Como um White Belt pode atuar na indústria de alimentos?

White Belt e a Indústria de Alimentos
09 de novembro de 2021
Última modificação: 03 de novembro de 2021

Autor: Fernanda Oliveira
Categorias: Seis Sigma

A certificação White Belt traz uma introdução do Lean Seis Sigma. Essa metodologia auxilia na busca por excelência operacional dentro das organizações. Você sabia que é possível aplicá-la em qualquer área? A seguir, veja como a Indústria de alimentos pode se beneficiar.

A indústria de alimentos exige uma série de processos diferentes, mas que são dependentes. Por isso, são criados setores compostos por colaboradores qualificados para cada área específica. Isso ocorre desde a Revolução Industrial e em contrapartida a sua consolidação, dificulta a capacidade de visão sistêmica. Como resultado, a empresa torna-se mais suscetível a erros.

Nesse cenário, gerentes e coordenadores atuam para ter uma visão sistêmica bem como padronizar procedimentos para guiar os envolvidos, embora a ausência de erros não seja garantia.

Então, é possível listar uma série de problemas possíveis dentro da área de alimentos e, dessa forma, um profissional com conhecimentos sobre White Belt pode atuar efetivamente para garantir uma melhoria contínua.

Neste blog, trarei exemplos práticos de quais problemas podem surgir dentro da indústria de alimentos, como um White Belt pode ser essencial e como se tornar um. Mas antes, é necessário entender um pouco mais sobre a metodologia Seis Sigma.

Metodologia Lean Seis Sigma, White Belt e Indústria de alimentos

A metodologia Lean Seis Sigma promove a melhoria da qualidade de processos ou produtos e também a redução de custos. Dentro de seus componentes estão a solução de problemas, foco no cliente, análise de causa e efeito, otimização do processo, fatos e dados, estatística, medição, métodos e gráficos. 

Pode ser desenvolvido um projeto de melhoria que consiste em uma sequência de atividades para otimizar um processo em que será aplicado o roteiro DMAIC. Basicamente as suas cinco etapas são: definir o problema, entender o problema através da análise de dados, desenvolver mudanças conforme as análises de causa, testar as mudanças promovidas e controlar essas mudanças.  

Um profissional White Belt ao conhecer esses fundamentos, consegue identificar quando e onde o método pode ser empregado. Dentro da indústria de alimentos há uma série de motivos para utilizar o Lean Seis Sigma. Isso porque determinadas etapas do processo podem  ser complexas e exigem  determinados cuidados com as matérias primas. 

5 motivos para uma indústria de alimentos utilizar Lean Seis Sigma

  • Garantir as características organolépticas desejadas evitando variações  desagradáveis ao consumir e diminuição das vendas;
  • Garantir um parâmetro de qualidade  em conformidade com as exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA);
  • Evitar desperdícios com a  deterioração de alimentos devido a erros em processos; 
  • Reduzir custos ao evitar desconexões que podem gerar compras desnecessárias;
  • Reduzir tempo para a realização de determinados processos ao evitar desconexões.

White Belt na indústria de alimentos: exemplos práticos

Agora mostrarei como um White Belt pode ser importante na indústria de alimentos através de exemplos práticos. Nessa área, problemas podem ocorrer na esterilização industrial, controle de estoque, qualidade de produtos e até mesmo na área de vendas. 

Problemas na esterilização industrial

Para a fabricação de determinados produtos fermentativos é necessário que ocorra a esterilização industrial, ou seja, eliminar todas as formas de vida possíveis dentro de um equipamento ou de sua superfície que podem ser prejudiciais no processo ou gerar algum tipo de contaminação.

Essa destruição de microrganismos pode ocorrer de diferentes maneiras e depende de vários fatores como natureza do microrganismo, meio de cultura e temperatura. Dentro da indústria, são realizados cálculos para encontrar o tempo de esterilização dependendo do processo escolhido.  Deste modo, é possível avaliar a efetividade do processo. 

Agora imagine uma determinada indústria de alimentos, onde o tempo de esterilização não é satisfatório, apresentando constantemente um valor mais alto do que o esperado.  Nesse caso, sabendo de todas essas variáveis envolvendo a esterilização industrial, onde está o problema? 

Como resolver esse problema? Para resolver esse case, a metodologia Lean Seis Sigma pode ser aplicada. Neste cenário o profissional com capacitação White Belt sabe identificar isso e é capaz de acompanhar um projeto de melhoria  liderado por um profissional que possui um nível Belt maior. 

Problemas no controle de estoque

Problemas no controle de estoque podem ocorrer facilmente na área de alimentos, isso porque o controle de estoque depende de diferentes setores. Assim, os setores envolvidos como produção, logística e transporte, devem estar em sintonia.

Uma empresa que está perdendo produtos devido a deterioração, pode apresentar dificuldades em identificar o que está ocasionando a perda. Armazenamento inadequado? Desconexão de informações? Sistema de controle ineficaz? Nesse momento, o White Belt consegue identificar uma empresa que necessita de um projeto de melhoria contínua. 

Perda da qualidade de produtos

Um impasse muito comum que ocorre na indústria de alimentos é a perda da qualidade de produtos. Agora vamos imaginar uma empresa que comercializa suco de laranja. A empresa em questão, frequentemente envia ao cliente um suco que não apresenta as características organolépticas desejadas.

Em consequência do problema não ser identificado previamente, ao pensar na cadeia produtiva, desde a obtenção da laranja através de um produtor até o transporte, a forma de resolução dessa falha não é clara

Dessa forma, isso dificulta que a empresa consiga melhorar e evidencia a necessidade da metodologia Lean Seis Sigma. Diante dessa situação, ela pode auxiliar a tornar a causa da falha clara, melhorar o processo e promover a manutenção dessa melhoria. Logo, o espaço de atuação para o  White Belt é mostrado pois ele tem a possibilidade de acompanhar essas atividades. 

Atrasos no setor no setor de vendas

Ainda, o profissional com conhecimentos em White Belt também pode acompanhar projetos de melhoria nas áreas comerciais, como no caso de uma empresa que está com dificuldades de aumentar as vendas do seu salgadinho de milho e acredita que o problema está na performance do setor de vendas pois a qualidade de seus produtos é muito prestigiada. 

Neste caso, ao utilizar um roteiro DMAIC, é possível  definir onde está o problema utilizando análise de dados, promover mudanças e ao utilizar indicadores verificar se essas mudanças afetaram positivamente o número de vendas.

Quero me tornar um White Belt, o que devo fazer?

Após ler esse blog, você percebeu as diversas formas de atuação de um White Belt dentro da indústria de alimentos. Vale destacar que a certificação representa o primeiro nível de conhecimento da metodologia Lean Seis Sigma.

Ao se capacitar em todos os níveis (White Belt, Yellow Belt, Green Belt, Black Belt e Master Black Belt) você se torna capaz de liderar todo tipo de projeto de melhoria contínua. Neste momento você deve estar se questionando: como conseguir essa certificação?

O melhor vem agora, você não precisa de conhecimento prévio, curso superior concluído ou experiência profissional na área. Em resumo, o único pré-requisito é ter vontade de se destacar no mercado, pois a FM2S oferece o curso de forma gratuita:

White belt

Agora que você já sabe a importância de um profissional White Belt, espero que você aproveite essa oportunidade para aprimorar a sua experiência profissional e se destacar no mercado de trabalho!

Leia mais

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *