Organização ágil é a organização do futuro

organização ágil
25 de novembro de 2019
Última modificação: 25 de novembro de 2019

Autor: Paula Louzada
Categorias: Blog, Liderança, Melhoria de Processos

Organização ágil é a organização do futuro

Uma das novas palavras-chave corporativas e organizacionais populares hoje em dia é “organização ágil“. A organização ágil está demonstrando ter um imenso potencial e as organizações de sucesso que adotaram a metodologia por trás dela parecem ser as melhores preparadas para se impulsionar no futuro.

De um neologismo ridicularizado há apenas alguns anos, o conceito de organização ágil passou de relativa obscuridade para se tornar o meio pelo qual muitas marcas e organizações de sucesso gerenciam suas operações e mantêm sua competitividade em um mercado em constante evolução e mudança. Algumas empresas conhecidas que usam essa metodologia são Apple, Philips e ING Bank. O sucesso dessas empresas é uma prova da eficácia da metodologia quando adaptada e usada corretamente.

O que é uma “organização ágil”, afinal?

O MBASkool.com define uma organização ágil da seguinte maneira: “Uma organização ágil é rápida em responder a mudanças no mercado ou no ambiente. A ‘organização ágil’ também é conhecida como ‘organização empreendedora’ e ‘organização resiliente’ e esse tipo de organização se concentra no cliente que solicita ofertas personalizadas e não padronizadas. Uma organização altamente ágil reage com sucesso ao surgimento de novos concorrentes, rápidos avanços na tecnologia e mudanças repentinas nas condições gerais do mercado. Empresas ágeis prosperam em organizações não hierárquicas sem um único ponto de controle. ”

Uma organização ágil é aquela que não opera da maneira tradicional. Por um lado, embora exista uma hierarquia organizacional, ela não é tão descendente quanto uma organização tradicional – onde na hierarquia tradicional da organização, quanto mais baixo você estiver na organização, menos voz terá, em uma organização ágil, isso não acontece. Também há um foco maior no cliente, onde a organização coloca mais prioridade no entendimento de seu mercado e base de clientes e na resposta às necessidades, gostos e comentários atuais do cliente.

Além disso, em uma organização ágil, os funcionários são mais bem utilizados, permitindo que eles trabalhem em tarefas que maximizem suas habilidades e conhecimentos. Isso resulta não apenas em funcionários mais comprometidos, apaixonados e motivados, mas também em um aumento de produtividade e qualidade. Muitas organizações ágeis também utilizam mais o trabalho em equipe e a colaboração e são menos “territoriais” e departamentais, em oposição à cultura predominante em muitas organizações tradicionais, onde há pouca ou nenhuma colaboração entre departamentos ou unidades de negócios. Até o sistema de recompensas/incentivos de uma organização ágil é diferente.

O tipo de mentalidade e cultura da organização ágil é o que permite “reagir com sucesso ao surgimento de novos concorrentes, rápidos avanços na tecnologia e mudanças repentinas nas condições gerais do mercado”. Como a organização é mais dinâmica e adaptável, ela pode responder mais rápido a todos os desafios que enfrenta. A natureza da organização ágil também empresta menos burocracia e menos obstáculos burocráticos, tornando as coisas mais eficientes, organizadas e com menor custo.

Quais os benefícios de uma organização ágil?

Um artigo de McKinsey descreve a organização ágil como “estável e dinâmica” no sentido de que a metodologia geralmente mantém a espinha dorsal e os princípios básicos da organização para mantê-la estável, o que por sua vez serve como base para a introdução de elementos mais dinâmicos. É basicamente o melhor dos dois mundos. Existe a analogia de organizações ágeis serem como seres vivos, no sentido de que os seres humanos, por exemplo, são capazes de pensar e tomar decisões rapidamente. Essa agilidade e capacidade de tomar decisões rápidas mas eficazes fazem parte do objetivo de toda organização ágil.

As organizações ágeis também são melhores no sentido de serem mais enxutas. Ou seja, elas operam com eficiência. Há menos redundância, menos erros, menos custo. Esse tipo de valor também pode se traduzir em um produto ou serviço melhor que é entregue aos clientes, potencialmente criando mais defensores da marca, aumentando a sua lealdade e ampliando a presença do cliente e do mercado de uma marca.

Até os funcionários que trabalham para uma organização ágil se beneficiam, pois tendem a encontrar mais significado no trabalho que realizam, uma vez que suas opiniões e feedback são mais valorizados e recebem mais oportunidades de aprender, crescer e maximizar (e até expandir) seus conjuntos de habilidades. Muitas organizações ágeis também permitem um melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal, tanto por sua natureza quanto por iniciativas da empresa, levando a uma melhor retenção e recrutamento de talentos. Os funcionários que também têm um bom equilíbrio entre vida profissional e pessoal também tendem a ser mais motivados e a produzir resultados de alta qualidade, pois têm muitas oportunidades de recarregar, impedindo-os de sofrer desgaste.

Também mencionamos a flexibilidade das organizações ágeis, um benefício importante para a adoção desse tipo de metodologia organizacional. Dado o alto nível de concorrência e o mercado em constante mudança, as empresas precisam ser capacitadas para fazer mudanças em sua direção e estratégia o mais rápido e eficaz possível. A natureza da organização ágil permite isso. Assim, empresas com uma organização ágil têm maior chance de aproveitar as novas oportunidades oferecidas por essas mudanças no mercado, mantendo a marca/empresa atualizada e relevante.

Os clientes também são geralmente mais felizes por extensão devido a uma metodologia organizacional ágil. Veja a Apple, por exemplo. Mesmo no setor de tecnologia altamente competitivo, a Apple conquistou uma grande fatia do mercado por conta de seus fãs e clientes leais. Sua inovação constante, atendimento exemplar ao cliente e compreensão do que os clientes querem e precisam mantêm os lucros, mesmo diante de um número crescente de novos players no setor. Em suma, a produção de alta qualidade (expressa por meio de produtos e/ou serviços) resultante de operações ágeis mantém os clientes envolvidos e aumenta a reputação positiva da marca, que por sua vez atrai ainda mais clientes.

Cinco blocos de construção de uma organização ágil

1. Mais foco na satisfação do cliente

Por um lado, uma organização ágil é mais orientada para o cliente. Embora o objetivo do negócio ainda seja gerar o máximo de receita possível, os meios utilizados para atingir esse objetivo são drasticamente diferentes. As organizações ágeis reconhecem que atualmente, os clientes são mais poderosos, mais informados e menos inclinados a aceitar tudo pelo valor de face. Assim, as organizações ágeis buscam estar mais em contato com as necessidades e atitudes dos clientes, que por sua vez atraem mais clientes e mais lucro.

2. Mudança de mentalidade nos papéis de gerenciamento

O gerenciamento em uma organização ágil é mais uma orientação do que uma supervisão. Certamente, o elemento de supervisão ainda está lá, mas a gerência assume um papel mais ativo ao permitir que outros membros da organização façam seu trabalho melhor. Já se foram os dias em que os funcionários reclamam de chefes que “não sabem de nada”. Em uma organização ágil, os gerentes precisam ser qualificados e experientes, pois seus conhecimentos são críticos para orientar as equipes a alcançarem seus objetivos. Todo o conjunto é mais colaborativo e mais propício ao aprendizado mútuo, permitindo melhor produtividade, moral e crescimento organizacional e individual.

3. Estrutura menos formal e mais colegiada

Muitas pessoas confundem formalidade com profissionalismo – elas não poderiam estar mais erradas. As organizações ágeis mantêm um alto nível de profissionalismo e, ao mesmo tempo, são mais informais. Por exemplo, há mais idas e vindas entre as pessoas que trabalham juntas, independentemente de sua posição na organização. Até mesmo funcionários comuns são livres para expressar sua discordância com uma certa ideia ou iniciativa e podem sugerir maneiras de melhorar as coisas, em oposição ao modelo tradicional de organização em que os pedidos do topo devem ser seguidos sem questionar.

4. Cultura mais transparente e mais harmoniosa

Geralmente, há menos políticas de escritório em uma organização ágil. Por quê? Devido à sua natureza de colaboração, tudo é muito mais transparente. Todo mundo sabe como todo mundo está trabalhando. Isso permite a melhoria contínua da organização, uma vez que quaisquer falhas ou deficiências do sistema atual serão encontradas mais cedo ou mais tarde.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 1 =