Como as empresas podem responder ao advento do coronavírus?

04 de abril de 2020
Última modificação: 04 de abril de 2020

Autor: Paula Louzada
Categorias: Blog, Sem categoria

Coronavírus? O que é que está acontecendo?

Pois é! Se você está mergulhado nessa dúvida, saiba que pelo menos não está sozinho. Por isso, considerado o contexto de “caos instaurado” ao redor de todo o mundo, recorrente da pandemia do novo coronavírus, nós da FM2S nos deteremos sobre diversos aspectos do assunto em uma série de posts nos próximos dias. Acompanhe e fique por dentro de atualizações e dicas para manter firmes seu negócio e seu trabalho. Vamos nessa!

O impacto do Coronavírus

Neste momento, líderes de todo o mundo vêm enfrentando ansiedades duplas: quão grave será o surto de coronavírus para a economia e o que as empresas devem fazer para se preparar para ele.

Apesar do choque, os cientistas alertam já há muito tempo que as doenças infecciosas emergentes representam uma nova realidade com considerável potencial de causar sofrimento humano incalculável; além de desastre econômico. Já no início do surto, embora os danos financeiros da epidemia COVID-19 – relatados pela primeira vez em Wuhan, em 31 de dezembro de 2019 – tivessem se restringido à China, organizações em todo o mundo logo foram direta e indiretamente afetadas. Até que a situação tenha se tornado no que se tornou: uma crise global.

Considerada a inauguralidade do acontecido, os gerentes não têm orientações claras sobre como preparar suas organizações para um evento global de pandemia. Mesmo que a Organização Mundial da Saúde (OMS), que acompanhou 1.438 epidemias entre 2011 e 2018, já tenha observado: “Além da perda de vidas, epidemias e pandemias devastam economias”.

Práticas recomendadas para orientar empresas na crise do Coronavírus

Observando os movimentos dos gerentes chineses, pode-se detectar uma sequência de etapas bem sucedidas – as quais muitas vezes contam com o incentivo das autoridades chinesas para mitigar o impacto direto e indireto do vírus. Até porque em várias áreas a falta de preparação levou a resultados menos do que desejáveis.

Acreditamos que os gerentes podem aprender muito com o modo como as empresas na China têm lidado com o COVID-19. Essas práticas de enfrentamento incluem políticas inteligentes em torno do trabalho à distância; de antecipar e mitigar barreiras operacionais; e abordar os impactos sociais dessa emergência de saúde.

Desenvolva infraestrutura para o home office

O home office há muito tempo é visto como parte integrante da manutenção das operações normais durante um período de crise.

Assim, muitas empresas chinesas, com o incentivo das autoridades, começaram a transferir grandes porções de sua força de trabalho não-manufatureira para o home office após o final do Ano Novo Chinês, no final de janeiro. Mas é claro que para os funcionários, especialmente os que não estão acostumados a esse estilo de trabalho, pode haver dúvidas e dificuldades nesse momento.

Obviamente, muitos trabalhos, principalmente os de fabricação, não podem ser transferidos para o trabalho à distância. Afinal, apenas 33% das pequenas e médias empresas chinesas, que empregam 80% dos trabalhadores chineses, conseguiram retomar as operações normais até o final de fevereiro.

Observando as necessidades de mudança que este momento exige, não é difícil concluir que AGORA é o momento de por em prática os planos de melhoria e desenvolvimento de sua carreira. Para conhecer em que consiste – e se tornar! – um bom líder, confira os cursos de Carreira & Liderança oferecidos pela FM2S!

Usando a experiência chinesa como modelo, acreditamos que existem medidas que os gerentes podem adotar para maximizar a eficácia da opção de trabalho remoto durante uma crise. Eles incluem estas quatro:

Incentive a comunicação dentro da equipe

Assim, mantêm-se e garantem-se o conhecimento, planejamento e infraestrutura necessários ao funcionamento das operações.

Treine seus líderes

As principais reclamações dos funcionários sobre o teletrabalho referem-se a gerentes que não respeitam o horário normal de trabalho – o que realmente não é aceitável! Os líderes precisam de regras sensatas sobre quando esperam que os trabalhadores estejam disponíveis – e quando não.

E para você que está começando na carreira de liderança, não perca a chance! Confira agora o curso de Liderança para Novos Gestores!

Identifique os funcionários cruciais para garantir a continuidade dos negócios

Eles têm as ferramentas para trabalhar efetivamente em casa, se necessário? Verifique se eles estão preparados.

Desenvolva uma forma de incorporar o home office no cenário de desastre

Como sua organização operaria se houvesse uma quarentena que desligasse as áreas geográficas em que você opera? Use técnicas de planejamento de cenários para gerar ideias sobre como sua empresa poderia reunir a capacidade de retomar as operações, mesmo que de forma limitada.

Esteja pronto para choques operacionais provenientes do coronavírus

Predominantemente as pequenas e médias empresas na China foram as mais afetas. Isso porque, para se manter num período como este, é necessário pelo menos de um a três meses em dinheiro na mão – o necessário para cobrir despesas imediatas, como pagamentos de salários e dívidas.

Além disso, é preciso ter um controle preciso – e o mais cedo possível – de quais são suas opções para conceder empréstimos, prazos e outras obrigações de curto prazo. Os bancos se preocupam com a possibilidade de recuperar o valor principal do empréstimo e, no meio de uma crise, é difícil pedir mais empréstimos ou alterar as condições do empréstimo.

Quanto a essa dificuldade, alguns governos têm programas de assistência ou fornecem outras formas de assistência direcionada. O governo chinês, por exemplo, destinou US $ 114 bilhões em fevereiro para apoiar empréstimos de curto prazo para pequenas e médias empresas.

Tenha em estoque quantidade adequada de peças cruciais e outras entradas. Se você ainda não tem, identifique e estabeleça relações com fornecedores alternativos de países menos afetados pela crise do coronavírus. Afinal, desenvolver a resiliência da cadeia de suprimentos é uma prática recomendada em qualquer condição. (Para nossa surpresa, muitas empresas chinesas estavam completamente despreparadas para encontrar novos fornecedores.)

Tente entender como os principais fornecedores e outras partes interessadas estão preparados para um evento inesperado. Eles serão capazes de sustentar suas operações? Assim, quanto mais cedo e mais conhecimento você puder adquirir, mais preparado você estará se e quando as circunstâncias mudarem.

Torne-se um defensor da comunidade

A caridade é uma resposta importante a desastres naturais como o COVID-19. Além de ser uma boa prática por razões éticas, existem correlações empiricamente estabelecidas entre atividades de caridade e desempenho financeiro futuro, melhores relações com autoridades governamentais e legitimidade de reputação.

As empresas que reconhecem o estresse nos sistemas sociais durante emergências médicas têm maior probabilidade de se sair melhor depois do que as empresas que não o fazem. Isto é, caridade corporativa fornecida por empresas locais tem um efeito particularmente forte e positivo. Além disso, trata-se também de bom senso: uma empresa bem estabelecida tem praticamente o dever de devolver auxílio à sociedade em situações como esta.

As maiores empresas privadas da China assumiram a liderança no fornecimento de divulgação durante os primeiros meses da crise – e os efeitos disso na reputação são aparentes nas mídias tradicionais e sociais. Uma empresa, a Hubei Huanggang Agricultural Development Co., por exemplo, doou 220 toneladas de vegetais para famílias nas áreas mais afetadas pelo coronavírus. Portanto, se a epidemia de COVID-19 chegar à sua cidade, você deve estar preparado para ajudar. Aqui estão três ideias extraídas dos exemplos chineses:

Segmente organizações sem fins lucrativos e de extensão comunitária na sua região

A generosidade corporativa tem um impacto muito maior quando é fornecida diretamente a uma comunidade local.

Incentive o voluntariado da sua força de trabalho

Afinal, essa é uma forma humanizada de incentivar uma melhora da situação dos mais afetados,

Comunique o que você fez ou está fazendo em relação ao coronavírus

Solte um anúncio externo sucinto ao fazer uma doação. Mas não se vanglorie: forneça apenas os detalhes mais pertinentes, incluindo a quantidade de fundos comprometidos, os principais beneficiários e o que você pretende alcançar com sua doação.

Para concluir

Por fim, os gerentes (e todo mundo, na verdade) devem estar preparados para aceitar que o que estamos vivendo agora representa uma nova realidade: doenças como o coronavírus e outras formas de desastres ecológicos são ameaças globais muito reais à continuidade operacional. Assim, as recomendações baseadas em evidências descritas neste artigo podem ajudar bastante a garantir que sua empresa esteja preparada para manter operações durante a crise do coronavírus.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *