentes e atraentes de conectar essas pessoas e organizações serão os verdadeiros vencedores.

Este é um mundo onde as pessoas se conectam com um propósito comum. O que Seth Godin chama de tribos – as pessoas, não organizações que irão moldar e mudar o nosso mundo. Onde conexões, comunicação e colaboração estão criando mudanças no poder e no controle.

No cenário do consumidor, os clientes contam histórias sobre os produtos que compram. E as decisões de compra estão sendo feitas em ‘o que meu amigo me diz’, ou as recomendações das pessoas que eu sigo no Instagram. Em vez do marketing puro.

Como o pensamento da digital funciona nas capacitações?

No mundo da educação, são os estudantes que descobrem informações por si mesmos. Eles vão procurar no Google ou assistir a um vídeo do YouTube. O professor não é mais o especialista e o detentor do conhecimento. Eles agora são um mentor, um facilitador e um treinador – cuidando do bem-estar holístico de seus alunos. Dessa forma, a habilidade do pensamento digital é constatada se o profissional foi capaz de concluir um curso EAD.

Muitas empresas nos dizem preferir profissionais que fizeram certificações Lean Six Sigma EAD, por sua capacidade de foco e disciplina. Sem essas duas habilidades, fundamentais ao profissional com pensamento digital, não seria possível certificar-se em nossos cursos EAD.

No local de trabalho, essas pessoas estão dizendo para as conexões de suas redes, o que realmente é trabalhar com você. Mas é mais do que eles estão dizendo. É o que eles estão compartilhando. Estão usando tecnologia para criar suas próprias redes de aprendizado. Transferência de informações e tomada de decisões, com rapidez, em toda a organização e fora dela.

Então, nesse contexto, o que é pensamento digital?

Há temas-chave que continuam surgindo nos livros, pesquisas e estudos de caso em torno de organizações digitalmente capazes. Tantos, que não posso referenciá-los todos.

O que você deve notar é que a capacidade digital e o pensamento digital são mais do que “digitais”. ‘Digital’ tem implicações para todos os aspectos de como fazemos as coisas. É uma mudança fundamental de paradigma das formas mais tradicionais de trabalhar e aprender. Os recursos de tecnologia, mas é apenas uma parte disso.

Poder de adaptação

O mundo do trabalho está mudando a um ritmo cada vez maior, para que os empregadores busquem ativamente graduados que possam se adaptar às circunstâncias e ambientes em mudança e abraçar novas ideias, que sejam empreendedoras, engenhosas e adaptáveis.

Algumas pessoas prosperam na mudança e no inesperado e gostam de alterar suas rotinas: elas são naturalmente adaptáveis. Se você é o tipo de pessoa que sempre tem uma lista de coisas a fazer e não gosta quando surge algo que não está na sua lista, então você provavelmente não é naturalmente adaptável.

91% dos diretores de RH pensam que até 2020, as pessoas serão recrutadas por sua capacidade de lidar com mudanças e incertezas, diz o The Flux Report da Right Management. 60% dos diretores de RH identificaram o bem-estar e a resiliência dos funcionários como fundamentais para permitir que as organizações atinjam seus objetivos estratégicos. 53% disseram que a capacidade dos funcionários para lidar com problemas imprevistos é o principal atributo para o sucesso futuro dos negócios.

49% das organizações já haviam introduzido disposições de trabalho flexíveis para ajudar o pessoal a lidar com o fluxo. Outras iniciativas incluem o aumento da comunicação interna da liderança para manter o moral (42%) e promoções, mas com aumentos mínimos de salário (36%).

O relatório constatou que as pessoas na faixa dos 30 anos são consideradas as melhores equipadas para lidar com as mudanças no trabalho, enquanto as pessoas na faixa dos 50 e 60 anos eram consideradas menos capazes de lidar com as mudanças.

Você pode aprender a lidar com a mudança

Mas você também pode aprender a se tornar mais adaptável e desenvolver sua capacidade de lidar efetivamente com a mudança. Você pode aprender como se tornar adaptável por meio da experiência. Você pode até ter vantagem sobre os outros, pois terá usado suas habilidades de planejamento e organização para mudar seu comportamento.

Flexibilidade envolve:

  • Adaptar-se com sucesso a situações e ambientes em mudança
  • Manter a calma diante das dificuldades
  • Planejar com antecedência, mas com opções alternativas no caso de as coisas darem errado
  • Pensar rapidamente para responder a mudanças repentinas nas circunstâncias
  • Persistir diante de dificuldades inesperadas
  • Antecipar e responder positivamente a ambientes em mudança
  • Capacidade de adaptar-se à mudança positiva em resposta a mudanças nas circunstâncias
  • Assumir novos desafios a curto prazo
  • Lidar com a mudança de prioridades/cargas de trabalho

Como você pode mostrar a um recrutador que você é adaptável?

Não basta apenas dizer “sou adaptável”, é preciso dar provas da sua adaptabilidade dando exemplos. Você pode contar situações como essas para ajudá-lo a demonstrar sua capacidade de adaptação:

  • Trabalhou em um emprego tempo parcial, enquanto fazendo faculdade
  • Mudança de planos de férias no último minuto
  • Vivência em outro país

Você tem que ser capaz de provar a um empregador que você pode:

  • Mostrar disposição para aprender novos métodos, procedimentos ou técnicas e assumir novas tarefas
  • Mostrar iniciativa e autoconfiança.
  • Procurar novas maneiras de fazer as coisas e alcançar os objetivos.
  • Fazer sugestões para aumentar a eficácia das mudanças.
  • Tirar conclusões de informações novas e mutáveis.
  • Ser engenhoso com uma atitude positiva, ‘pode fazer’ para mudar.
  • Responder com energia a novos desafios, ao desconhecido e ao inesperado.
  • Procurar maneiras de fazer as mudanças funcionarem, em vez de identificar por que a mudança não funcionará.
  • Ajustar seus métodos para lidar com uma situação ou emergência em mudança.
  • Mudar suas prioridades em resposta às demandas de uma situação.
  • Não ter medo de improvisar. Estar confortável em entrar em ação sem um plano: planejar em movimento.
  • Ser tolerante com a pressão do tempo, trabalhando bem perto dos prazos.
  • Recuperar-se de reveses e manter uma atitude positiva.
  • Manter uma mente aberta.
  • Enxergar o macro.
  • Gostar de variedade.
  • Ser bom em multitarefas (fazendo várias tarefas ao mesmo tempo): fazendo malabarismos com várias bolas ao mesmo tempo.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *