Muri: uma nova maneira de pensar em produção

11 de maio de 2022
Última modificação: 10 de maio de 2022

Autor: Augusto Fontoura
Categorias: Lean

Você, por acaso, já ouviu falar sobre o termo Muri? E Muda e Mura? Caso você nunca tenha escutado, talvez pense que estamos falando em outra língua. Mas, calma, tudo vai fazer sentido ao decorrer deste artigo. 

Antes de tudo, lembra-se do sistema Toyota de Produção, o Toyotismo? Foi o sistema responsável por romper com o Fordismo da época. O novo sistema buscava mais organização e qualidade nos seus produtos.

Inclusive, foi a partir desse sistema que a filosofia Lean Thinking foi desenvolvida. Quer entender como tudo isso está ligado? Confira até o final para entender melhor sobre o assunto.

Muri, Muda e Mura e o Lean Thinking

Antes de falar mais especificamente sobre Muri, Muda e Mura, vamos entender um pouco melhor sobre o conceito de Lean Thinking (as coisas vão se encaixar ao decorrer da leitura).

Lean Thinking” é um termo que surgiu a partir de um livro de James P. Womack, professor do MIT nos anos 80. 

James estudou métodos produtivos de diferentes montadoras do ramo automobilístico para conseguir determinar quais eram as técnicas que conseguem maximizar ganhos e, ao mesmo tempo, minimizar falhas.

A partir de todo esse estudo foi desenvolvido o que conhecemos hoje como Lean Thinking. Nesta filosofia, são considerados os seguintes pilares:

  1. Valor – sob a visão do cliente
  2. Fluxo de valor – aquilo que faz impactar de forma positiva os consumidores
  3. Fluxo contínuo – determinar fluxo para os processos
  4. Produção puxada – processos iniciados somente quando o consumidor solicita
  5. Perfeição – processo de melhoria contínua

Esse conceito é utilizado no mundo todo, inclusive em muitas empresas brasileiras. O maior objetivo desta filosofia de produção é agregar mais valor aos clientes, gerando mais resultados e menos desperdícios/falhas. 

O que são muda, mura e muri?

Para implementar processos seguindo a filosofia de Leam Thinking é preciso compreender o que é Muri, Muda e Mura, pois esses conceitos são fundamentais para que tudo dê certo. 

Esses conceitos estão relacionados com os desperdícios na operação, como você verá a seguir:

Muda

Vamos começar pelo Muda, que é definido como qualquer atividade dentro de um processo – seja ele produtivo ou administrativo – que irá consumir recursos. Porém, esses processos não irão agregar valor ao consumidor. 

Segundo Taiichi Ohno, um dos criados do pensamento Lean Thinking, há dois tipos de muda: tipo 1 e tipo 2.

  1. Este tipo é sobre as atividades que não promovem nenhum valor, mas que são fundamentais e não podem ser eliminadas. Exemplo: atividades de inspeção.
  2. Estas atividades já podem ser eliminadas sem causar nenhum prejuízo. Exemplo: retrabalho.

Mura

Já a Mura é um conceito um pouco diferente. Aqui serão avaliadas as variações que podem proporcionar maior dificuldade no controle do processo. Sendo assim, é algo que precisa ser eliminado.

Quando houver qualquer mudança dentro de um processo é preciso que haja previsibilidade dos resultados. A Mura serve para indicar se está havendo algum desequilíbrio ou falta de padronização. 

O Mura ressalta que é importante criar novos processos, mas que eles devem ser padronizados e documentados, isso irá garantir que todos realizem da mesma maneira.

Muri

Enfim, o Muri é um conceito que trata sobre a sobrecarga, que envolve tanto pessoas quanto as máquinas. 

Para os colaboradores, a sobrecarga pode ser mental ou física. No caso das máquinas, é sobrecarregar na produtividade além do que elas podem produzir.

O resultado dessa sobrecarga? Menor qualidade, equipe cansada, mais gastos com manutenção das máquinas, linhas de produção paradas e assim por diante.

É importantíssimo que as empresas entendam como o bem-estar dos colaboradores influencia na produção. O termo Muri trata exatamente sobre esse ponto. 

Equipes mal gerenciadas e sobrecarregadas tendem a trabalhar mal e gerar retrabalho.

As máquinas, por sua vez, são prejudicadas em seu próprio funcionamento. O resultado disso tudo não é maior produtividade, mas, sim, produtos de má qualidade, equipe desmotivada, desperdícios e retrabalho. 

Como Muda, Mura e Muri se relacionam?

Você irá notar que Muda, Mura e Muri estão sempre juntas. Esses três termos caminham juntos e estão relacionados.

Quando um processo está sem padrão (Mura) ocorre a sobrecarga de pessoas e máquinas (Muri) e tudo isso, por sua vez, promove o aparecimento de diversas atividades que não agregam valor para o processo produtivo (Muda).

Sendo assim, não adianta tratar esses conceitos de forma diferente. É importante considerar todos na sua estratégia para evitar qualquer tipo de desperdício e começar a apostar somente naquilo que irá agregar valor ao cliente.

Os objetivos de implementar Muda, Muri e Muri no dia a dia da empresa são diversos, entre eles a redução de variação que causa prejuízo, maior controle da operação, previsibilidade, processos sem sobrecargas e maior qualidade. 

O ideal é que você estude mais detalhadamente sobre cada um desses termos para que consiga identificar cada um deles no seu processo. 

Quanto mais você demorar para fazer isso, mais caótico se tornará o cenário (os erros e desperdícios vão se acumulando e virando uma bola de neve). 

Como elaborar um plano de ação 

Como colocar tudo isso em prática? É preciso elaborar um plano de ação para que o Muda, Muri e Mura tenham efetiva influência nos processos da sua empresa. 

Primeiramente, é preciso se familiarizar melhor com tudo isso. Este artigo traz informações importantes, mas é recomendado estudar mais detalhadamente, ver casos de sucesso e assim por diante para conseguir tornar isso mais palpável. 

O primeiro passo para você começar a implementar esses conceitos na sua empresa é fazer uma avaliação detalhada de cada processo.

Isso não é, nem de longe, um processo simples ou rápido. Se você deseja reformular de forma eficiente é preciso conhecer muito bem cada detalhe para saber onde estão os gargalos da operação.

Não deixe de conversar com toda a equipe. E quando falamos em “toda”, queremos realmente dizer a todos aqueles que estão envolvidos, até mesmo de forma indireta. 

Quem está vivenciando na prática saberá dizer de forma mais assertiva sobre o procedimento e desenhar cada um das etapas. Somente dessa forma você conseguirá identificar onde você consegue cortar os desperdícios. 

Considerando a necessidade da produtividade e todas as facilidades que o Muri, Muda e Mura irão promover na sua empresa, o melhor que você pode fazer pela sua lucratividade é começar a implementar esses termos. 

As empresas que não se atentam à gestão, à melhoria contínua e qualidade de processos irão, com toda a certeza, ficar para trás. 

A concorrência está muito alta e é fundamental ter um produto excelente, mas que seja produzido com o mínimo possível (lembrando que o objetivo é cortar aquilo que não agrega).

Lembrando que nem sempre a melhor ideia é fazer tudo isso sozinho, há consultorias especializadas que saberão identificar quais são os gargalos da sua operação de forma eficiente.

A equipe saberá dizer quais são os pontos de melhoria que mais trarão retorno para a sua operação e, consequentemente, empresa.

Enfim, espero que tenha entendido um pouco mais sobre os conceitos de Muri, Muda e Mura, bem como a importância dessa filosofia para o dia a dia da sua empresa. E aí, vamos colocar em prática?

Leia Mais:

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.