O que é e como fazer o seu MVP (Produto Mínimo Viável)?

MVP - Produto Mínimo Viável
29 de junho de 2020
Última modificação: 29 de junho de 2020

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Blog, Gestão de Projetos

Introdução

Você já deve ter ouvido a expressão “lei do mínimo esforço”. Basicamente essa expressão denota os mínimos esforços para que uma tarefa seja executada, tirando todo o caráter de excelência e perfeição que pode ser alcançado. Na criação e desenvolvimento de produtos não é muito diferente. A expressão MVP – Minimum Viable Product, ou em português, Produto Minimamente Viável, vem para definir uma versão simplificada de um produto final. Foi assim que tantas grandes empresas como a Apple por exemplo, vieram à tona. Aos apreciadores do empreendedorismo, estar por dentro do conceito de MVP, suas funções e como realizá-lo é imprescindível e é o que você vai conferir neste artigo.

O que é um MVP?

MPV significa Produto Mínimo Viável. É um produto com recursos suficientes para atrair clientes pioneiros e validar uma ideia de produto no início do ciclo de desenvolvimento do mesmo. Em setores como software, o MVP pode ajudar a equipe do produto a receber feedback do usuário o mais rápido possível para iterar e melhorar o produto.

Assim como a metodologia ágil se baseia em produtos de validação e iteração com base na entrada do usuário, o MVP desempenha um papel central no desenvolvimento de produtos. Porém o produto mínimo viável (MVP) é um conceito da Lean Startup que enfatiza o impacto do aprendizado no desenvolvimento de novos produtos.

Aproveite para conhecer o curso de Metodologias Ágeis, disponível na Assinatura FM2S.

O Lean Startup ou Startup Enxuta desenvolve estratégias para agir de maneira precisa em cada produto que envolve desperdícios, sejam eles em dinheiro, tempo ou recursos. O Lean Startup tem como objetivo alcançar a maior qualidade possível, gerando um time-to-market (expressão usada para identificar o tempo gasto no processo de desenvolvimento de um produto, desde sua concepção até a hora de anunciá-lo para os clientes) mais imediato e com menor nível de incertezas.

Se você deseja saber mais sobre Lean Startup, confira também:

Qual é o objetivo de um Produto Mínimo Viável?

Segundo Eric Ries, que introduziu o conceito de produto mínimo viável, o objetivo de um MVP é: ser a versão de um novo produto que permite que uma equipe colete a quantidade máxima de aprendizado validado sobre clientes com o mínimo de esforço.

Três principais características de um produto mínimo viável:

  • Tem valor suficiente para que as pessoas estejam dispostas a usá-lo ou comprá-lo inicialmente.
  • Demonstra benefício futuro suficiente para reter os primeiros adotantes.
  • Ele fornece um loop de feedback para orientar o desenvolvimento futuro.

A equipe de desenvolvimento de um MVP não perderá tempo com nada além do mínimo, e criará todos os outros recursos ao longo do tempo, à medida que avaliarem os desejos e preferências dos clientes ao começarem a usar o produto.

Uma empresa pode optar por desenvolver e lançar um produto mínimo viável, porque sua equipe de produto deseja:

  • Lançar um produto no mercado o mais rápido possível;
  • Testar uma ideia com usuários reais antes de comprometer um orçamento grande para o desenvolvimento completo do produto;
  • Aprender o que ressoa com o mercado-alvo da empresa e o que não.

Além de permitir que sua empresa valide uma ideia para um produto sem precisar criar o produto inteiro, um MVP também pode ajudar a minimizar o tempo e os recursos que você pode comprometer na construção de um produto que não terá êxito.

O produto pode mudar de forma dramática ou até mesmo ser abandonado, pois o feedback dos usuários pode divergir significativamente do projeto original. No entanto, as equipes em desenvolvimento não desperdiçarão recursos (esforços, tempo, dinheiro, publicidade) em um produto que ninguém realmente deseja, precisa ou gosta.

Como definir seu Produto Viável Mínimo? [Passo a Passo]

Como você realmente desenvolve um produto viável mínimo e como sua equipe saberá quando você tiver um MVP pronto para o lançamento? Aqui estão algumas etapas estratégicas a serem seguidas.

Passo 1: Encontre um público alvo

A dica para encontrar um público alvo é criar uma Landing Page, página que possui elementos voltados à conversão do visitante em Lead. Um visitante comum vira um Lead a partir do momento em que ele fornece alguns dados de contato (como e-mail, telefone, etc.) por demonstrar interesse em adquirir um produto, neste caso, o MVP.

O objetivo da Landing Page é basicamente captar os Leads, que na teoria estão mais propensos em adquirir o seu produto, e usá-los no processo de validação do MVP.

Passo 2: Defina Medidas de Critério

Uma vez captado seus Leads, você deve agora retirar dados, ou seja, hipóteses de testes que serão usados no desenvolvimento do seu produto. A partir disso, serão definidos critérios que serão testados, expectativas de retorno e o perfil de clientes que o produto mais atrai.

Somente após os dois primeiros passos é que a sua equipe poderá pensar no desenvolvimento de um MVP. Caso você não consiga encontrar Leads ou definir critérios, expectativas e perfil de clientes que o seu produto atinge, será um grande desperdício de tempo, dinheiro e recursos desenvolver a sua ideia.

Passo 3: Verifique se o MVP planejado está alinhado com seus objetivos de negócios.

Garanta que o produto esteja alinhado com os objetivos estratégicos da sua equipe ou da sua empresa.

Quais são esses objetivos? Você está trabalhando para obter um número de receita nos próximos seis meses? Você tem recursos limitados? Essas perguntas podem afetar se agora é a hora de começar a desenvolver um novo MVP.

Além disso, pergunte a que finalidade esse produto mínimo viável servirá. Atrairá novos usuários em um mercado adjacente ao mercado de seus produtos existentes? Se esse é um dos seus objetivos de negócios atuais, esse plano de MVP pode ser estrategicamente viável.

Passo 4: Comece a identificar problemas específicos que deseja resolver ou melhorias que deseja ativar para a sua personalidade de usuário.

Agora que você determinou que seus planos de MVP estão alinhados com seus objetivos de negócios, comece a pensar nas soluções específicas que deseja que seu produto ofereça aos usuários. Essas soluções, que você pode escrever na forma de histórias não representam a visão geral do produto. Lembre-se, você pode desenvolver apenas uma pequena quantidade de funcionalidade para o seu MVP.

Você precisará ser estratégico ao decidir qual funcionalidade limitada incluir no seu MVP. Você pode basear essas decisões em vários fatores, incluindo:

  • Pesquisa de mercado;
  • Analise competitiva;
  • A rapidez com que você poderá iterar em certos tipos de funcionalidade ao receber feedback do usuário;
  • Os custos relativos para implementar as várias histórias ou épicos de usuários.

Passo 5: Traduza a funcionalidade do MVP em um plano de ação de desenvolvimento.

Agora que você avaliou os elementos estratégicos acima e se baseou na funcionalidade limitada que deseja para seu MVP, é hora de traduzir isso em um plano de ação para o desenvolvimento.

É importante ter em mente o V do MVP, ou seja, o produto deve ser viável. Isso significa que ele deve permitir que seus clientes adquiram um serviço ou projeto inteiro e deve fornecer uma experiência de usuário de alta qualidade. Um MVP não pode ser uma interface de usuário com muitas ferramentas e recursos parcialmente construídos, ele deve ser conciso.

Erros mais comuns ao criar um MVP

Embora o conceito de um produto mínimo viável possa parecer simples, alguns empreendedores ainda não entendem a ideia de um MVP. Na busca do produto perfeito, algumas empresas perdem o foco no valor principal e tentam incluir todos os recursos. Um MVP fica sobrecarregado com recursos, uma empresa perde seu dinheiro e falha em obter sucesso.

Outro erro é exagerar na filtragem dos recursos do produto e cortar as funções principais do produto. É importante entender que “um conjunto básico de recursos” não significa que você pode liberar um produto bruto. Você deve fornecer a seus usuários um produto viável e funcional que permita que os clientes concluam toda a jornada e alcancem seus objetivos.

Depois, você pode adicionar gradualmente mais recursos a ele. A regra de ouro aqui é que cada recurso extra ou cada nova versão do seu MVP ofereça uma solução melhor para seus clientes.

Exemplos de MVP’s

Airbnb

Sem dinheiro para construir um negócio, os fundadores do Airbnb usaram seu próprio apartamento para validar sua ideia de criar um mercado que oferece on-line casas de aluguel de curto prazo, ponto a ponto. Eles criaram um site minimalista, publicaram fotos e outros detalhes sobre suas propriedades e encontraram vários hóspedes pagantes quase que imediatamente.

Facebook

É difícil imaginar que o Facebook já foi um site com o único objetivo de conectar estudantes da Universidade de Harvard. Thefacebook (MVP do Facebook!), como era então chamado, era uma plataforma simples que conectava alunos das mesmas classes, permitindo que eles postassem mensagens em quadros compartilhados.

Uber

Quando o Uber foi lançado em 2009, ele funcionava apenas em iPhones ou via SMS, e estava disponível apenas em San Francisco. O MVP da Uber foi suficiente para provar que a ideia de um serviço de compartilhamento de viagens barato tinha um mercado. O aprendizado e os dados validados do primeiro aplicativo ajudaram a Uber a expandir os negócios rapidamente para onde eles estão hoje.

Se você se interessa por desenvolvimento de produtos, não deixe de conhecer a formação em gestão de projetos FM2S disponível em nossa Plataforma EAD. Acesse já!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *