O que é SDCA? Conheça os 5 principais benefícios do método!

SDCA
06 de abril de 2021
Última modificação: 06 de abril de 2021

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Blog, Ferramentas da Qualidade

Você sabe o que é o SDCA?

Entre as ferramentas utilizadas na gestão de projetos e processos, o SDCA vem se mostrando uma boa prática aos gestores que desejam conferir estabilidade a seus resultados e/ou metas. Afinal, esse método tem como objetivo realizar a sustentação dos resultados previstos no planejamento estratégico, garantindo disciplina operacional. Neste artigo você vai conferir o que é o método SDCA, suas etapas, benefícios e aplicações, além de entender a diferença ente os ciclos PDCA e SDCA.

Confira também:

Não deixe de conhecer o curso rápido de PDCA 2.0 da FM2S!

O ciclo PDCA é uma ferramenta muito utilizada no processo de melhoria contínua e solução de problemas. Porém, embora você o execute minuciosamente e obtenha os resultados esperados este método não vai garantir que o aprendizado gerado seja permanente pela empresa, ou seja, não irá gerar bons resultados sistematicamente. Para isso, foi criado o método SDCA.

O que é SDCA?

SDCA é um acrônimo que significa “Standardize (Padronizar), Do (Executar), Check (Verificar), Act (Agir)”. É uma metodologia de gestão que tem como objetivo fornecer sustentabilidade aos resultados de seu planejamento estratégico, uma vez alcançados. Ele se inicia após o ciclo PDCA, servido de uma valiosa fonte de aprendizado para aprimoramento operacional.

Em outras palavras, o SDCA atua padronizando os processos em andamento. É partindo do método SDCA que a empresa realiza as atividades fins de cada processo, pois, todos os seus produtos e/ou serviços, na verdade, são decorrentes do SDCA. Logo, a chamada melhoria contínua é, portanto, uma composição do SDCA e do PDCA.

Ele se inicia com a definição de uma meta padrão, Esta, por sua vez, representa os objetivos iniciais de um projeto. Porém, quando se atinge essa meta, o ciclo SDCA não se encerra. Inicia-se a partir disso um monitoramento contínuo da performance de cada processo. Por fim, o ciclo se reinicia sempre que um processo estiver perdendo sua eficiência.

Quais são as etapas do SDCA?

1. Padronizar (Standardize)

Primeiramente, o SDCA inicia com a definição das três metas principais de um negócio. Enxergue-as como pontos chave do seu modelo de negócio. Tecnicamente, são conhecidas como metas-padrão.

Essa etapa tem como função garantir que todos os envolvidos executem uma mesma tarefa da mesma forma.

É importante documentá-las de forma clara, objetiva e visual. Para isso, você pode utilizar de fluxogramas, procedimentos operacionais padrão ou outras ferramentas. Dessa forma, facilita-se aos colaboradores assimilar seus objetivos.

2. Executar (Do)

Esta etapa objetiva executar os padrões, orientações ou treinamentos de todos os envolvidos de forma a garantir que todos aprendam a nova forma de se realizar o trabalho.

Aqui é importante realizar um acompanhamento do aprendizado de seus colaboradores. Assim, você confere agilidade no processo de aprendizado ajudando as pessoas.

3. Verificar (Check)

Posteriormente, na etapa de verificação entra o monitoramento dos indicadores de desempenho, processo muito semelhante ao do ciclo PDCA. Logo, seu objetivo é verificar se a execução do processo está de acordo aos padrões estabelecidos e avaliar as alterações sugeridas previamente no item 2. Caso os resultados esperados não sejam atingidos deve-se atuar de maneira corretiva na próxima etapa.

4. Agir (Act)

Por fim, na etapa de ação ajustam-se os processos para alcançar resultados de acordo com o esperado. É aqui que se executam as ações corretivas, caso necessárias.

Implementando o ciclo SDCA em 4 etapas

1. Definir meta-padrão

O primeiro passo para implementar este método é definir a meta-padrão. Esta deve ser um resultado prioritário do momento em que o seu negócio se encontra. Por exemplo: Manter as taxas de lucros em 15%.

2. Elaboração do Procedimento Operacional Padrão (POP)

Um POP – sigla de Procedimento Operacional Padrão – é um documento que descreve minuciosamente como atividades rotineiras devem ser executadas, através de um passo a passo. Seu objetivo principal é garantir que, quem quer que realize essa tarefa, consiga fazê-la de forma apropriada.

Ele é uma verdadeira “receita de bolo” que lista de forma clara e objetiva todas as tarefas e parâmetros de execução para manter a previsibilidade sobre os resultados.

Se você não sabe o que é POP e como fazer, confira nosso artigo: Como fazer um POP (Procedimento Operacional Padrão)?

3. Cumprimento do POP

Garantir que o POP seja devidamente cumprido também é parte do SDCA, afinal como manter a previsibilidade dos resultados sobre um processo que não é padronizado? Assim realizar um treinamento de seus colaboradores é essencial.

4. Análise do cumprimento dos padrões

A fim de aprimorar ainda mais a eficácia do método é preciso supervisionar as atividades dos colaboradores, garantindo o cumprimento dos padrões. Da mesma forma, como um instrumento de engajamento do SDCA, recomenda-se verificar o grau de motivação das equipes.

Ao final da análise deve-se emitir um documento conhecido como Diagnóstico do Trabalho Operacional (DTO). Seu objetivo é reforçar a disciplina das operações por meio de avaliações, mapeando os riscos das tarefas mais críticas.

Os benefícios do método SDCA

Pode parecer não tão óbvio, mas este método possui inúmeros benefícios para a sua empresa. Os principais deles são:

Aumento de Produtividade: este método é responsável pelo aumento da produtividade, uma vez que reduz acentuadamente o número de retrabalho. Assim, confere processos mais enxutos e lineares;

Estimula o trabalho em equipe: na etapa 2 de execução dos padrões escolhidos previamente, todos os colaboradores devem compreender o que deve ser feito e qual o seu papel neste contexto. Logo, o método estimula o engajamento dos funcionários e o trabalho colaborativo;

Melhora da operação de processos: uma vez estabelecidos padrões confiáveis, aumenta-se a organização do ambiente de trabalho. Dessa forma, o nível de estresse dos colaboradores diminui e aumenta-se a qualidade de vida no trabalho;

Reduz falhas: a padronização é a grande responsável pela redução da incidência de falhas. Da mesma forma acontece para os problemas operacionais, pois trabalha-se agora em cima de resultados previsíveis;

Visão sobre os processos: por fim, o método promove a manutenção de seus processos, evitando que a empresa passe por problemas já enfrentados.

Mas quais as 4 principais diferenças entre o PDCA e SDCA?

Embora sejam metodologias de pensamento estruturado com um enfoque na identificação de problemas e oportunidades, os ciclos possuem suas diferenças, vamos conferir?

1. O ciclo PDCA se dirige à resolução de um problema. Por outro lado, o SDCA funciona mantendo o processo sem que ele regrida aos “modos de fazer” testados anteriormente;
2. O PDCA visa o planejamento, enquanto que o SDCA se dirige à padronização;
3. Aplica-se o PDCA primeiramente, em seguida aplica-se o SDCA;
4. Por fim, o método PDCA se dirige ao planejamento estratégico. O SDCA, por outro lado, se dirige às operações.

Garantir disciplina operacional com boas práticas de execução do trabalho torna-se praticável a partir do monitoramento e padronização de processos e atividades. Afinal, como melhorar aquilo que não possui um padrão a para seguir? Portanto, a combinação dos ciclos PDCA e SDCA promove uma cultura organizacional de melhoria contínua sustentável. Fazendo pequenas mudanças de maneira constante, se buscam grandes resultados nos processos de uma organização.

Certificação White Belt

Saiba mais sobre os métodos de melhoria contínua em nosso curso grátis de White Belt FM2S.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *