Lean x Seis Sigma: Conheça as semelhanças e diferenças

lean
07 de outubro de 2018
Última modificação: 07 de outubro de 2018

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Lean, Seis Sigma

LEAN x SEIS SIGMA

Se você já ouviu falar do Lean, provavelmente já ouviu falar do Seis Sigma. Como grande parte do Seis Sigma moderno está enraizado nas práticas de fabricação Lean, é fácil confundir os dois – e é por isso que muitos usam os termos de maneira equivocada de forma intercambiável.

Embora o Lean e o Seis Sigma sejam metodologias de negócios que visam melhorar a eficiência e a eficácia nas organizações, existem distinções teóricas e práticas entre eles. Entender essas diferenças pode ajudá-lo a escolher uma metodologia que se alinhe aos objetivos da sua empresa. Leia para aprender as distinções sutis entre o Lean e o Seis Sigma para ajudar a determinar qual pode ser o melhor para a sua organização.

Lean vs Seis Sigma: semelhanças e diferenças

Definindo Resíduos

De uma perspectiva teórica, uma distinção importante entre o Lean e o Seis Sigma é como os profissionais desses métodos identificam o desperdício: no Lean, o desperdício é definido como qualquer processo ou atividade que não agrega valor ao cliente. No Seis Sigma, o desperdício resulta da variação dentro de um processo. Isso significa que os profissionais do Lean se concentram na otimização de processos para criar valor, enquanto os proponentes do Seis Sigma visam eliminar defeitos e desperdícios reduzindo a variabilidade.

História e Objetivos

As práticas modernas do Lean e do Seis Sigma nasceram em ambientes de produção complexos – especificamente, na fabricação de automóveis no Japão. À medida que os fabricantes ocidentais começaram a adotar as práticas e princípios usados ​​pelos fabricantes japoneses, diferentes versões do Lean foram desenvolvidas.

O Lean e o Seis Sigma compartilham o mesmo objetivo final: ambos buscam eliminar o desperdício e aumentar a eficiência do sistema o máximo possível. No entanto, uma vez que a definição da causa raiz do desperdício difere entre esses dois métodos, a abordagem para alcançar esse objetivo também difere.

Mentalidade vs. Prática

Uma diferença fundamental entre o Lean e o Seis Sigma é que o Lean é uma mentalidade – um conjunto de princípios que, quando aplicado de forma holística, permite uma tomada de decisão mais inteligente. Pensadores enxutos aplicam o método de melhoria contínua para identificar continuamente maneiras de aumentar o valor e eliminar o desperdício. Qualquer um pode ser um pensador Lean – na verdade, o Lean é mais eficaz quando está incorporado na cultura de uma organização e aplicado a partir do zero.

O Seis Sigma é um programa: uma abordagem metódica e estruturada para lidar com os problemas organizacionais, eliminando a variabilidade e reduzindo o risco. Um dos elementos mais reconhecidos do Seis Sigma é o seu sistema de certificação. Existem profissionais Seis Sigma em todos os níveis da organização, cada um com funções e responsabilidades distintas. Aqui está um resumo básico das certificações Seis Sigma:

  • Black Belt: lidera projetos de solução de problemas. Treina e treina equipes de projeto.
  • Green Belt: Ajuda na coleta e análise de dados para projetos Black Belt. Lidera projetos ou equipes do Green Belt.
  • Master Black Belt: Treina e treina os Black Belts e os Green Belts. Funciona mais no nível do programa Seis Sigma, desenvolvendo as principais métricas e a direção estratégica. Atua como tecnólogo e consultor interno de Seis Sigma da organização.
  • Yellow Belt: participa como membro da equipe do projeto. Revê melhorias de processo que suportam o projeto.
  • White Belt: Pode trabalhar em equipes locais de resolução de problemas que apoiam projetos gerais, mas pode não fazer parte de uma equipe de projeto Seis Sigma. Compreende os conceitos básicos do Seis Sigma a partir de uma perspectiva de conscientização.

Liderança

Com essas certificações diferentes, o Seis Sigma fornece um modelo estruturado e hierárquico para liderança que é adequado para organizações altamente estruturadas. Os programas de certificação preparam os profissionais do Seis Sigma para desempenhar um papel específico em sua organização – geralmente, começando com a solução localizada de problemas, trabalhando para liderar problemas complexos e treinando equipes de projeto.

O Lean permite um pouco mais de fluidez, incentivando todos os profissionais a pensar grande e resolver problemas organizacionais, independentemente de serem um colaborador individual ou um executivo. Embora possa ser bem-sucedido em ambientes mais estruturados, o Lean é adequado para estruturas organizacionais mais planas e autônomas que permitem a colaboração entre departamentos e níveis de gerenciamento. Você pode aprender mais sobre o papel dos líderes Lean aqui.

Áreas funcionais

As práticas modernas do Lean vêm do desenvolvimento de software, onde elas ainda são aplicadas hoje (como práticas Lean verdadeiras ou ramificações Lean, como Agile, Scrum ou Kanban). Equipes e organizações em todas as áreas funcionais estão usando os princípios do Lean para criar mais valor para seus clientes. Você pode aprender mais sobre o Lean nesta apostila.

O Seis Sigma permanece firmemente enraizado em ambientes complexos onde a variabilidade decrescente e a redução de riscos são críticos para o sucesso. O Seis Sigma pode ser aplicado em uma variedade de áreas funcionais, como engenharia, manufatura, operações de fábrica, bem como vendas / marketing e atendimento ao cliente – mas não é adequado para todas as empresas ou processos. Muitas pequenas empresas não dispõem dos recursos necessários para implementar o Seis Sigma.

Os principais problemas empresariais se enquadram nas seguintes categorias:

  • Parece haver muito desperdício
  • Existe a necessidade de minimizar inventários e redundâncias
  • Há uma necessidade de melhorar os fluxos de trabalho
  • Há uma necessidade de acelerar processos
  • Existem erros humanos

Se assim for, então ferramentas leandevem ser utilizadas para:

1. Simplifique processos:

Se os processos forem mais complexos, precisaríamos de uma força-tarefa altamente treinada para executar as atividades desses processos. Portanto, os processos devem ser simplificados o máximo possível e as ferramentas Lean podem ser usadas para isso.

2. Aumente as velocidades:

A velocidade é um fator muito importante para o cliente. Se um componente de velocidade é melhorado, ele tem uma correlação direta com a satisfação do cliente.

3. melhorar os fluxos:

Se o fluxo do produto não for otimizado durante a fase de produção, isso pode levar a gargalos, aumento no tempo ocioso e muito mais. Portanto, sempre que possível, ferramentas Lean devem ser usadas para melhorar os fluxos dentro de nossos processos.

4. Minimize os estoques:

Inventários são aspectos críticos de um determinado processo. Os estoques maiores levam a custos mais altos de imóveis, o que também leva ao desgaste da matéria-prima e muito mais. Da mesma forma, níveis menores de estoques levam à interrupção da produção devido à indisponibilidade de matérias-primas quando necessário.

Processos à prova de erros:

Lean é efetivamente usado para reduzir ou eliminar erros em determinados processos. No entanto, se os desafios organizacionais exibirem os seguintes atributos:

  • Existem problemas de qualidade
  • Existe uma variação excessiva
  • Existem problemas complexos
  • Existem identificações de causa raiz desafiadoras
  • Existem numerosas considerações técnicas

Nestes casos, seis ferramentas sigma devem ser utilizadas para:

  • Minimize a variação
  • Aplicar resolução científica de problemas
  • Utilize o planejamento de projeto robusto
  • Concentre-se em problemas de qualidade
  • Empregue metodologias técnicas

A maioria dos executivos reconhece que eles têm uma combinação dos dois conjuntos de problemas. Colocar o lean seis sigma no meio deste continuum reflete uma abordagem mais holística e sinérgica. Se um problema específico requer apenas ferramentas lean ou seis sigma, então está tudo bem. Lean seis sigma é um paradigma relativamente novo, fornecendo uma seleção mais ampla de abordagens.

Um número cada vez maior de organizações (manufatura, serviços, hospitais, municípios, forças armadas, seguros, etc.) tem unificado seus esforços em uma abordagem lean seis sigma. Os mecanismos dessas combinações variam amplamente. As abordagens mais eficazes incluem direção e envolvimento da administração, um quadro de especialistas treinados, uso de trabalho em equipe, gerenciamento de projetos, treinamento de membros da equipe, tratamento humano das pessoas, uma metodologia compreensível de solução de problemas e algum mecanismo para aplicar a metodologia. ferramentas apropriadas.

Existem 8 tipos de resíduos que podem ser removidos dos processos de negócios para reduzir custos e tempo:

  • Em espera – seja para a próxima atividade, etapa do processo ou informação, o tempo de espera do processo pode ser de 90% ou mais do ciclo de processamento .
  • A superprodução de produtos ou serviços em produção acima da necessidade pode resultar em vencimento do produto ou excesso de estoque
  • Retrabalho – correção de defeitos, erros e erros
  • Movimento – movimento excessivo / transferência de pessoas, suprimentos, materiais e documentos
  • Sobre o processamento de informações, dados e testes
  • Inventário – manutenção de quantidade excessiva de suprimentos que poderiam expirar
  • Intelecto – falhando em usar os talentos e conhecimento da organização
  • Transporte desnecessário – equipamentos, pessoas, etc.

Qual é o certo para você?

Se a sua organização está procurando por uma metodologia leve e contínua para orientar a inovação e a melhoria, o Lean pode ser um ajuste ideal. Se você procura reduzir a variabilidade e o risco em um ambiente mais complexo, o Seis Sigma pode ser mais adequado às suas necessidades. Enquanto algumas organizações optam por uma em detrimento da outra, muitas optam por inserir sua implementação do Seis Sigma com os princípios do Lean, em uma metodologia híbrida conhecida como Lean Seis Sigma.

Dica: O curso visa capacitar os participantes na aplicação da metodologia e ferramentas do Lean Manufacturing, a fim de que ele possa resolver problemas reais do seu dia-a-dia. Além disso, é abordado o Lean Office, para que o aluno consiga aplicar os conceitos do Lean em escritórios e áreas administrativas.

lean

Deixe seu comentário

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 15 =