Metodologia Scrum: tudo o que você precisa saber!

17 de outubro de 2018
Última modificação: 17 de outubro de 2018

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Blog, Gestão de Projetos

Costumeiramente as organizações são estruturadas com diversas funções separadas e, que ao desenvolver um produto ou projeto, necessitam dialogar entre si e estabelecer uma linha sequencial de desenvolvimento. Scrum é uma metodologia de implementação do desenvolvimento ágil que atua no planejamento e gestão de projetos, para que seja possível mudar essa maneira de trabalho. E através da sua aplicação o processo pode ser mais inovador, evitando longos ciclos de trabalho e possibilitando a certeza de entrega de um produto ou serviço que está alinhado com o que o cliente quer. Confira nesse artigo os termos, aplicações e outros benefícios dessa metodologia.

O que é SCRUM?

O Scrum é definido como uma metodologia ou estrutura de gerenciamento de projetos ágeis. Ou seja, trata-se de um framework (ou uma ferramenta) utilizado na implementação do desenvolvimento ágil de uma empresa. Ao criarem essa metodologia, Ken Schwaber e Jeff Sutherland, propuseram que atividades poderiam ter o dobro de rendimento, sendo realizadas na metade do tempo normal.

Para que isso funcione o Scrum adota o seguinte princípio: Um projeto será dividido em pequenos ciclos de tarefas, com reuniões frequentes que estimulem o diálogo entre a equipe e possibilitem a descoberta de como melhorar o projeto de forma ágil. Cria-se então um pensamento sistêmico.

Esse acompanhamento constante provido pelas reuniões, faz com que realizar uma mudança no planejamento seja algo mais facilmente proposto e previsível, o que mitiga desvios que aconteceriam em projetos menos acompanhado.

Imagem ilustrativa de como funciona o scrum em um projeto

Exemplo de estruturação da metodologia Scrum para entrega de projeto

Vale ressaltar que o Scrum é largamente utilizado por times de desenvolvimento de software – pois sua criação foi fundamentada nessa finalidade -, mas ainda pouco utilizado, e compreendido, por outros setores. Na verdade, é a metodologia ágil mais popular. De acordo com o 12º relatório anual do State of Agile, 70% das equipes de software usam Scrum ou um híbrido.

Equipes de gestão e liderança de grandes empresas têm adotado práticas da metodologia em seus métodos de gerenciamento, geralmente combinando-as com práticas já mais consolidadas na indústria geral como o Lean e Kanban.

Scrum é um framework simples e iterativo que possibilita um processo de gestão de qualquer tipo projeto, dos simples aos mais complexos. Conheça nosso Curso de Especialista SCRUM! Clique no banner e saiba mais:

 

Principais termos da metodologia Scrum

A metodologia Scrum traz consigo uma série de termos técnicos que, para quem não conhece o inglês ou não faz parte de uma organização que adota a metodologia, podem ser de difícil compreensão.

Por isso, separamos aqui os principais termos técnicos para que você consiga se inteirar do assunto. Confira:

Daily Scrum

Também chamado de Daily Standup, consiste em uma breve reunião diária na qual cada membro da equipe lista seu progresso na execução do projeto de forma rápida e transparente. A ideia é disseminar o conhecimento a respeito do que foi feito, bem como identificar impedimentos e desvios que prejudicaram o avanço. Essas reuniões geralmente acontecem pela manhã para que as prioridades do novo dia sejam estabelecidas a partir desses feedbacks.

Sprint

O Sprint representa um período de tempo no qual um conjunto de atividades deve ser desenvolvido. Sprints também são vistos como os ciclos de cada projeto, e o desenvolvimento de cada atividade é de, geralmente, 2-4 semanas de duração. Neste período a atividade deve ser concluída e preparada para a revisão.

Sprint Planning Meeting

É uma reunião de planejamento, ou momento de uma reunião Sprint, em que o responsável pela gerência ou cliente apresenta as funcionalidades de alta prioridade para a equipe desenvolvedora do projeto. Esse é o momento de dissecar a proposta para que os ciclos de trabalho sejam estabelecidos. Após essa partição de atividades, o Sprint Backlog toma forma.

Sprint Backlog

Consiste na lista de atividades que a equipe desenvolvedora (Sprint Team) será responsável por executar. Seus parâmetros são definidos após a apresentação da proposta vinda do responsável pelo projeto (Product Owner). A prioridade de cada tarefa e a quantidade de tarefas trazidas para essa etapa, é de responsabilidade do Scrum Master, que monitora e atualiza o cronograma.

Sprint Review Meeting

Trata-se de um momento durante a reunião do Sprint – mais comumente no fim – em que os participantes da equipe de desenvolvimento apresentam os resultados alcançados dentro daquele ciclo do projeto. A importância desse ponto é que assim que todos os resultados sejam apresentados e avaliados a equipe seguirá para o ciclo seguinte.

Product Backlog

É uma lista que contém todas as funcionalidades desejadas para o produto final. Seu conteúdo é definido pelo Product Owner. Cabe a ele descrever para a equipe quais pontos priorizar, e cabe a equipe determinar quais desses pontos eles serão capazes de completar dentro do próximo (ciclo) Sprint.

Release Burndown

É um gráfico onde a equipe lista e monitora o progresso em relação as atualizações do plano após cada Sprint. O eixo horizontal do gráfico apresenta os Sprints, enquanto o eixo vertical descreve a quantia de trabalho que ainda resta. Essa porcentagem de trabalho restante pode ser apresentado em diferentes unidades como: dias ideias, team days, story points, etc. A ideia é manter a equipe inteirada do que falta e que esse monitoramento seja o mais visual possível.

Dica FM2S: Faça o download gratuito da nossa Apostila de Scrum, e continue se aprofundando no assunto
apostila-scrum-fm2s blog

 

Scrum e Agile Project Management, qual a relação?

O Scrum é um subgrupo de agilidade:

  • Ágil é um conjunto de valores e princípios que descrevem as interações e atividades cotidianas de um grupo. Ágil em si não é prescritivo ou específico.
  • A metodologia Scrum segue os valores e princípios da ágil, mas inclui definições e especificações adicionais, especialmente em relação a certas práticas de desenvolvimento de software.

Embora desenvolvido para o desenvolvimento ágil de software, o Scrum ágil tornou-se o framework preferido para o gerenciamento ágil de projetos em geral.

O gerenciamento de projetos Scrum

O Scrum não é apenas aplicado ao planejamento do projeto, a maneira como as reuniões de Sprint acontecem tornam esse acompanhamento constante um processo gerencial das atividades executadas diariamente. 

Portanto, as equipes gerenciadas sob a prática dessa metodologia devem pautar suas atividades na transparência, agilidade, eficácia e troca de informações. E para que isso seja algo tangível, são divididos papéis dentro dos projetos, sendo eles:

Product Owner

É o ponto focal da responsabilidade e liderança do produto final. Essa pessoa é quem apresenta as expectativas e funcionalidades requeridas ao projeto e produto, e também quem decide o que será feito em cada ciclo e em qual ordem de prioridade.

Sua presença em reuniões de Sprint traz aos participantes uma possibilidade de novos questionamentos, percepções e mudanças no projeto. Portanto, deve ser alguém acessível e que detém o conhecimento necessário sobre o todo, para que em cada ciclo a equipe possa requisitá-lo.

Scrum Team

Uma equipe Scrum, geralmente de 6 a 10 pessoas, possui um aspecto multidisciplinar e suas responsabilidades são orientadas conforme suas especialidades e formas que podem contribuir para a construção, testes e entrega do produto final. 

A proposta por trás da formação dessa equipe é que todos atuem de maneira conjunta para o andamento do processo, ao mesmo passo que se auto gerenciam. Sempre, claro, com base nas propostas do Product Owner

Scrum Master

Essa pessoa é responsável por assegurar que a equipe respeite e siga os valores e práticas da metodologia Scrum. Esse controle e monitoramento também deve se direcionar a cada membro, para que haja a garantia de não haver comprometimento excessivo em uma tarefa ou ciclo, e perda de produtividade em outros.

Esta é uma posição de liderança, pois o SM é quem mantém uma linha de contato direta com o PO, mesmo fora das reuniões. Essa atuação de link entre as duas partes faz com que obstáculos e desvios sejam mitigados, da mesma forma que, caso algum atraso surja, o SM tenha tudo registrado para apresentar a todos na próxima reunião.

Confira esse Case de Scrum – que você encontra no nosso Curso de Especialista Scrum EAD – onde explicamos o passo a passo de um projeto e as responsabilidades de cada participante.

Para concluir: Os principais pontos e benefícios do Scrum

Organizações que adotaram a prática do Scrum experimentaram de forma consistente: 

  • Maior produtividade: As reuniões são pautadas na objetividade e repasse de informações, o que auxilia na identificação e superação de obstáculos;
  • Produtos de melhor qualidade: Por ter um maior contato com as funcionalidades esperadas do produto final e poder realizar um acompanhamento mais próximo;
  • Tempo reduzido para o mercado: Por pautar as atividades na entrega e testes frequentes, o que aumenta a agilidade como um todo;
  • Satisfação aprimorada das partes interessadas: A equipe consegue ter uma visão mais clara das atividades, bem como das expectativas do PO e do SM. E o monitoramento constante do projeto faz com que a entrega do produto final esteja alinhada à perspectiva do mercado;
  • Melhor dinâmica de equipe: Equipes mais enxutas e que atuam sem o peso de títulos de função conseguem entender mais claramente o limite da sua atuação e o real impacto do seu trabalho.

Gostou do conteúdo? Então inscreva-se na Assinatura FM2S e durante um ano tenha acesso ao curso de Especialista Scrum e muitas outras certificações.

Leia também:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *