Mobilidade Urbana e Logística: 4 soluções para o seu negócio

Mobilidade Urbana
20 de fevereiro de 2021
Última modificação: 16 de setembro de 2021

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Lean, Logística

A mobilidade urbana é alvo de pesquisas na área de transporte há muito tempo. Por muitos anos, diversos problemas foram debatidos. Desde que o Brasil existe, os efeitos colaterais da mobilidade sempre refletiram nos processos logísticos. Isso pode ser visto, por exemplo, nos tempos de viagem, custos e congestionamentos.

Porém, esses efeitos refletem também de maneira inerente no sucesso econômico de empresas e, por consequência, àqueles que estão nas pontas das cadeias de suprimentos, ou seja, os trabalhadores. Posteriormente, outros pontos que ganharam bastante atenção em detrimento da mobilidade urbana vieram à tona, como segurança viária além da poluição do ar e sonora, impactando diretamente a qualidade de vida urbana e o meio ambiente global.

Neste artigo, confira o que é mobilidade urbana, quais são os desafios da mobilidade urbana no Brasil e como ela afeta a logística e as cadeias de suprimentos.

A relação entre Logística e a Mobilidade Urbana

Mas antes não deixe de conhecer o curso gratuito de Introdução ao Lean oferecido pela FM2S. Através da metodologia é possível entender como criar um novo modelo de negócio baseado na redução de estoques e prazos e com produção sob demanda.

Confira também:

O que é Mobilidade Urbana?

Em resumo, Mobilidade Urbana é um conceito que descreve a agilidade de deslocamento de pessoas e bens com o objetivo de estabelecer relações sociais e/ou desenvolver atividades econômicas em perímetros urbanos de cidades e regiões metropolitanas. Esses deslocamentos, por sua vez, são realizados por diversos meios de transporte tanto coletivos, quanto por veículos motorizados e não motorizados, além de todas as vias que possibilitam o ir e vir do cotidiano.

Porém, quando não é realizado um plano efetivo de mobilidade urbana em conjunto com estudos e aplicações de medidas quanto à utilização de vias alternativas, existe a predisposição na instauração do caos pelo grande número de veículos, condições inadequadas de vias e problemas de fluxo. Isso impacta não apenas na qualidade de vida das pessoas, como os preços das mercadorias, afinal, qual mercadoria que compramos que não depende do transporte para que chegue até nós?

Mas o que é o Plano de Mobilidade Urbana?

O plano de mobilidade urbana é o instrumento através do qual se realiza a melhoria da mobilidade urbana de uma cidade. Esse plano é formado por um conjunto de objetivos onde, através deles, buscam-se estratégias e recursos que para transformar um local visando satisfazer as necessidades de seus residentes.

Porém, os problemas de urbanização no Brasil possuem uma influência histórica, uma vez que não houve nenhum planejamento para a urbanização, com a exceção de Brasília. Desde o início de sua história, o Brasil foi uma colônia de exploração e somente começou a ser urbanizado a partir da vinda da família real. Somente a partir desse evento que iniciaram de fato a urbanização, sem haver quaisquer tipos de planejamento. Mas quais são os desafios da logística na mobilidade urbana no Brasil?

Os desafios da Logística Urbana no Brasil

Com um crescimento totalmente desenfreado e sem qualquer planejamento cidades como São Paulo e Rio de Janeiro foram sendo construídas e hoje em dia enfrentam diversos problemas logísticos em detrimento disso como, altos tempos de viagem e consequente tempos de entrega, congestionamentos, acidentes, poluição do ar, problemas de fluxo de veículos além do alto custo de depreciação de ativos (neste caso, me refiro a veículos de transporte empresarial).

Além disso, com o mundo físico do varejo se tornando menos acessível (não apenas por conta da pandemia, mas também pelos fatores mencionados acima), a conveniência das compras online tornou o mundo físico ainda menos atraente e levou os consumidores a esperar entrega sob demanda para quase tudo. E assim surgiram alternativas como o e-commerce.

As condições mencionadas ocorrem ao mesmo tempo em que prevalece um modelo de negócio recente baseado na redução de estoques e prazo. Esse ambiente reforça ainda mais a necessidade de desenvolvimento da logística nas organizações.

Para garantir a sua própria viabilidade no mercado, as grandes empresas foram obrigadas a desenvolver as suas capacidades logísticas internamente e, em particular, no relacionamento com os demais membros da cadeia de suprimentos. O resultado foi a evolução dos processos logísticos e a valorização da importância estratégica da logística nas organizações com soluções que apresentaremos mais abaixo.

Mas como resolver os problemas da logística urbana?

Apesar de consolidados neste ramo há tempos, empresas como o Mercado Livre, Magazine Luiza e Amazon já são autoridades em driblar tais desafios. Assim, com grande volume que o setor logístico está enfrentando desde meados de Abril de 2020 surgiram muitas oportunidades. Logo, a inovação tem sido a principal alternativa e os serviços de entrega tem criado outras formas (caminhões, vans, scooters, bicicletas) para parcerias colaborativas.

Entre as principais soluções desta nova era, destacam-se 3:

1. Metodologia Lean Manufacturing

Também conhecida pelo nome de Metodologia Enxuta, o Lean Manufacturing surge a necessidade de se criar um processo produtivo no qual não necessitasse de altos estoques, mantivesse um fluxo de caixa mais ágil e que atendesse às diversas demandas, produzindo com eficiência produtos personalizados.

Eliminar o desperdício ao longo de todo o fluxo de valor, em vez de pontos isolados, cria processos que exigem menos esforço humano, menos espaço, menos capital e menos tempo para fabricar produtos e serviços. Isso significa custos muito menores e com muito menos defeitos, em comparação com sistemas tradicionais de negócios.

As empresas, então, se tornam responsivas às mudanças nos desejos dos clientes com alta variedade, alta qualidade, baixo custo e com tempos de processamento muito rápidos. Além disso, o gerenciamento de informações se torna muito mais simples e preciso.

No curso de Lean Logistics FM2S você aprende os conceitos da metodologia Lean aplicado aos processos de armazenamento, transporte e distribuição. Além disso, você estará apto a tornar os processos de entrega disponíveis pelo maior tempo possível, ou seja, atendendo e superando às expectativas dos clientes. Não perca tempo e confira!

2. Third Party Logistics 3PL

O termo 3PL ou Third Party Logistics refere-se à terceirização dos processos de logística de comércio eletrônico, incluindo gerenciamento de estoque, armazenamento e atendimento. Os provedores 3PL permitem que os comerciantes de comércio eletrônico realizem mais, com as ferramentas e a infraestrutura para automatizar o atendimento de pedidos. Entenda o 3PL como um parceiro que irá cuidar de todo serviço logístico da sua empresa (transporte, armazenamento, distribuição, delivery, etc.).

Existem muitas vantagens no uso de um provedor 3PL. O maior é que, ao aderir essas logísticas, você pode se concentrar em outros aspectos do seu negócio, como vendas, marketing e desenvolvimento de produtos. A terceirização da 3PL deixa você com mais tempo e recursos. Entre outras vantagens estão a maior satisfação de clientes, redução de custos com depreciação de ativos, além de permitir grandes flutuações de demanda.

3. Dropshipping

Semelhante ao 3PL, o dropshipping é um modelo de negócios cada vez mais popular entre os empreendedores, pois possui custos iniciais de investimento substancialmente mais baixos e geralmente é uma alternativa de menor risco aos modelos de negócios de comércio eletrônico mais tradicionais, que exigem que você encontre fornecedores e estoque de ações.

Funciona assim: você encontra fornecedores de produtos que deseja vender em um mercado de comércio eletrônico e depois importa esses itens para sua loja. Quando um cliente compra um desses itens, você faz o pedido com um desses fornecedores excepcionais e ele envia o item diretamente ao cliente. Dessa forma, você nunca precisa lidar com mercadorias e pode trocar produtos para se manter atualizado sobre as tendências atuais com maior facilidade.

4. Cross Docking

Cross docking é um modelo logístico que otimiza a cadeia de suprimentos, eliminando ou reduzindo consideravelmente o tempo de armazenamento, pois as mercadorias não são armazenadas após o descarregamento, mas sim preparadas e enviadas quase que diretamente aos clientes. O ‘cross docking’ surgiu a partir do processo de recebimento de produtos por meio de docas navais de entrada e que, em seguida, eram transferidos para a doca de saída. Em sua tradução literal, “cross docking” significa “cruzar docas”.

Essencialmente, o cross-docking remove o elo de “armazenamento” da cadeia de suprimentos. Resolver o desafio da mobilidade exigirá ações ousadas e coordenadas dos setores público e privado. Avanços tecnológicos e comercialização, financiamento, políticas inteligentes e inovação do modelo de negócios serão necessários para realizar melhorias de produtividade e, ao mesmo tempo, criar ambientes mais sustentáveis ​​em nossas cidades.

Para alcançar o objetivo principal de criar um sistema de transporte que atenda às necessidades individuais de um movimento rápido, eficiente, seguro e econômico de pessoas e mercadorias, as cidades precisam utilizar cada vez mais dessas alternativas eficazes.

Dúvidas, curiosidades e outras soluções? Escreva nos comentários!

Leia mais no blog:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *