Marketing 4.0: tudo sobre novas mentalidades e abordagens
Melhoria de Processos

07/11/2019

Última atualização: 20/10/2023

Marketing 4.0: tudo sobre novas mentalidades e abordagens

O Marketing 4.0 é uma abordagem revolucionária que une tecnologia, estratégia e criatividade para criar uma experiência de consumidor única e personalizada. Neste post, vamos explorar como o Marketing 4.0 está transformando a maneira como as empresas se comunicam com os clientes e conquistam sua lealdade na era da hiperconexão.

Além disso, com a Assinatura FM2S, você também tem acesso aos seguintes benefícios: grupos de networking para assinantes, conteúdo prático, mentoria online, professores com ampla bagagem teórica e prática, materiais e cursos exclusivos, webinars e outros eventos. Não perca tempo e comece já sua transformação profissional!

Assinatura FM2S Promoção

O que é marketing 4.0?

O Marketing 4.0 é a evolução do marketing tradicional para uma abordagem centrada no cliente que incorpora as mais recentes tecnologias digitais e de comunicação. Surgindo na era da informação e da hiperconexão, o Marketing 4.0 é caracterizado pela integração de canais online e offline, pela utilização de inteligência artificial e análise de dados, pelo marketing de conteúdo e storytelling, e pelo foco na experiência do cliente.

Neste novo paradigma, a interação entre as marcas e os consumidores se torna mais dinâmica e personalizada. As empresas têm acesso a uma quantidade enorme de dados e informações sobre seus clientes, permitindo-lhes adaptar suas estratégias de marketing e criar experiências únicas e individualizadas. Além disso, as redes sociais e outras plataformas digitais desempenham um papel fundamental na criação de conexões mais fortes e significativas entre as marcas e seu público-alvo. O Marketing Journal cita coisas como internet móvel, Internet das Coisas (IoT), tecnologia em nuvem e impressão 3D como fatores que estão mudando a maneira como os negócios são feitos na era moderna.

O Marketing 4.0 representa uma mudança significativa na forma como as empresas se comunicam e se envolvem com seus clientes, priorizando a construção de relacionamentos duradouros, o engajamento e a satisfação do cliente. Essa abordagem inovadora permite que as empresas se destaquem em um mercado cada vez mais competitivo e garantam o sucesso a longo prazo.

Além disso, o Marketing 4.0 introduz o conceito de uma comunidade de clientes, em que a abordagem linear tradicional da empresa para o cliente não é mais válida. Os clientes têm uma influência mais direta na direção de uma marca significativamente devido a uma interação mais íntima por meio da tecnologia digital. O Marketing 4.0 enfatiza a mudança de poder para os clientes em oposição à maneira tradicional de marketing que basicamente se reduzia aos clientes. Os clientes também se envolvem diretamente com as marcas mais por meio de esforços como o mapeamento da jornada do cliente, onde as experiências reais dos clientes são usadas para avaliar e ajustar certos aspectos operacionais de um negócio ou marca.

No Marketing 4.0, as marcas também precisam se diferenciar da concorrência de uma maneira muito distinta. Não apenas no produto, mas também no caráter e na personalidade. As marcas precisam fazer com que os clientes se relacionem com elas e vice-versa.

Quais são as 4 eras do marketing?

As quatro eras do marketing, também conhecidas como paradigmas ou fases, representam as diferentes abordagens e estratégias adotadas pelas empresas ao longo do tempo para alcançar e interagir com seus clientes. Essas eras são:

  1. Era da Produção (até a década de 1920): é caracterizada pela ênfase na eficiência de produção e na capacidade de produzir bens em larga escala. O foco principal era aumentar a produtividade e reduzir os custos, e acreditava-se que os consumidores comprariam os produtos com base apenas na disponibilidade e no preço. O marketing era praticamente inexistente ou limitado a anúncios básicos e informativos;
  2. Era das Vendas (década de 1920 a 1950): nesta época, as empresas começaram a perceber que, com o aumento da concorrência e da oferta de produtos, era necessário fazer mais do que apenas produzir bens. O foco mudou para persuadir os consumidores a comprar os produtos através de técnicas de venda e promoções agressivas. O marketing começou a ganhar importância, mas ainda era principalmente voltado para a venda de produtos existentes;
  3. Era do Marketing (década de 1950 a 1990): trouxe uma mudança significativa na abordagem das empresas, colocando o cliente e suas necessidades no centro das estratégias de marketing. As empresas começaram a investir em pesquisa de mercado e segmentação de público-alvo para entender melhor as necessidades e desejos dos consumidores. O marketing mix (produto, preço, praça e promoção) ganhou destaque, e as empresas começaram a desenvolver produtos e serviços que atendessem às demandas específicas do mercado;
  4. Era do Marketing 4.0 / Digital (década de 1990 até o presente): a era atual, conhecida como Marketing 4.0 ou Marketing Digital, é impulsionada pela revolução tecnológica e pela hiperconexão. As empresas agora têm acesso a uma quantidade incrível de dados e informações sobre seus clientes, permitindo-lhes personalizar e adaptar suas estratégias de marketing com mais eficácia do que nunca. As ferramentas digitais, como redes sociais, marketing de conteúdo, SEO, SEM e automação de marketing, desempenham um papel fundamental nesta era, permitindo que as marcas se conectem e interajam com seus clientes em um nível mais profundo e significativo.

A evolução do marketing - 1.0, 2.0 e 3.0 - até o marketing 4.0

Mas você não pode falar sobre o Marketing 4.0 sem enfrentar o que veio antes. O Marketing 1.0 foi amplamente tático e o mais básico, nascido do boom da manufatura nos anos 50.

A crise nos anos 70 e 80 criou o Marketing 2.0, também chamado de marketing relacional. Aqui, os consumidores começaram a se tornar mais exigentes e inteligentes em seus gastos (dadas as dificuldades econômicas predominantes na época), o que significa que as empresas precisavam encontrar coisas com as quais os clientes pudessem se relacionar para obter uma resposta positiva e benéfica. Os departamentos de marketing agora classificavam os clientes por meio de perfis básicos e as empresas estavam começando a entender a importância e o impacto da lealdade, engajamento e advocacia do cliente. Como tal, as empresas também precisavam agregar mais valor a seus bens e serviços, a fim de atrair mais clientes.

A evolução da abordagem antiga deu origem ao Marketing 3.0, onde o objetivo era atender às necessidades racionais e emocionais dos clientes. Também é chamado de "apelo à emoção" ou "marketing emocional", enfatizava a conexão dos clientes e aproveitava as tendências emergentes de um mundo mais tecnologicamente experiente. Ao contrário das duas abordagens anteriores, nas quais o mercado era visto como impulsionado pelo produto (Marketing 1.0), mercado de massa com clientes mais inteligentes (Marketing 2.0), o Marketing 3.0 via os clientes como pessoas, em vez de apenas como segmentos. Personalização e customização eram a coisa mais importante, e as empresas começaram a ver os clientes como indivíduos, em vez de personagens e consumidores sem rosto.

O que o Marketing 4.0 priorizava?

O Marketing 4.0 prioriza uma série de elementos-chave que refletem a evolução das estratégias de marketing na era digital e a crescente importância das tecnologias de informação e comunicação na vida dos consumidores. Algumas das principais prioridades do Marketing 4.0 incluem:

  • Centricidade no cliente: coloca o cliente no centro de todas as decisões e estratégias de marketing. Isso significa entender as necessidades, desejos e comportamentos dos clientes e criar experiências personalizadas e relevantes para atendê-los;
  • Integração online e offline: reconhece a importância de criar uma experiência consistente e integrada para os clientes em todos os pontos de contato, tanto online quanto offline. Isso inclui a convergência de canais de comunicação, como mídias sociais, websites, lojas físicas e eventos;
  • Personalização e segmentação: é caracterizada pelo uso de dados e análises para entender melhor o comportamento e as preferências dos consumidores, permitindo a criação de experiências personalizadas e segmentadas para diferentes públicos-alvo;
  • Uso de tecnologias avançadas: explora o potencial das tecnologias emergentes, como inteligência artificial, big data, análise de dados, automação de marketing e realidade aumentada, para melhorar a eficiência e eficácia das estratégias de marketing;
  • Marketing de conteúdo e storytelling: prioriza a criação de conteúdo relevante, valioso e envolvente que conte histórias e gere conexões emocionais com os clientes;
  • Abordagem omnichannel: enfatiza a importância de oferecer uma experiência de cliente consistente e integrada em todos os canais e plataformas disponíveis, garantindo que os consumidores possam interagir com a marca de maneira fácil e conveniente, independentemente do canal escolhido;
  • Comunicação bidirecional e engajamento: é marcada por uma comunicação mais aberta e bidirecional entre as marcas e seus clientes. As empresas buscam construir relacionamentos duradouros e significativos com os clientes, incentivando o feedback e a interação por meio de canais digitais e sociais.

Quais são os 5 tipos de marketing?

Existem diversos tipos de marketing que as empresas podem utilizar para alcançar e interagir com seus clientes. Embora não haja uma lista definitiva, aqui estão cinco tipos comuns de marketing:

  1. Marketing de Produto: se concentra em promover e vender um produto específico, destacando suas características, benefícios e vantagens competitivas. Isso inclui estratégias como branding, design de embalagens, desenvolvimento de produtos e mensagens-chave que ajudam a posicionar o produto no mercado;
  2. Marketing de Serviços: é voltado para a promoção e venda de serviços, em vez de produtos tangíveis. Ele aborda os desafios específicos associados à venda de serviços, como a intangibilidade, a inseparabilidade, a variabilidade e a perecibilidade. O marketing de serviços inclui estratégias como a gestão da qualidade, a formação de relacionamentos com os clientes e a criação de valor agregado;
  3. Marketing Digital: refere-se ao uso de canais e plataformas digitais, como sites, redes sociais, email, aplicativos móveis e publicidade online, para promover produtos e serviços. As estratégias de marketing digital incluem SEO (Search Engine Optimization), SEM (Search Engine Marketing), marketing de conteúdo, marketing de influência e automação de marketing;
  4. Marketing de Conteúdo: envolve a criação e distribuição de conteúdo relevante, valioso e envolvente para atrair e reter clientes. O objetivo é estabelecer a marca como uma fonte confiável de informações e soluções, gerando autoridade no mercado e construindo relacionamentos de longo prazo com o público-alvo. Exemplos de marketing de conteúdo incluem blogs, artigos, vídeos, infográficos, webinars e podcasts;
  5. Marketing de Relacionamento: tem como objetivo construir e manter relacionamentos duradouros e significativos com os clientes, com foco na satisfação, lealdade e retenção. Isso inclui estratégias como programas de fidelidade, atendimento personalizado, comunicação constante e interação com os clientes por meio de canais online e offline.

Além desses cinco tipos, existem muitos outros tipos de marketing, como marketing B2B (business-to-business), marketing B2C (business-to-consumer), marketing direto, marketing de afiliados, marketing de eventos, marketing de guerrilha, entre outros. A escolha do tipo de marketing a ser utilizado depende dos objetivos específicos da empresa e do público-alvo que deseja alcançar.

O mundo - e mais importante, os CLIENTES - estão mudando

A globalização, as mudanças socioeconômicas e até políticas em todo o mundo transformaram drasticamente o mercado e as empresas e marcas em que atuam atualmente. Por extensão, isso também significa que o comportamento de compra e consumo dos indivíduos, bem como a mentalidade e o raciocínio por trás disso, também mudou. Os períodos de atenção são mais curtos. Eles têm muito mais opções, já que a concorrência em todos os setores está em seu nível mais alto. Isso significa que, logo de cara, uma marca que falha nos padrões de um cliente - independentemente de quão "estabelecidas" e grandes sejam - pode facilmente perder esse cliente para um concorrente menor.

Levando tudo isso em consideração, existe um consenso entre os especialistas em marketing e negócios de que é necessária uma mudança de abordagem para se adaptar aos tempos. Um artigo da McKinsey & Company, uma grande empresa de consultoria de gerenciamento, diz: "Normalmente, um mercado total agora compreende uma série de submercados, cada um com suas próprias características e cada um exigindo uma abordagem de vendas diferente. Para a maioria das empresas, é um erro grave desenvolver um programa de marketing voltado para cliente médio."

AJ Agrawal, CEO da Alumnify, escreve em Inc. que as estratégias tradicionais de marketing são muito menos impactantes e eficazes do que eram antes. Ele acrescenta: "Sem dados on-line praticamente ilimitados, análises de clientes e inúmeros fornecedores para comprar, o poder de compra está nas mãos do cliente mais do que nunca", levando muitos orçamentos de campanha dos profissionais de marketing a "desperdiçarem".

A vantagem é que existe uma abordagem totalmente nova para o marketing, que abre muitas portas e oportunidades. Especialmente para os adotantes precoces que se ajustam efetivamente a essa nova abordagem, há a chance de ganhar participação de mercado e explorar mercados que antes eram negligenciados pela abordagem antiga. E isso é Marketing 4.0.

Leia Mais:

Equipe FM2S

Equipe FM2S

A FM2S Educação acelera a carreira profissional de seus alunos