O que é o Trabalho Autônomo? Confira suas vantagens e desvantagens

Trabalho Autônomo
08 de março de 2021
Última modificação: 08 de março de 2021

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Blog, Carreira

Você sabe o que é o Trabalho Autônomo?

O trabalho autônomo, também conhecido como “trabalho por conta própria” consiste em quaisquer atividades de prestação de serviço exercidas por profissionais sem vínculo empregatício. Essa modalidade experimentou uma crescente nos últimos anos e deve seguir com uma tendência forte agora em 2021, por conta dos efeitos econômicos da COVID-19. Porém, é preciso estar atento se essa é, de fato, a melhor escolha para sua carreira, afinal quem trabalha de forma autônoma não precisa de certificações ou qualificações específicas, o que pode trazer incertezas para seus clientes em contratar serviços. Logo, neste artigo vamos explicar o que é o trabalho autônomo, quais são as características desta modalidade, além de vantagens e desvantagens de se tornar um profissional autônomo.

O que é o Trabalho Autônomo?

Trabalho autônomo consiste em toda atividade realizada por profissionais de modo liberal, ou seja, na forma de prestação de serviços para organizações ou pessoas por tempo determinado, sem vínculo empregatício. Essa modalidade está em crescimento principalmente devido à vantagens tributárias e pela facilidade se trabalhar no mercado digital.

Segundo a Lei Federal 8.212/91 da legislação previdenciária, o que define um trabalhador autônomo é:

  • Quem presta serviço de natureza urbana ou rural, em caráter eventual, a uma ou mais empresas, sem relação de emprego;
  • Pessoa física que exerce, por conta própria, atividade econômica de natureza urbana, com fins lucrativos ou não.

O fato deste profissional não possuir vínculo empregatício confere a ele autonomia, ou seja, aptidão para estabelecer seu próprio controle financeiro e profissional, podendo exercer atividades de sua própria residência.

Qual a diferença entre profissional autônomo, profissional liberal e MEI?

Muitas dúvidas surgem a respeito dessas modalidades e viemos aqui, de forma clara, explicar onde diferem as três categorias:

  • Profissional Autônomo: este profissional caracteriza-se por não ter vínculo empregatício, ou seja, não ter carteira assinada. Ele pode assumir tanto pessoa física como jurídica para trabalho, bem como não é obrigado a apresentar certificações ou habilitações da profissão que exerce. Pode prestar serviços tanto para empresas, quanto para pessoas físicas. Além disso, responde por seus próprios erros, não é subordinado a nenhuma cadeia hierárquica e tem flexibilidade nos horários de trabalho, porém com a ressalva de que paga determinados tributos;
  • Profissional Liberal: já o profissional liberal é caracterizado por duas modalidades que envolve tanto a de um trabalhador autônomo, porém que obtenha registro/certificação da profissão que exerce, quanto a de um terceirizado, isto é, uma atividade que envolve o vínculo empregatício, ou seja, carteira assinada. Assim ele pode usufruir de benefícios, porém deve responsabilizar-se pelos próprios erros;
  • MEI: os Micro Empreendedores Individuais envolvem a abertura de um CNPJ e sua modalidade é caracterizada por um máximo de nove funcionários e uma renda máxima de R$ 240.000,00 no ano. Além disso, ele pode pagar boa parte dos seus tributos de forma simplificada optando pelo Simples Nacional.

Quais são as características para tornar-se um trabalhador autônomo?

Seja quem presta serviços como Pessoa Jurídica ou mesmo os autônomos, é necessário construir relacionamentos, ou seja, um networking com clientes, parceiros, equipes e até mesmo empresas. Algumas características moldam um perfil com relação a esses profissionais, vamos conferir quais são as principais delas:

1. Proatividade

A predisposição para resolver problemas é uma característica vantajosa aos que desejam se tornar autônomos.  É uma competência ligada ao esforço e antecipação de uma pessoa a respeito de algum assunto, cenário ou atividade. A palavra “proativo” é vista como um traço de personalidade de alguém que está pronto e disposto a assumir a frente em atividades ou arriscar a qualquer momento. Além disso a proatividade é vista como uma soft skill que ajuda a gerar valor para o cliente, colaborando com uma possível fidelização.

2. Empatia

O conceito de empatia parte do mesmo princípio que outras habilidades de relacionamento humano, a capacidade de identificação. Sua prática consiste nas capacidades identificação e compreensão em nível emocional, para com o que o outro sente ou vive. Ou seja, trata-se da habilidade de internalizar o contexto apresentado, ou vivido, pela outra pessoa e capacidade de se colocar “no lugar dela”.  Ser empático no âmbito profissional é algo fundamental para que as relações de trabalho sejam saudáveis, e assim se mantenham para que melhores resultados, sejam obtidos em conjunto e agreguem para a empresa. Experimente utilizar mais a frase: “O que eu posso fazer para te ajudar?”

3. Comunicação

Entre as principais habilidades de um profissional de sucesso encontra-se uma boa comunicação, isto é, uma comunicação assertiva. Em resumo, a comunicação assertiva é uma forma clara e direta de se transmitir uma mensagem ou informação, ou seja, consiste em uma comunicação baseada no equilíbrio.

O profissional que é bom comunicador se diferencia no mercado justamente por ter maior aptidão na maneira como transmite informações. Além disso, outras características como um bom relacionamento interpessoal, inteligência emocional, justiça e empatia fazem parte das competências de um bom comunicador. Para prestar um bom suporte, é fundamental exercer a empatia, proatividade e comunicação, por isso, cada vez mais essa soft skill vem ganhando espaço no mundo corporativo.

4. Inteligência Emocional

Inteligência emocional é o conjunto de habilidades e competências no que tange lidar com emoções. Em suma, ela nada mais é do que a forma como encaramos, processamos, compreendemos e controlamos nossas próprias emoções e como as usamos para nosso benefício. Assim, alguém que é emocionalmente inteligente consegue identificar e controlar suas emoções mais facilmente.

A inteligência emocional está intensamente conectada com características advindas da interação com o outro e não só voltada a um olhar para nossa própria mente. Assim, entender os sinais que o cliente transite é extremamente importante para profissionais autônomos.

5. Capacidade de Solução de Problemas

Os problemas estão na maioria das atividades que muitas pessoas fazem em suas tarefas todos os dias. Se você está resolvendo um problema para um cliente (interno ou externo), apoiando aquela sua equipe ou descobrindo novos desafios para resolver, você está nessa luta. Os problemas que você enfrenta podem ser grandes ou pequenos, simples ou complexos e fáceis ou difíceis. Sim, há problemas fáceis, mas muito complexos, como preparar a ceia de natal ou o churrasco da turma.

Ter boas habilidades para resolver problemas difíceis e complexos pode fazer uma enorme diferença para sua carreira. É isso que o Lean Seis Sigma, por meio de suas Certificações White Belt, Green Belt e Black Belt possibilitam.

6. Gestão do tempo

Gestão do tempo são todas atividades que uma pessoa pode realizar para aproveitar seu tempo da melhor maneira, englobando uma série de técnicas, boas práticas e ferramentas, tanto para construir bons hábitos quanto para se organizar. Quer aprender mais sobre gestão do tempo? Então confira o curso de Gestão do tempo disponível na Plataforma EAD FM2S. Deixamos abaixo uma vídeo aula do curso para você conferir.

7. Criatividade

No que tange situações novas e imprevistos, é importante saber utilizar da criatividade. Ela é a responsável pelo encontro de uma solução rápida e eficaz. Para algumas pessoas a ideia de “métodos” de criatividade pode parecer estranha. Muitos de nós aprenderam a pensar em criatividade como algo que simplesmente “acontece”, ou que a criatividade é algo somente para certas pessoas especiais. O Dr. Edward de Bono (1992) desenvolveu métodos para o pensamento criativo que podem ser aprendidos e praticados por qualquer pessoa. Em nossos cursos de Green Belt e Black Belt, abordamos as técnicas do De Bono. Porém, em nossa plataforma EAD, temos um conteúdo exclusivo e gratuito: Certificação Gratuita em Criatividade.

Trabalho autônomo: vantagens e desvantagens

Para os que desejam se tornar trabalhadores autônomos, precisam saber de antemão que não é fácil ser um trabalhador autônomo, assim, preparamos uma lista de vantagens e desvantagens para você saber se está pronto para enfrentar essa realidade.

Vantagens:

  • Redução de custos: trabalhar em casa ajuda a reter despesas que podem ocorrer no escritório. Assim, custos com roupas profissionais, refeições e cafés podem representar uma boa parcela da sua economia;
  • Horário mais flexível: um dos maiores prazeres do trabalho autônomo é escolher as horas as quais você trabalha. Logo, se você se sente mais produtivo pela manhã você consegue se organizar, focando neste período. Você também não precisa pedir permissão ao seu chefe no caso de uma consulta médica;
  • Melhor aproveitamento do seu tempo: trabalhar em empresas exige cumprir horários. Geralmente é utilizado o horário comercial e com ele, os tempos presos em engarrafamentos ou mesmo no transporte público. Com o trabalho autônomo você consegue gerir melhor os horários em que você precisa se transportar;
  • Liberdade de escolha: com o trabalho autônomo, muitas vezes se pode escolher os projetos com os quais você vai trabalhar, afinal, não faz sentido se alocar em um projeto com o qual você não tem muita afinidade, ou mesmo quando o cliente não se demonstra uma pessoa profissionalmente equilibrada.

Desvantagens:

  • Rendimento Instável: em detrimento a toda economia de custos mencionadas na primeira vantagem, o rendimento do trabalhador autônomo é bastante instável. A menos que estabeleça um bom networking, porém nos primeiros anos costuma ser mais difícil;
  • Dificuldade em conseguir projetos: atrelado a um rendimento instável, vem a dificuldade em encontrar bons projetos. Se, pelo contrário, você ganhar muitos projetos, pode ser difícil recusar novas oportunidades. Afinal, não sabemos o que o futuro nos reserva e essa insegurança é bastante compreensível;
  • Isolamento: no trabalho autônomo, na maioria das vezes você acaba trabalhando sozinho. Mesmo que seu trabalho envolva muitas comunicações com seus clientes, você não iria gostar de compartilhar seus problemas profissionais com eles.

Para você que está pensando em investir no trabalho autônomo, não deixe de conhecer os cursos de Green Belt e Black Belt FM2S. Confira também os cursos gratuitos da FM2S!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *