Lean Manufacturing: o que é? Como aplicar na prática?

Lean manufacturing
25 de fevereiro de 2016
Última modificação: 24 de agosto de 2021

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Blog, Lean, Melhoria de Processos

Lean Manufacturing, pela frequente e esmagadora cultura popular, consiste em um grupo de técnicas que, quando combinadas e amadurecidas, permitirão você a reduzir e depois eliminar os sete desperdícios (eu sei que já se falam em oito há um bom tempo, mas vamos lá). A ideia central é maximizar o valor do cliente e minimizar o desperdício. Simplesmente lean significa criar mais valor para clientes com menos recursos. O Sistema do Lean não irá somente tornar sua empresa mais enxuta, mas também irá torná-la mais flexível e mais responsiva por meio da redução dos desperdícios.

Qual a origem do Lean Manufacturing?

O termo Lean Manufacturing tem origem no Japão pós guerra. Nesse período, surge a necessidade de se criar um processo produtivo no qual não necessitasse de altos estoques, mantivesse um fluxo de caixa mais ágil e que atendesse às diversas demandas, produzindo com eficiência produtos personalizados.

Sistema Toyota de produção

Este processo mais tarde se chamaria de Sistema Toyota de Produção. Na definição, percebemos que os termos japoneses usados pela Toyota também estão fortemente difundidos, principalmente no que tange as ferramentas. Entre elas destacam-se a melhoria contínua de processos (kaizen), os 5 porquês e o sistema à prova de erros (poka-yoke). Neste contexto, a técnica pode ser considera muito similar a outras existentes cujo objetivo é melhorar processos. 

O que é Lean Manufacturing?

Após entendermos a origem do lean Manufacturing precisamos compreender seu conceito. Desse modo, deixamos um vídeo da nossa segunda aula donosso Curso gratuito de introdução ao Lean para aprofundar no assunto.

O lean maximiza o valor do cliente e minimizar o desperdício. Ou seja, lean significa criar mais valor para clientes com menos recursos. Uma organização enxuta entende o valor do cliente e concentra seus principais processos para aumentá-lo continuamente.

Para conseguir isso, o pensamento enxuto – ou filosofia lean – muda o foco do gerenciamento de otimizar tecnologias separadas, ativos e departamentos verticais para otimizar o fluxo de produtos e serviços por meio de fluxos de valor inteiros que fluem horizontalmente entre tecnologias, ativos e departamentos até os clientes.

Qual a filosofia do Lean Manufacturing?

A filosofia Lean Manufacturing consiste em uma perspectiva de gerenciamento organizacional fundamentada no conceito de melhoria contínua, uma abordagem extensa que busca sistematicamente alcançar pequenas mudanças incrementais nos processos, a fim de melhorar a eficiência e a qualidade. O termo “Lean” em sua tradução literal é entendido como “enxuto”. Ou seja, produção enxuta . Logo, trata-se de uma estratégia que envolve apenas o uso dos recursos necessários, impedindo que sejam criados excessos. Assim, podemos afirmar que Lean é uma filosofia de gestão que elimina excessos de produção.

Caso queira se aprofundar no assunto baixe nosso material a seguir.

apostila introdução ao lean

Por que eliminar desperdícios na minha organização?

Eliminar o desperdício ao longo de todo o fluxo de valor, em vez de pontos isolados, cria processos que exigem menos esforço humano, menos espaço, menos capital e menos tempo para fabricar produtos e serviços. Isso significa custos muito menores e com muito menos defeitos, em comparação com sistemas tradicionais de negócios. 

As empresas, então, se tornam responsivas às mudanças nos desejos dos clientes com alta variedade, alta qualidade, baixo custo e com tempos de processamento muito rápidos. Além disso, o gerenciamento de informações se torna muito mais simples e preciso.

O que é desperdício para o Lean?

Desperdício é definido como qualquer atividade que não agrega valor do ponto de vista do cliente. De acordo com a pesquisa conduzida pelo Centro de Pesquisas Lean Enterprise (LERC), 60% das atividades de produção em uma operação típica de manufatura são desperdícios – eles não agregam nenhum valor para o cliente.

Tipos de desperdício

Foram listados em 7 desperdícios: transporte, inventário, movimentação, espera, produção excessiva, processamento excessivo e defeitos.

A boa notícia é que praticamente toda empresa tem uma tremenda oportunidade de melhorar, usando técnicas de manufatura enxuta e outras práticas recomendadas de manufatura. Técnicas que permitem oferecer produtos de maior qualidade a custos significativamente mais baixos. Agora isso é algo para se entusiasmar!

Qual é o objetivo do Lean Manufacturing?

O objetivo do Lean Manufacturing se distingue por: um tempo de troca de ferramenta (setup) mínimo, produção Just-In-Time (JIT), sistemas KanBan, um mínimo de estoque e por último, mas não menos importante, uma atitude de “desperdício zero” de cada funcionário através de:

  • Realização de tempos de troca mínimos (SMED)
  • Implementação one-piece-flow
  • Implementação do planejamento da produção puxada
  • Equipes de melhoria de atividades em grupos pequenos
  • Eliminação de defeitos
  • Estabelecimento de parcerias cliente-fornecedor

Quais são os 5 Princípios do Lean Manufacturing

Para entender mais a fundo sobre o Lean Manufacturing, vamos conferir os seus princípios:

1 – Especificação de valor sob a ótica dos clientes

Especificar valor na ótica do cliente é um dos princípios que inclusive ajudam a conquistá-los, afinal é uma das formas de demonstrar qualidade nos produtos e/ou serviços onde a metodologia Lean atua.

2 – Otimização dos fluxos de valor

Fluxo de valor é o que inclui todo o processo produtivo, de ponta a ponta e as atividades que aprimorar e conferem valor ao seu produto/serviço. Você deve realizar uma boa gestão da sua cadeia de suprimentos. O VSM é uma ferramenta que ajuda muito a entender como as atividades realizadas agregam valor ao produto final.

3 – Fluxo Contínuo

O fluxo contínuo basicamente se refere a não interrupção dessas atividades que agregam valor, assim você otimiza não apenas a sua produção, como também o seu tempo.

4 – Produção Puxada

Eis um modo de controle da produção que consiste em produzir mediante a demanda, ou seja, a demanda é quem “puxa” a produção. A produção em grande quantidade e com altos estoques é considerado um desperdício pelo Lean, uma vez que se tratam de recursos e dinheiro “parados”.

5 – Perfeição

O sistema Lean, além de reduzir os seus desperdícios busca também um melhor aproveitamento de recursos, conferindo valor ao cliente. Essas atividades são importantes para que você obtenha cada vez mais qualidade nos seus produtos, desenvolvendo uma política de melhoria contínua.

Como aplicar o Lean na prática?

Ao implementar a Lean Manufacturing, usamos uma série de etapas, mas sempre focando na melhoria da percepção de valor por parte do cliente. Durante o processo de implementação, é importante conhecer as demandas e desejos que o cliente tem em relação ao produto.

VSM

Torna-se possível então documentar o processo de adição de valor para um produto. Entre outras coisas, isso pode ser feito com a ajuda de um mapa de fluxo de valor VSM. Nós nos esforçamos para eliminar todas as perdas da atual cadeia de processos. E, portanto, isso realmente implica que o fluxo de materiais e informações do processo anterior para o próximo ocorra sem demora e com armazenamento intermediário.

Manutenção Produtiva Total

Para isso, nós definitivamente exigimos uma produção muito confiável e efetiva com a medição do OEE (taxa de disponibilidade * taxa de desempenho * taxa de qualidade). Isso pode ser alcançado, por exemplo, implementando a Manutenção Produtiva Total. Ao ter um processo de produção confiável e eficaz, o intervalo de tempo entre a colocação de um pedido e a entrega torna-se consideravelmente mais curto. Por conseguinte, não é mais necessário produzir com base no que tem em estoque, e pode-se produzir uma quantidade que o cliente quer e no momento em que o quiser.

Case exemplo: Tetra Pak

Um exemplo que acho memorável, para exemplificar valor, são os produtos que reduzem o custo de empacotamento e transporte. Ruben Rausing, o fundador da Tetra Pak, dizia que uma embalagem, deveria gerar mais economia do que ela custava. Foi assim, que a embalagem longa vida da Tetra Pak conseguiu o estrondoso sucesso mundo afora.

Ao invés de mantermos a embalagem de leite de saquinho plástico, como a que tínhamos antes e precisava de transporte refrigerado e ainda tinha uma vida de prateleira curta, ele revolucionou. Criou uma embalagem mais cara, mas que eliminava o grande custo de refrigeração, além das menores perdas geradas e da redução dos custos com o empacotamento. Este exemplo mostra como o Lean Manufacturing é mais que apenas um conjunto de ferramentas.

Os clientes percebem valor nesta nova embalagem? Os sucessos da empresa e do produto mostram que sim. Estavam dispostos a pagar? Pelos resultados financeiros da companhia, certamente estavam. Melhor pagar 100 numa embalagem cujo processo custará 10, do que 10 numa embalagem cujo processo custará 1000. Locais em que não era possível abastecer com o saquinho refrigerado passaram a ser alcançados com esta nova tecnologia e, por ser mais barato o processo, mais pessoas puderam tomar seu leite em boas condições.

Onde posso aplicar o Lean Manufacturing?

Um equívoco popular é que o lean é adequado apenas para a fabricação. Não é verdade. Lean aplica-se a todos os negócios e processos. Não é uma tática ou um programa de redução de custos, mas uma maneira de pensar e agir para uma organização inteira.

Quem está usando o Lean?

Empresas em todos os setores e serviços, incluindo saúde e governos, estão usando os princípios enxutos na maneira como pensam e agem. Muitas organizações optam por não usar a palavra lean, mas rotular o que fazem como seu próprio sistema, como o Toyota Production System ou o Danaher Business System.

Encare a questão de que o lean não é um programa de redução de custos de curto prazo, mas uma maneira como a empresa opera.  Isso requer uma transformação completa sobre como uma empresa conduz os negócios, criando uma perspectiva de longo prazo e perseverança.

E por que é importante conscientizar a todos na minha empresa?

Gerentes e executivos envolvidos nas transformações lean pensam em três questões fundamentais de negócios que devem guiar a transformação de toda a organização:

  • Propósito: Quais problemas do cliente a empresa resolverá para alcançar seu próprio propósito de prosperar?
  • Processo: Como a organização avaliará cada grande fluxo de valor para garantir que cada etapa seja valiosa, capaz, disponível, adequada, flexível e que todas as etapas estejam ligadas por fluxo, atração e nivelamento?
  • Pessoas: Como a organização pode garantir que todo processo importante tenha alguém responsável por avaliar continuamente esse fluxo de valor em termos de propósito comercial e processo enxuto? Como todos que tocam o fluxo de valor podem se engajar ativamente em operá-lo corretamente e continuamente melhorando-o?

Contudo, há também a necessidade de os demais colaboradores compreenderem a importância do pensamento enxuto, para que aplicar a filosofia de forma correta, mais rápida, gerando bons frutos no futuro.

Leia Mais

Deixe seu comentário

Sem Comentários

  • Guilherme disse:

    Excelente material, para quem esta buscando um ideia do que seja,
    como e onde poder utilizar.Além de conceitos muito bem abordados
    de forma clara, não ficando duvidas e de repassar a noção dos parâmetros
    de resultados que podemos obter com essa ferramenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *