O que é logística Outbound e logística Inbound?

15 de maio de 2017
Última modificação: 26 de julho de 2021

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Melhoria de Processos

O que são Logística Inbound e Logística Outbound?

Logística Inbound é um termo para se referir, essencialmente, ao transporte, armazenagem e entrega de bens e serviços para dentro de um negócio, ou seja, o seu negócio está adquirindo bens ou serviços de um fornecedor externo. Já a Logística Outbound compreende as mesmas atividades, da organização para seus clientes. Sendo assim, a Logística Inbound e a Logística Outbound são duas divisões da cadeia de suprimentos – a famosa “Supply Chain“.

O objetivo do gestor deve ser maximizar a confiabilidade, a responsividade e a eficiência da sua cadeia de suprimentos e, para isto, devem estudar seus processos de logística tanto inbound quanto outbound, de modo a minimizar seus custos de transporte e de armazenagem.

Sendo assim, compreender e diferenciar os processos inbound dos outbound pode fornecer importantes insights para desenvolver uma estratégia racional e eficiente de gestão das atividades e dos riscos envolvidos com a cadeia de suprimentos.

Que influência os parceiros comerciais exercem sobre a gestão da cadeia de suprimentos?

Uma empresa, atualmente, lida com diversos parceiros, tanto do lado inbound quanto do lado outbound de sua cadeia de suprimentos.

A preocupação do lado inbound da gestão se dá com relação entre a empresa e seus fornecedores, enquanto que o lado outbound foca nos processos que permitem à empresa atingir seus clientes. Desta forma, independentemente do lado da cadeia de suprimentos, a empresa terá de lidar e negociar com terceiros, sendo que a própria empresa pode ser o fornecedor de um parceiro, que é seu cliente, ou o cliente de um parceiro, que é seu fornecedor.

Percebe-se, assim, que uma cadeia de suprimentos pode atingir níveis extremamente elevados de complexidade, o que é mostrado na figura abaixo, retirada de nosso curso de Lean Logistics:

cadeia de suprimentos

Quais processos são cobertos pela logística inbound?

A logística inbound abrange tudo aquilo que sua empresa encomenda de fornecedores, o que pode incluir serviços. ferramentas, matérias-primas, material de escritório e qualquer outro tipo de inventário. São, portanto, os processos que garantem que as atividades de rotina da companhia possam ser desenvolvidas dentro dos padrões e especificações necessários.

Então, quais processos são cobertos pela logística outbound?

A logística outbound, por outro lado, lida quase que exclusivamente com seus produtos finais ou com os serviços prestados pela sua empresa. São, portanto, os processos que permitem à sua empresa entrar em contato com o mercado consumidor de forma rápida e eficiente, garantindo o seu lucro operacional.

A importância destes processos é tão grande que, como mostramos no nosso curso de Lean Logistics, boa parte das decisões de compra são realizadas no momento em que o cliente está diante da escolha entre um fabricante e outro, e, em uma grande parcela dos casos, não haver um produto disponível para venda imediata pode representar a perda irreparável de um cliente da companhia, especialmente para aqueles que comercializam produtos com grande número de concorrentes de qualidade e preço semelhante.

Como pode ser feita a integração da cadeia de suprimentos, de modo a aumentar sua confiabilidade?

Como visto acima e abordado extensamente em nosso curso de Lean Logistics, uma cadeia de suprimentos confiável protege a empresa contra excessos ou baixas de demanda, falhas dos consumidores ou fornecedores, bem como riscos de acidente, minimizando os custos, riscos e prejuízos, enquanto que a melhoria contínua da cadeia de suprimentos reduz custos operacionais, como armazenagem, transporte, e todo o custo de mão-de-obra envolvido nestas atividades.

A integração vertical da cadeia de suprimentos é aquela que se dá na forma de fusões e aquisições: uma companhia compra ou se funde a um ou mais de seus fornecedores ou mesmo empresas que eram suas clientes. A integração vertical pode aumentar bastante a eficiência da cadeia de suprimentos, bem como pode produzir vantagens de custo e economias de escala, pois reduz a uma única parte a tomada de decisões estratégicas a respeito do funcionamento da cadeia de suprimentos.

Uma integração horizontal também pode ser feita, por meio da cooperação e desenvolvimento conjunto com os parceiros, de acordo com os princípios pregados por Deming, ainda nos princípios do desenvolvimento da Ciência da Melhoria. É uma estratégia que não envolve o comprometimento de uma quantia vultosa de dinheiro, que pode mesmo nunca resultar no lucro esperado e levar a companhia a uma situação bastante delicada.

Qualquer que seja a estratégia adotada pela empresa, é preciso compreender a importância da integração da cadeia de suprimentos: uma cadeia completamente integrada é capaz de sincronizar os processos de logística inbound e outbound, por meio dos menores tempos de resposta e da automatização dos processos de ordenamento e entrega, do compartilhamento de espaços físicos, tais como armazéns, meios de transporte e motoristas, e cooperação mútua entre gestores de áreas diversas, buscando atingir resultados proveitosos para todos. Isto inclui desde acordos de precificação, volume dos contratos, termos de entrega, e até mesmo definição conjunta de design dos produtos que são gerados ao fim de toda a cadeia de suprimentos.

Como definir de quem é a responsabilidade e aumentar a confiabilidade do processo de transporte?

É sempre importante a assinatura formal, entre os diversos parceiros, de contratos que definam de forma clara quem é financeiramente responsável por quaisquer danos que ocorram aos bens transportados, entre cada nó da cadeia de suprimentos. A Câmara Internacional do Comércio define vários modos tradicionais de contratos que podem ser úteis de se verificar, e fornecem um padrão a ser seguido pelos contratos que envolvam transporte de bens.

Seguir os modelos propostos pela Câmara, no documento “Delivered Duty Paid” é uma boa prática, pois lá estão inclusos os principais custos e requerimentos que devem ser abordados pelo contrato, impedindo desentendimentos ou não-conformidade de expectativas, que possam ser gerados pela falta de experiência de uma das partes. Além disso, a definição clara das responsabilidades de cada um aumenta o grau de comprometimento, bem como a confiabilidade do processo como um todo.

Se interessou pelo tema?

A gestão de estoques e a melhoria contínua da cadeia de suprimentos são de suma importância para manter o dinamismo e competitividade de seu negócio, especialmente em tempos de crise econômica, que necessitam do uso mais racional possível dos recursos disponíveis.

Para aprender mais sobre este tema, não deixe de conferir nosso curso de Lean Logistics, onde você será apresentado aos princípios da gestão enxuta e eficiente tanto de estoques quanto da cadeia de suprimentos, além de aprender sobre diversas técnicas e indicadores, bem como sua gestão, de forma prática e aplicada! Também abordamos o assunto na Certificação Green Belt e na Black Belt e em diversos posts do Blog, bem como em ebooks que você pode baixar gratuitamente aqui no site.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *