OEE Aplicado à indústria de alimentos

28 de novembro de 2019
Última modificação: 28 de novembro de 2019

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Blog

Antes de iniciarmos a abordagem de OEE aplicada à indústria de alimentos, para leigos, recomendamos a leitura da nossa matéria: “O que é OEE? Como calcular esse importante indicador?

Um dois pais da TPM (Total Productive Maintenance), Seiichi Nakajima, foi quem introduziu o conceito de OEE (Overall Equipment Effectiveness), com o objetivo de medir a eficiência dos equipamentos, o que mais tarde, tornou-se componente fundamental da TPM.

Quando se trata de medir a fabricação de alimentos OEE, está à frente de algumas outras indústrias. Menos de 50% das operações farmacêuticas medem a eficiência geral do equipamento, mas três em cada quatro operações de processamento de alimentos o fazem.

Um engenheiro de processo de uma indústria de carne/aves disse: “O tempo de inatividade geralmente está associado a problemas de manutenção. Há necessidade de máquinas de processo com cronogramas mais preventivos e preditivos e autodiagnóstico.”

Ou seja, logo de cara já se enxerga que o conceito de OEE está totalmente atrelado à TPM, não só pela sua origem (Seiichi Nakajima), bem como pela relação, justificada pelo relato a cima exposto.

Motivações para o cálculo da OEE

De começo, exponho que a grande maioria dos processadores de alimentos mede a eficiência do equipamento e monitora de perto os dados para fazer melhorias contínuas na planta.

Para processadores de alimentos, qualquer problema a montante, como vazões de mistura, trocas de filtro, tempos de torrefação, requisitos de refrigeração, saneamento ou imprecisão de fatias, pode ter um impacto negativo na qualidade, volume de produção, cronogramas de produção e desperdício de produtos.

Ou seja, também é notório que para a metodologia Lean Manufacturing, tanto a OEE quanto a TPM são extensivamente aplicáveis com a finalidade de reduzir os desperdícios e aumentar a eficiência global. Aproveite para conhecer mais sobre essa metodologia com o nosso curso Lean White Belt gratuito.

Um especialista sênior em processamento de uma empresa de queijos disse: “Estamos analisando programas proprietários de manutenção preditiva e preventiva agora para reduzir o tempo de inatividade”.

Os processadores de alimentos procuram os OEMs para oferecer maior automação, flexibilidade da máquina para materiais, tamanhos e formas, plataformas de comunicação padronizadas, troca rápida, peças de colagem mais longas e máquinas que podem ser reparadas mais rapidamente.

Um diretor de engenharia de produtos de prateleira disse isso sobre a complexidade: “É preciso haver uma melhor sincronização entre processamento e embalagem, com o compartilhamento de fórmulas e receitas para obter melhores eficiências de etiquetagem exigidas pelo aumento de produtos orgânicos, sem OGM e glúten. produtos grátis.”

As Soluções utilizando OEE aplicado à indústria de alimentos

“Poucas soluções OEE permitem uma interface universal da máquina, permitindo a conexão com qualquer máquina”, disse John Rattray, Memex Automation. “Na indústria de alimentos, qualquer máquina com um sinal elétrico básico pode ser fabricada para extrair dados OEE. Informações como tempo de execução, tempo de ciclo e contagem de peças … todas são muito valiosas para otimizar o processo de fabricação. Disponibilizar essas informações em tempo real para respostas rápidas ou relatórios históricos de iniciativas enxutas é excepcionalmente útil.”

As soluções que agregam valor e requerem configuração em vez de programação são as melhores; O insight sobre a aplicação de técnicas de software para produzir vantagens em operações, qualidade, manutenção e conformidade regulamentar ilustra muitas maneiras de aproveitar melhor os investimentos existentes, monitorando seu uso efetivo e o OEE.

Porque implementar OEE neste contexto?

Os gerentes de garantia da qualidade dos alimentos são instruídos a evitar problemas e precisam de um painel OEE de desempenho em tempo real para visualizar a planta. Esses dados devem capturar métricas de cada máquina, além de tempo de execução, tempo de inatividade, tempo de ciclo e taxa de produção. Outros dados necessários incluem produção, contagem de sucatas e tempo de processo (permanência, duração, injeção, formulário, preenchimento).

Uma solução de eficiência de produção deve fornecer um método de aprimoramento para todos os participantes do setor – sejam usuários finais, integradores ou fabricantes de máquinas, sejam máquinas isoladas ou linhas integradas.

Quando as principais máquinas estão conectadas às redes corporativas da indústria de alimentos, elas podem oferecer muitas informações, incluindo OEE. “O maior problema que a indústria de alimentos enfrenta em relação às máquinas é que a grande maioria das máquinas não está conectada e, portanto, fornece muito pouca informação à rede corporativa para análise e automação”, afirmou Rattray.

Cada vez mais, essas soluções de software aprimoram o OEE em uma planta de processamento, garantindo maior transparência do processo. Regulamentos rigorosos exigem monitoramento e documentação completos de todos os pontos de verificação críticos e equipamentos associados. Embora a tecnologia de pesagem e os detectores de metal forneçam grande parte dos dados necessários, muitas empresas ainda não conectaram seus dispositivos individuais em rede para permitir esse relatório.

Controle de Parâmetros

No que tange OEE aplicada à indústria de alimentos, a ativação do controle de parâmetros como peso, conformidade com os regulamentos de embalagem, contaminação por metais ou outros componentes e monitoramento de dispositivos permite que os usuários visualizem informações dos detectores em um ou mais computadores de monitoramento.

Os sistemas automatizados de alerta por e-mail que informam imediatamente os usuários sobre quaisquer problemas do processo, contaminação metálica, taxas de produção e rejeições permitem uma intervenção imediata.

“É fácil para os fabricantes cumprirem legalmente as especificações destes produtos, pois essas ferramentas permitem o rastreamento de todos os lotes e o registro de estatísticas e … todos os dados sobre desempenho e tempo de inatividade do dispositivo podem ser salvos e arquivados para permitir uma comparação ano a ano”, disse Rattray.

O registro da porcentagem de pacotes rejeitados permite que os processadores meçam a velocidade e o tempo de inatividade da linha, fornecendo aos clientes um mecanismo completo de controle da linha de processamento. Esses dados ajudam o operador da linha a monitorar qualquer evolução de variação de peso nas embalagens e podem alertar o usuário sobre causas prováveis ​​na linha de processamento, como uma máquina de fatiar ou encher não funcionando na taxa ideal.

Por fim, as rígidas preocupações de qualidade do setor exigem o uso de OEE aplicada à indústria de alimentos como uma medida de qualidade com disponibilidade e desempenho para acompanhar como métricas de produtividade. As autoridades reguladoras – e os clientes – querem saber que os processos de produção de alimentos são cuidadosamente monitorados. Ter um monitoramento de máquina em tempo real e um sistema OEE confirma que uma empresa está aderindo a técnicas de processamento de alimentos sólidas e documentadas.

Gostou deste conteúdo, então confira também:

Quer dar aquele upgrade na sua carreira e se destacar no mercado de trabalho? Confira nossos cursos em nossa plataforma EAD.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *