Como elaborar um currículo Lean Six Sigma?

currículo
10 de novembro de 2017
Última modificação: 10 de novembro de 2017

Autor: Virgilio Marques Dos Santos
Categorias: Blog, Seis Sigma

Por que um currículo Lean Six Sigma é importante?

Contratar pessoas é difícil. Não importa se você está procurando o próximo CEO da sua empresa, ou você espera encontrar um estagiário para preencher a última posição temporária antes do final das férias de verão – é a mesma situação:

Sua organização não é perfeita e você está procurando alguém que possa trazer as habilidades e a mentalidade necessárias para mover o negócio um pouco mais perto da sua meta.

Como você está procurando esses candidatos? Analisando e classificando uma pilha de currículos, é claro! Você está fazendo julgamentos de valor em alguém com base no quão bem eles transmitem sua identidade profissional em uma página, um documento de 350 palavras.

  • Aqui está uma verdade fria e dura sobre currículos: se você deseja ser contratado, você deve se destacar. Mas você já sabia disso.
  • Aqui está outra verdade fria e dura: a maioria das pessoas, incluindo executivos experientes, tentam se destacar no caminho errado.

Seu currículo tem fonte colorida? Iconografia? Uma pequena e linda escala Likert que mostra sua proficiência com cada produto da suite Adobe?

Porque nada disso importa (a menos que você esteja tentando um emprego em design gráfico).

Escrever um currículo é literalmente um processo de fabricação. Você está construindo um produto (seu currículo) para um cliente potencial (o gerente de recrutamento). E as regras que se aplicam a Toyota e a Motorola e aos outros ícones Lean Six Sigma?

Sim, eles se aplicam a você também.

Como fazer o seu Currículo Six Sigma?

Enfatize o essencial

Os currículos, por natureza, geralmente contêm muita informação. Eles são basicamente registros do que você conseguiu com os últimos cinco ou 10 anos de sua vida – onde você viveu, o que estudou e para quem trabalhou.

Mas aqui está a dica: eles não deveriam ser. Seu currículo não deve ser uma história do seu histórico de trabalho. Deve ser uma história que explique por que você é a pessoa certa para o trabalho.

Por exemplo, se você quiser uma vaga no setor legal, esqueça as regras genéricas de formatação e insira o J.D. da Harvard frente e centro – acima do resto do seu histórico de trabalho. Por outro lado, se você quiser trocar de carreira e entrar no campo tecnológico, inclua esse período de seis meses em que você e um amigo passaram seu tempo livre aprendendo SQL e desenvolvendo aplicativos do zero (mesmo que você não tenha sido pago para isto).

Quando um gerente de contratação lê seu currículo, não apenas forneça uma lista de seus empregadores anteriores. Em vez disso, dê-lhes os detalhes essenciais que tornam seu currículo diferente e melhor do que o resto.

Corte o excesso

Você tem uma seção intitulada Objetivo em seu currículo? Em caso afirmativo, você pode defender sua existência? Por que você o incluiu? O gerente de contratação conhece seu objetivo – conseguir o emprego – no momento em que pegar seu currículo. E o seu endereço? Como os números na frente da sua casa transmitem valor à organização? E quanto à sua data de formatura? Sua nota?

Na verdade, cada palavra que pode ser cortada deve ser cortada. Isso faz uma escrita mais forte e poderosa. Pense em Winston Churchill na década de 1940, inspirando milhões para a ação com base em sua dupla e cuidadosa escolha de palavras.

Adapte o Produto ao Cliente

Os clientes têm expectativas, e os gerentes de recrutamento também. O Lean Six Sigma ajuda os fabricantes a entregar produtos que os clientes desejam, com o menor número possível de defeitos. Isto é, literalmente, o que você está fazendo com o seu currículo.

Então, antes de ajustar qualquer coisa, descubra exatamente o que o gerente de recrutamento está procurando.

Como?

As principais organizações gerem grupos focais e coletam feedback para aprender o que seus clientes desejam. Você provavelmente não tem os recursos para hospedar grupos de foco, mas há boas notícias – você não precisa. O gerente de recrutamento já forneceu tudo o que eles estão procurando no posto de trabalho.

Você pode adaptar o seu currículo às expectativas deles, usando uma linguagem semelhante à encontrada na post de trabalho, mas, o mais importante, está nas entre linhas e, conhecer os tipos de problemas que a organização enfrenta.

Por exemplo, um trabalho que diz que… “Deve ser um líder natural que se sente confortável trabalhando em um ambiente acelerado e às vezes agitado” … Na verdade não significa que eles estão procurando liderança. Liderança, afinal, não pode ser quantificada. Eles estão procurando por alguém que tenha a experiência e a assertividade para ajudar a mudar a sorte e reduzir as chances de falhar. Para isso, o que eles querem é alguém que consiga focar em produtos, introduzir novas ideias e criar processos que possam fazer com que todos os membros de uma equipe com burn-out consiga chegar em casa em uma razoável hora.

Quer um exemplo?

Eu, Virgilio. Como eu estruturo meu currículo? Depende. Se estiver procurando uma vaga que é ser o seu professor para assuntos Lean Six Sigma, como a Certificação Green Belt e Black Belt, vou seguir uma linha. Se desejar ser contratado para realizar um choque de gestão, outra.

Para o Green Belt e Black Belt, iria lhe contar sobre a minha experiência e como eu posso ajudá-lo Iria lhe falar que tudo começou na Unicamp, quando no final do meu mestrado me encontrei nesse carreira. Continuaria falando sobre todos os projetos que fiz com meu co-orientador ainda no período do doutorado e nos muitos aprendizados que tive. Falaria que aprender sobre o assunto dá trabalho, pois é algo que não estamos acostumados, mas que todo o esforço vale a pena, e muito.

Sobre a experiência prática, comentaria que comecei pequeno, aprendendo como melhorar pequenas empresas num programa especial feito entre o CIESP e a Unicamp. Nesse período, vi na prática a dificuldade de não ter licenças Minitab ou os dados para a análise. Tudo começava pelo mapeamento de processos e após algumas semanas apenas, conseguia os dados.

Depois, falaria um pouco da minha experiência como empresário e escritor. Aprendi que os blogs, como esses, ajudando muitos que estão nessa jornada e muito me orgulham, já que é uma maneira de alavancarmos o impacto do meu conhecimento adquirido.

Também, contaria do meu primeiro projeto numa empresa grande, multi-nacional. Nela, por meio do DOE conseguimos alcançar 500 mil reais de economia nas injetoras de plástico em seis meses.

Falaria da minha experiência na Ambev e no quanto aprendi sobre as dificuldades de um gerente de processos e projeto de melhoria. Da dificuldade que é o mundo corporativo na área de Lean Six Sigma e no quanto aprendi a gerenciar e a liderar pessoas por meio do exemplo. Como consultor, não sabia isso. Hoje, não sou o Bernardinho, mas aprendi muito sobre o tema. Também, vi que a capacidade de negociar e gerenciar é super importante e essa habilidade adquirida, me ajuda em projetos de melhoria em grandes empresas.

Por último, falaria da competência e capacidade de inovação de uma grande empresa de embalagens, que me encomendou um projeto de formação de um time de elite. Uau… quanta coisa para falar. Devo ter estourado o limite de 1 página ou 350 palavras, mas se você souber o objetivo do seu currículo, conseguirá ser mais coeso e conciso.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *