Dashboard: O que é e como fazer (passo a passo)?

Dashboard
26 de junho de 2019
Última modificação: 26 de junho de 2019

Autor: Murilo Fms
Categorias: Análise de dados, Blog

Você sabe o que é dashborad? Dashboard é uma ferramenta de inteligência empresarial de dados (Business Intelligence) focada na visualização de dados, semelhante a um painel de controle de instrumentos. Em resumo, essa ferramenta permite o acompanhamento de resultados/indicadores de acordo com determinado período e até mesmo em tempo real e é bastante utilizada na tomada de decisões.

Pensando nisso, viemos neste artigo lhe explicar melhor o conceito, quais são os principais tipos, suas vantagens e diversas outras informações sobre essa incrível ferramenta de gestão.

O que é um dashboard?

Um dashboard consiste em uma ferramenta de business intelligence usado no gerenciamento e controle de informações por meio de indicadores gráficos e suas metas. Semelhante a um painel de controle, os dashboards organizam, armazenam e exibem dados importantes de várias fontes em um único local de fácil acesso.

Dashboards podem ser de caráter técnico apresentando dados sobre a análise de desempenho, processos e/ou estoques. No entanto, também possuem caráter gerencial com informações de performance geral, como faturamento, marketshare, enfim, tudo aquilo que envolve a saúde de um negócio.

Quais são os objetivos de um dashboard?

Enquanto um painel de informações, um dashboard possui como objetivo facilitar o monitoramento e interpretação de resultados que são distribuídos em diversos indicadores para o processo de tomada de decisão, além da correção de falhas e direcionamento de estratégias. Desse modo, a ferramenta tem como propósito de promover o engajamento e integração de setores de uma empresa, além de promover a transparência da corporação.

Para que ele cumpra sua função com êxito, é preciso que ele responda perguntas essenciais sobre sua função, dessa forma, você obterá as resposta desejadas. No entanto, caso você não saiba o que deseja que o seu dashboard indique, não será possível construí-lo.

A principal funcionalidade é a aptidão em transmitir informações de forma prática e eficiente.

Na Assinatura FM2S você confere o curso de Como Elaborar Bons Dashboards. Confira abaixo uma vídeo aula do curso que discute a importância de um Dashboard.

Dashboard Significado

Uma pergunta muito comum dos interessados em aprender sobre essa ferramenta é: mas o que significa dashboard? Existem várias definições para este conceito, porém eu diria que Dashboard pode ser interpretado como “painel de instrumentos” ou mesmo “painel de controle” e é vastamente utilizando em ações de inteligência empresarial com a finalidade de facilitar a visualização de dados.

Em um dashboard de dados, é mais fácil traçar paralelos entre métricas diferentes, mas relacionadas, identificar tendências e superar possíveis desafios ocultos nos dados de uma organização. Assim, com a ajuda de smartphones, tablets e outras tecnologias móveis, os painéis também são usados ​​para transmitir informações relevantes para o público a qualquer momento e em qualquer lugar. Os melhores dashboards são personalizados, protegidos e compartilhados com os usuários finais pretendidos.

Por outro lado, a experiência do usuário (UX) pode ser um conceito relevante na criação de um dashboard, desde que permita uma visualização simples e prática para seu público alvo. Assim, saber qual tipo de dashboard iremos criar é crucial para que os consumidores daquela informação extraiam o máximo de insights possíveis.

Tipos de Dashboards mais Comuns

Dashboard operacional

Um dashboard operacional é uma ferramenta de relatório usada para monitorar processos de negócios que frequentemente mudam e também para rastrear o desempenho atual das principais métricas e KPIs.  Dessa maneira, comparados a outros modelos, os dados são atualizados com muita frequência, às vezes até minuto a minuto. Os painéis operacionais, portanto, são projetados para serem visualizados várias vezes ao longo do dia. Eles são frequentemente usados para monitorar o progresso em direção a um objetivo.

Um exemplo de dashboard operacional é de visão geral diária da Web, pois ele rastreia o desempenho da Web a cada hora em relação a objetivos predeterminados para uma equipe de marketing digital.

Dashboard estratégico

Um dashboard estratégico é uma ferramenta de relatório usada para monitorar o status dos principais indicadores de desempenho (KPIs) e geralmente seu uso é exclusivo aos executivos e gerentes. Os dados por trás de um dashboard estratégico recebem atualizações de forma recorrente, mas em intervalos menos frequentes do que um dashboard operacional. Assim, os dashboards estratégicos são visualizados uma vez por dia e ajudam os executivos a ficarem atualizados com os KPIs em toda a empresa.

Um exemplo de dashboard estratégico é o painel do CEO da SaaS, pois ele monitora KPIs em toda a organização usando visualizações simples de dados.

Dashboard tático

Por outro lado, esse tipo de dashboard infere mobilização de recursos específicos da empresa para atingir objetivos de médio prazo. Assim, o dashboard tático tem o objetivo de trazer indicadores para tomadas de decisão a médio prazo.

Em contraste com o dashboard operacional, o dashboard tático é de responsabilidade exclusiva da alta gerência.

O que é um dashboard de projeto?

Os dashboards do projeto rastreiam metas tangíveis; no entanto, o “objetivo” do dashboard de um projeto não é atingir uma cota de vendas ou aumentar a receita de marketing por uma determinada margem. Em contraste com isso, os dashboards do projeto rastreiam métricas específicas relacionadas ao progresso e à conclusão de um projeto. Isso significa que, em geral, os dashboards do projeto envolvem mais métricas de agendamento do que a maioria dos dashboards:

  • Quando o projeto precisa ser concluído?
  • Cada membro da equipe tem a largura de banda para completar sua parte do projeto?
  • Qual é o orçamento do projeto? O projeto está no ritmo para acomodá-lo?

Estas são as questões que a maioria – se não todos – os gerentes de projeto se perguntam diariamente. Logo, com essas métricas em um único lugar, os gerentes de projeto podem evitar o tempo desnecessário de fazer login em várias fontes de dados e comparar as informações para obter um relatório de progresso simples.

O que não fazer em um Dashboard?

Quais dados devem ficar em destaque na criação de um dashboard? Como tratar esses dados? Qual a melhor forma de exibi-los? São diversas as dúvidas que temos na hora de montar um dashboard e acredite, até mesmo os especialistas comentem equívocos, portanto listamos aqui os erros mais comuns cometidos pelas pessoas em criar/apresentar um dashboard.

  1. Não definir um propósito para análise: é comum esquecer de definir um propósito, um objetivo da analise dos dados. Ter uma meta é necessário para guiar o seu estudo e, principalmente para saber quais partes são mais importantes na hora de organizar o seu dashboard;
  2. Utilizar indicadores (KPI’s) irrelevantes para avaliar seu desempenho: eis um outro erro muito comum. Escolha indicadores que de fato influenciem na sua meta, mas cuidado, existem indicadores que avaliam a qualidade de um outro indicador e, neste caso, pode ser relevante exibi-los;
  3. Não fornecer o contexto: contextualizar os seus dados é crucial para que as pessoas entendam o que está sendo avaliado;
  4. Cores de mais: A utilização de cores facilita a compreensão dos seus dados, mas cuidado, não exagere! Primeiramente, certifique-se de que estejam “combinando” com a sua apresentação. Uma boa dica é perguntar para um colega se o esquema de cores está visualmente agradável.
  5. Excesso de informações: por fim, o excesso de informações também é um outro problema que acontece bastante. Portanto, cerifique-se de que somente o necessário esta sendo exibido. Saturar o seu público alvo com informações pode ser fatal em uma apresentação.

Como criar o seu dashboard? (passo a passo)

Agora que você já sabe a utilidade e importância desta incrível ferramenta de gestão, vamos conferir como construir o seu dashboard.

1- Objetivo (qual informação quero evidenciar)

Em primeiro lugar, conforme vimos anteriormente, o projeto de um dashboard responde à perguntas cruciais sobre a gestão da sua empresa ou negócio. Desse modo, pense quais serão os indicadores que irão lhe fornecer as informações necessárias para o controle prático do seu negócio, facilitando a tomada de decisões.

2- Tipo de Dashboard

A escolha do tipo depende daquele que melhor atenda às demandas da empresa. Também é importante levar em conta o grau de hierarquia, ou seja, o público alvo que irá extrair a inteligência dos dados do seu dashboard. Para cada grau da hierarquia existe um tipo mais adequado. Portanto, fique atento ao tipo de dashboard escolhido.

3- Faça um esboço

Ter um esboço do que será exibido também é importante para verificar se a disposição dos dados e a seleção de cores está adequada. Assim, uma forma de criar um esboço é utilizando o Microsoft Excel. Além disso, o software possui uma funcionalidade muito útil para a criação de esboços de dashboards, utilizando painéis de indicadores gráficos do software.

Através das planilhas eletrônicas do Excel você consegue criar no próprio software o seu Dashboard, porém existem ferramentas mais adequadas para executar isto que abordaremos nos tópicos seguintes

4- Crie um layout

Tome muito cuidado na escolha do layout. Em geral dashboards são painéis que ficam expostos por meses, talvez até anos com analistas e CEOs olhando diariamente para os indicadores. Portanto, pense em um design que ajude na sua interpretação e que harmonize com o estilo dos seus dados.

5- Escolha um software adequado

No mercado, existem diversas ferramentas e softwares para a criação de dashboards. Vamos conferir algumas delas:

  • Dashboard Excel: Quando se trata de organizar dados através de planilhas eletrônicas não tenha dúvidas de que o Excel é uma ótima ferramenta para fazê-lo, mas a criação de dashboards não é o ponto forte deste software;
  • Power BI Dashboard: O Power BI é uma ferramenta da Microsoft específica para a criação de Dashboards. Trata-se de um software que possui maior agilidade quando comparado ao Microsoft Excel para análise visual e permite opções mais avançadas quando pensamos em integrações de dados. Pra você que deseja aprender mais sobre este software recomendamos o curso de Power BI FM2S;
  • Minitab Dashboard: Possui ferramentas bastante específicas para realizar análises e tratamento de dados e já é vastamente utilizado em nossos cursos da certificação Lean Six Sigma Green Belt;
  • Google Dashboards: O Google possui uma ferramenta específica para montagem de dashboards chamada Google Data Studio. Este software integra fontes de dados de diferentes tipos no Google para confecção de diagramas visuais.
  • Youtube Dashboards: O modelo de dashboard do YouTube fornece uma visão geral do desempenho de seu canal no YouTube. Assim, você pode controlar as visualizações de seus vídeos e outros indicadores como a duração média e quantos novos assinantes você conseguiu. Além disso, você também acompanha o desempenho geral do canal para ver a origem dos espectadores e quais são seus melhores vídeos.

Confira o que você aprende no curso de Power BI FM2S disponível em nossa Assinatura.

Usar dashboards é uma forma interessante de facilitar o trabalho de gestão de um negócio. Com eles, você fica livre de planilhas eletrônicas extensas e relatórios trabalhosos, acessando informações claras e concisas sobre aspectos pontuais. Ou seja, dados que de fato interessam naquele momento, tudo em uma única tela. Tudo isso atualizado em tempo real e de forma automática, sem a necessidade de utilização de profissionais para atualizar tudo manualmente. Aproveite para conferir os cursos de Power BI e Google Data Studio da formação em Visualização de Dados FM2S disponível em nossa Assinatura.

Outras dicas para o seu Dashboard

Você não precisa ser um designer para criar dashboards que comuniquem claramente suas principais metas e métricas. Se você está apenas começando ou tem um dashboard que precisa ser repensado, nossa lista de verificação ajudará você a alcançar os resultados desejados.

  • Seja claro sobre o que você está tentando alcançar – o propósito de sua diretoria informará seu design;
  • Inclua apenas o que é importante – tudo deve apoiar a intenção da sua diretoria;
  • Use o tamanho e a posição para mostrar a hierarquia – deixe claro para o espectador o que é mais importante;
  • Dê contexto aos números – ajude seus espectadores a saber se um número é bom ou ruim;
  • Agrupe suas métricas relacionadas: facilite a localização de suas métricas;
  • Seja consistente – usar as mesmas visualizações e layouts torna a comparação mais fácil;
  • Use rótulos claros que seu público entenderá – mantenha-os curtos e autoexplicativos;
  • Arredonde seus números – muitos detalhes podem fazer pequenas mudanças parecerem maiores do que são;
  • Continue evoluindo seus dashboards – verifique se está incentivando o comportamento esperado.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 18 =