Porque costumamos procrastinar? Dicas e técnicas para evitar

Procrastinar
29 de outubro de 2020
Última modificação: 29 de outubro de 2020

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Carreira, Gestão de Equipes, Gestão de Projetos, Gestão do tempo

Procrastinar consiste em um ato contraprodutivo de adiar, prorrogar ou prolongar uma situação a fim de que esta seja resolvida posteriormente. É um comportamento de caráter natural e intrínseco ao ser humano, porém é bastante prejudicial a partir do momento em que interfere o andamento de rotinas pessoais ou profissionais.

De acordo com o especialista e palestrante Piers Steel, 95% de nós procrastinam em algum grau.

Portanto, neste artigo, através do conhecimento que a FM2S adquiriu sobre o assunto, vamos propor algumas táticas para você realizar uma autoanálise além de métodos e técnicas de como parar de procrastinar.

Confira também:

O que significa procrastinar?

Procrastinar significa adiar a realização de uma tarefa que precisa ser cumprida. É como se você soubesse o que deve fazer, porém não é capaz. Assim, a procrastinação é vista como uma lacuna entre a intenção e a ação de fato e pode ser tanto de natureza intencional, como inconsciente.

Ambas situações incluem o ato de protelar a atividade, priorizando outras atividades de menor importância e, muitas vezes, mais prazerosas. Dessa forma, é importante ressaltar que a procrastinação é considerada a maior inimiga da produtividade.

Por que costumamos procrastinar?

Surpreendentemente, a procrastinação acontece por causa da preferência que o nosso cérebro tem pela recompensa imediata. Assim, tendemos a priorizar os esforços do presente do que dirigir esforços às tarefas que prometem vantagens futuras. Tudo isso fundamenta-se na ideia de que somos condicionados a processar melhor as coisas concretas ao invés de coisas abstratas, como o próprio futuro.

Além disso, as circunstâncias negativas relacionadas a uma atividade também contribuem para a procrastinação, como algo que é desagradável ou mais complexo de ser realizado.

Temos que entender que a procrastinação é um vício cíclico, logo precisamos não apenas romper este ciclo, como também resistir mantendo a ruptura deste ciclo.

Como não procrastinar? Confira 7 dicas para te ajudar

Dica 1: Tome uma iniciativa

Em primeiro lugar, dar o primeiro (mesmo que pequeno) passo é crucial, além de ser uma estratégia que é cientificamente comprovada para vencer a procrastinação. Assim, definir uma meta baixa pode ajudar muito. Porém, defina uma meta tão baixa a ponto de se sentir bem em priorizar o problema a ser resolvido.

Criar um plano de tarefas para ter foco nos seus resultados também pode ajudar e uma ferramenta bastante eficiente para nos auxiliar nessa atividade é a Matriz G.U.T. É o que você confere no curso de Gestão do Tempo, disponível na Assinatura FM2S. Deixamos abaixo uma vídeo aula do curso pra você conferir!

Completar as metas mais baixas ajuda a dar uma sensação de progresso na tarefa que precisa ser realizada, servindo de motivação para continuar a sua atividade.

Caso você queira saber mais sobre a Matriz G.U.T, confira também:

Dica 2: Além do tempo, gerencie suas emoções

Esperar o bom humor para você realizar determinada tarefa pode ser uma arapuca. Isto é, esse pensamento pode ser nocivo a você e te levar ao velho ciclo da procrastinação. Essa atitude pode ser oriunda do medo da falha, da decepção (seja com relação aos outros ou a si mesmo) de não se sair bem na execução. E isso é suficiente para que a pessoa busque outra coisa qualquer além do que ela precisa.

Segundo pesquisas da área, as pessoas que tem a capacidade de controlar as emoções são mais desenvolvidas, e assim, aos que suportam mais as emoções desagradáveis, logo tem menores chances de procrastinar.

Dessa forma, para cortar esse mal pela raiz, recorrer a táticas de regulação emocional pode ser uma boa saída. Entre as soluções sugeridas está o modo como você enxerga uma determinada tarefa. Isso inclui até mesmo como você a rotula.

Dica 3: “Dê nome aos bois”, ou seja: é mesmo procrastinação?

Distinguir corretamente o que é procrastinação e o que é um atraso é importante e ajuda a no processo de gerenciar o seu problema. Isso é importante porque é difícil derrotar um inimigo que não é conhecido.

Em geral atrasos possuem diversas finalidades e alguns podem aumentar a produtividade. Por exemplo quando alguém demora para realizar uma atividade com o objetivo de coletar mais informações, ou até mesmo com o objetivo de descansar.

Para classificar corretamente os tipos de atrasos, siga a seguinte classificação usada por especialistas:

  • Inevitáveis: Quando uma pessoa está sobrecarregada ou em crise devido a uma obrigação que a limita em termos de produtividade;
  • De adrenalina: Atrasos decorrentes a pressão de se fazer no último minuto;
  • Hedonísticos: Escolha de algo gratificante e prazeroso instantaneamente ao invés de cumprir o que realmente é necessário;
  • Devido a problemas psicológicos: Neste caso se enquadram as questões de luto, estados de humor ou mental;
  • Propositais;
  • Irracionais: Que são de natureza inexplicável para o procrastinador, alimentado muitas vezes pela ansiedade.

Dica 4: Realize a procrastinação “estruturada”

Esse tipo de procrastinação envolve deixar a tarefa mais urgente e assustadora no topo da lista e acrescentar outras igualmente valiosas mas que são mais “tranquilas”.

Como os procrastinadores evitam tudo que está no topo da lista, o ideal é deixar a tarefa de maior importância e assim, resolver as outras para evitar a tarefa mais “assombrosa”. Dessa maneira, preencher uma lista de tarefas, lista de verificação ou folha de verificação (checklists) com as tarefas que você precisa cumprir impreterivelmente também é recomendado. Dessa forma, o sentimento de realização e motivação veem à tona para te ajudar a cumprir o restante das atividades.

Na Assinatura FM2S você confere o curso de Folha de Verificação e muitos outros. Com ela, durante 1 ano você tem acesso a cursos da área de melhoria contínua e excelência operacional, e um acervo de materiais de apoio que irão enriquecer seu repertório profissional.

 

Além disso, você também tem acesso aos seguintes benefícios: a grupos de networking para assinantes, conteúdo prático, mentoria online, professores com ampla bagagem teórica e prática, materiais e cursos exclusivos, webinars e outros eventos. Não perca tempo e embarque já nessa transformação profissional.

Dica 5: Se visualize no futuro

Onde você quer chegar? Pois bem, o “eu” de amanhã, ou o “eu” dos próximos dias terão mais energia e mais força de vontade para seguir adiante e enfrentar os desafios. O senso de continuidade é importante de ser ressaltado, ou seja: o futuro trará as melhorias à sua produtividade somente se o seu comportamento mudar.

Tirar uns 10 minutos por dia para visualizar o “eu” do futuro, pode ser extremamente motivador. No fim você perceberá que você no futuro é o mesmo de agora e assim, terá mais gentileza consigo mesmo.

Comece por exemplo, determinando em qual âmbito da sua vida você precisa começar a parar de procrastinar. Assim, coloque prazos no que diz respeito a imaginação do seu eu: “Onde estarei? O que vejo? Como me sinto? Quais são os termos escritos em um e-mail sobre esta atividade? Pense nestas perguntas e tente se colocar no futuro!

Dica 6: Realize planos onde o imprevisto está incluso

Mesmo que você esteja comprometido a não procrastinar, imprevistos podem acabar com tudo. Porém, mudar de comportamento pode ser suficiente para prevenir isto. Uma estratégia baseada na lógica “if-else”, também conhecida como “se-então” ajuda a identificar de maneira antecipada fatores alheios que podem te atrapalhar no cumprimento de uma tarefa, pensando também na resposta para o imprevisto.

É uma maneira de evitar a famosa autossabotagem e isso depende muito do seu planejamento. Assim, tente cuidar do seu ambiente físico e mental, isso minimiza as chances de situações críticas. Por exemplo, desligar as notificações eletrônicas.

Dica 7: Evite se repreender

Por fim, evite ao máximo se repreender por procrastinar. Os sentimento negativos funcionam como grandes desmotivadores que impedem ver com clareza as situações. No caso dos procrastinadores, quando se sentem mal, eles lembram também todas as vezes que procrastinaram anteriormente, o que alimenta o ciclo da procrastinação.

Existem algumas técnicas que ajudam no reconhecimento e controle de emoções autodestrutivas, seja pelo perdão ou mesmo pela compaixão. Um dos métodos mais recomendados é o de escrever um bilhete todas as vezes em que se lembrar quando procrastinou ou mesmo quando acabou de passar por isso. Assim, essa atitude funciona como se fosse um amigo lhe avisando que não há nada de errado nisso.

O fundamento por trás disso está na normalização dos seus erros, o que ajuda a controlar as suas emoções e não ficar em estado estático motivado pelos sentimentos negativos. Ou seja, consiste no famoso: “Não fui o primeiro e não vou ser o último.”

Técnica para manter foco

Pra te ajudar nessa luta contra a procrastinação, reunimos aqui uma técnica e alguns aplicativos que podem te ajudar nessa luta.

Técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro treina, essencialmente, as pessoas a se concentrar melhor nas tarefas de tal forma que ela limita o tempo que tentam manter esse foco e garantindo quebras restauradoras do esforço. Assim, o método é projetado para superar a tendência de procrastinação e multitarefa, e para ajudar os usuários a desenvolver hábitos de trabalho mais eficientes.

Para colocar a técnica em prática, você precisa de:

  • Um timer que faça contagem regressiva;
  • Estruturar uma lista de tarefas a fazer.

Primeiramente, utilizando uma folha de papel, um documento no Word ou Excel, um bloco de notas, etc., é necessário que você ordene todas as tarefas que deseja desempenhar no dia. Ou seja, elenque as mais importantes e saiba interpretar se existe interdependência entre elas, pois caso haja, será preciso se comprometer a cumpri-las em ordem, para que nada fique pendente.

Caso seu trabalho aconteça majoritariamente online, você pode seguir por essas opções ao invés de utilizar um timer físico.

  • Inicie sua tarefa: Essa primeira etapa durará 25min e demandará seu foco total;
  • Primeiro toque: Ao fim dos 25min iniciais, pause tudo e assinale um X (ou descreva o andamento da atividade). Essa etapa pode durar de 3 a 5 minutos.

A partir do segundo ciclo as etapas se repetem. Novamente 25min com pausa de 3 a 5 minutos. Sugerimos que use esses pequenos períodos para levantar, andar um pouco, ir ao banheiro ou tomar água/café.

Pausa longa: Essa etapa consiste em 15 a 30 minutos de descanso. Faça alguma atividade contrária a que está realizando. Se está usando o computador, tente fazer algum exercício, por exemplo. Se está estudando, procure algo para se distrair com as mãos ou os pés, mas aliviando a mente.

Confira a técnica completa em:

Aplicativos:

  • Forest (Android iOS);
  • TimeTune (Android);
  • Todoist (Android e iOS);
  • Focus To-do: Pomodoro Timer (Android iOs);
  • FLIP – Tempo de foco para estudo (Android).

Você usa alguma técnica diferente? Conta aí pra gente nos comentários!

Confira também:

Cursos:

Conteúdos:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + três =