Lean (Indústria e Serviços)

24 de junho de 2021
Última modificação: 24 de junho de 2021

Autor: G Pizzo
Categorias:

A FM2S ajuda os seus clientes por meio do Lean a aumentar a sua capacidade produtiva, sua produtividade e progredir nos seus objetivos de maneira sustentável. Nossos especialistas na metodologia trabalham lado a lado com a liderança da empresa, desenvolvendo mudanças enxutas para os mais diversos objetivos.

A metodologia foca principalmente em engajar cada um dos colaboradores da empresa (especialmente do chão de fábrica) a reduzir os desperdícios do dia a dia, aumentando a produtividade, a qualidade e, consequentemente, reduzindo os custos. Para que isso aconteça, é necessário que cada um tenha em mente, de forma clara, a meta da empresa, além de tempo e métodos para atingi-la.

O Lean compila várias pequenas melhorias feitas por todos para, no final, atingir uma meta estratégica, aumentando radicalmente a competitividade da empresa.

 

Como chegar nesse mundo ideal?

Apesar de parecer utópico, a transformação para o Lean é extremamente prática.

Uma maneira descomplicada de entender isso é pensar numa dinâmica simples: imagine que, todos os dias, os colaboradores de sua empresa se reúnem de manhã, discutem a sua meta de produtividade e eventuais problemas que poderiam impedi-los de atingi-la. Isso permite que eles resolvam os pontos que vão minar a produtividade. Coisas como um “item faltante”, “falta de comunicação” ou então “não sei o que fazer” iriam ser rapidamente resolvidas. A liderança, mais experiente, apenas dá o suporte e força necessários para que usem ferramentas e assim resolvam problemas cada vez mais complexos. Ensina-os a pescar, não apenas lhes dá as soluções. Dessa forma toda a empresa passa a aprender continuamente, melhorando sempre.

São essas pequenas mudanças, colocadas no tempo de uma maneira lógica, que vão fazer a transformação. São vários passos, onde as vitórias (de curto prazo) ajudam a aumentar a moral do programa de Lean, engajando mais e mais pessoas na transformação.

 

Como a Consultoria Lean da FM2S pode ajudar a sua empresa neste processo?

Nós sabemos exatamente qual passo dar primeiro, de maneira a chegar onde precisa. Podemos ajudá-lo, até mesmo, a entender onde quer chegar. A estruturação de uma sequência de mudanças na operação que irá atingir metas e transformar a cultura da empresa é a nossa melhor expertise.

Além disso, podemos realizar trabalhos pontuais de Lean, usando ferramentas clássicas (como o VSM, 5S, eventos kaizen, etc.) para ajudá-lo a mapear a capacidade produtiva, engajar os colaboradores e buscar transformações pontuais.

Sócio responsável:
Murilo Ferreira Marques dos Santos

Conheça nossas expertises:

Dúvidas?
Entre em contato conosco agora mesmo

Deixe seu comentário

lean
17 de dezembro de 2015
Última modificação: 17 de dezembro de 2015

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Blog

O que é o Lean?

Lean é um conjunto de ferramentas para ajudá-lo a identificar e eliminar as perdas (muda), melhorar a qualidade e reduzir os custos e tempos de produção.

Muitas pessoas dizem especialistas Lean e bradam aos quatro ventos seus conhecimentos. No Linkedin mesmo, é fácil ver a enxurrada de consultorias e consultores independentes que são Lean Six Sigma specialists.

O problema, porém, é que poucos destes se deram ao trabalho de se aprofundar nos estudos sobre este assunto já tem mais de meio século. Quando pergunto aos especialistas deste calibre quais livros de Lean eles recomendam, fico pasmo. 90% deles me recomendam os batidíssimos “A máquina que mudou o mundo”, “Aprendendo a Enxergar” e a “Mentalidade Enxuta”.

O que você gostaria de saber sobre o Lean?

Aplicações Lean

Conceitos Lean

Kaizen

TPM

Projetos Lean

Como aprender Lean? Veja nossos cursos

Presencial

Cursos Online

Cursos Lean Grátis

O que os livros falam sobre o Lean?

Todos estes livros são bons e interessantes, mas para mim, não bastam. Para instiga-los, pergunto se leram Taiichi Ohno e, eles me respondem com aquele ar de sabedoria: “Sim, o cara da Toyota né?” Sim, o cara da Toyota. Mas vocês o leram? Sim, os livros de Lean falam dele. Aí, insisto: “E Liker?” Quem? Virgilio, não tenho tempo para ficar lendo livros. Tenho vida após o trabalho e, este ano já tive que ler um livro que meu chefe me pediu. Posto isto, me pergunto: há diferença entre tempo de aprender, trabalhar e ter lazer? Estamos na era da revolução industrial ainda? Onde o capitalista compra o tempo das pessoas e, o pouco que lhe sobra, é exclusivo para a “vida pessoal” e o “lazer”. Achei que estávamos na década de 80, mas não em 1900.

Definitivamente não me enquadro nesta Estatística. Sou mais alinhado ao escritor italiano Domenico De Masi e penso que o tempo que eu tenho, eu vivo. Para mim, tenho que utilizar este tempo para cumprir meus objetivos e fazer o que gosto. Meu dia não é dividido em horas x, y e z.  Por isto, gosto de aprender bem um assunto, principalmente se este irá me ajudar a sair de situações complicadas e me trará retorno financeiro. E como você deve ser parecido comigo, caro leitor, escreverei neste artigo um pouco sobre o que aprendi sobre Sistema Toyota de Produção e sobre Lean.

Qual é a definição popular de Lean?

Para muitas pessoas, Lean é um conjunto de técnicas, que quando combinadas e implantadas, irão permitir a empresa reduzir, e então, eliminar as sete perdas. Este sistema não apenas fará sua empresa mais enxuta, mas também a tornará mais flexível e mais ágil para reduzir as perdas.

O que é Lean para o Wikipedia?

Já a Wikipedia diz que Lean é um conjunto de ferramentas para ajuda-lo a identificar e eliminar as perdas (muda), melhorar a qualidade e reduzir os custos e tempos de produção. Os termos japoneses surgidos da Toyota estão intimamente relacionados ao Lean. Para resolver o problema de perda, o Lean Manufacturing possui várias ferramentas à disposição. Entre elas, há a melhoria contínua de processos (kaizen), os 5 porquês e o sistema à prova de erros.

Chama-se Lean, porque no final, o processo pode ter como resultado:

  • Utilizar menos material;
  • Necessitar de menos investimento;
  • Trabalhar com um estoque menor;
  • Utilizar menos espaço e;
  • Utilizar menos pessoas.

Espaço Lean

Como é o Lean de fato?

Um processo Lean é aquele que se caracteriza pelo fluxo e pela previsibilidade que reduz severamente as incertezas e o caos típicos das plantas industriais. Isto não é apenas um processo enxuto financeira e fisicamente, é um processo enxuto também emocionalmente. Trabalhar em empresas que se assemelham ao verdadeiro Vietnã, em que bombas explodem a todo o momento, cercado de ordens ríspidas dos generais, não é salutar para ninguém.

Ninguém merece trabalhar em meio a ordens do tipo “vira para cá”, “vira para lá”, “agora freia”. Isto causa doenças ou no mínimo, desmotivação total ou uma quase depressão. Em empresas Lean, as pessoas trabalham com uma confiança e paz muito maior do que as existentes nos ambientes caóticos. Mudar o plano de hora em hora, trabalhar até depois do horário e ficar clamando por acelerar tudo, não é algo que acontece numa empresa Lean.

Uma fábrica cheia de “ferramentas” Lean que só existem nas apresentações Power Point, na matriz de habilidades ou no discurso da gerência, não é uma fábrica Lean.

O que Taiichi Ohno dizia sobre o Sistema Toyota de Produção?

Para entender realmente o que o conceito Lean, ou sua melhor aplicação (Sistema Toyota de Produção), nada melhor do ler o que seu criador tem a falar. Para mim, quando vejo qualquer texto no internet sobre Lean que acho meio estranho, corro para o ver o que o oráculo Taiichi Ohno falava sobre o tema. É nos seu “The Toyota Production System, Beyond Large-Scale Production” que eu verifico se o que li é verdade, ou mera abstração. Nele, Ohno faz várias declarações que, quando colocadas em conjunto, definem o STP.

  • “A base do Sistema Toyota de Produção é a eliminação absoluta do desperdício.” (pg. 4);
  • “Redução de custos é a meta.” (pg. 8);
  • “Após a Segunda Guerra Mundial, nossa maior preocupação era como produzir bens de alta qualidade. Após 1955, entretanto, a questão tornou-se como produzir exatamente a quantidade que o cliente queria.” (pg. 33).

Juntando tudo isto, podemos definir o TPS como um sistema de produção em que o sistema de controle de quantidade, baseado no fundamento da qualidade, tem como meta a redução dos custos e, para isto, deve-se buscar a eliminação absoluta de desperdícios.

O que é Lean para nós?

Todas estas definições até aqui, são importantes, mas lhe falta parte da essência do Lean. Nós gostamos de definir Lean como um sistema de produção que:

  • Foca no controle da quantidade produzida para reduzir o custo por meio da eliminação de desperdícios;
  • Tem como fundamentos a qualidade do processo e do produto;
  • É completamente integrado;
  • Evolui continuamente; e
  • É perpetuado por meio de uma cultura forte, que é gerenciada de forma consciente, contínua e consistente.
  • E quem desenvolveu o Sistema Toyota de Produção?

A principal figura aceita por trás do STP foi Taiichi Ohno, o engenheiro chefe da Toyota por muitos anos. Porém, outras contribuíram muito para seu desenvolvimento, como Shingeo Shingo e os membros da família Toyoda. Por ser o mais preocupado em relatar e escrever sobre o tremendo sistema de produção criado, Ohno atrelou seu nome à criação. Hoje, podemos dizer que temos um imenso débito com estes senhores que tanto fizeram pela manufatura e pelas empresas em geral.

Quais os Pilares do Sistema Toyota de Produção?

Ohno descreve o sistema como um compilado de várias técnicas que foram desenvolvidas para reduzir os custos de produção. Seu método de redução de custos é eliminar o desperdício. E,  este sistema de eliminação de desperdícios, é suportado por dois pilares:

O que é Just in time?

O objetivo desta técnica é suprir a quantidade certa no tempo e nos lugares corretos. É o controle de quantidade. Este técnica é literalmente o coração do STP. Muitas pessoas encaram este pilar como controle de estoque, e isto é parte dele. Entretanto, JIT é muito mais do que um sistema para controlar o inventário. O que é surpresa para um grande número de “especialistas” é que no coração do JIT, está o profundo entendimento e controle da variação. É mágico como os japoneses ouviram o Saber Profundo de Deming e levaram à sério.

O que é Jidoka?

Jidoka é uma série de temas culturais e técnicos a respeito da utilização de máquinas e mão de obra juntas. O pilar sugere a utilização das pessoas somente nas tarefas que elas estão aptas a desempenhar e a busca para que as máquinas autorregular sua qualidade.  Técnicamente, jidoka utiliza táticas como o poka-yoke (métodos a prova de erros), andons (controles visuais como luzes para indicar o status e as anomalias nos processos) e 100% das inspeções feitas pelas próprias máquinas. O conceito defende que nenhuma peça defeituosa deverá progredir na linha de produção.

Isto não é determinado apenas para proteger os clientes e reduzir os custos de refugo, mas sim uma ferramenta de melhoria continua e o elemento chave pelo qual o kanban irá funcionar. Permitir que peças boas caminhem pela linha, é uma violação da lógica kanban.

E para concluir, espero que tenham gostado deste post mais detalhado e esclarecedor sobre o Lean. A partir de agora, vamos focar numa redação mais técnica sobre o assunto, calcada nas fontes teóricas e em nossa aplicação prática nos diversos projetos que atuamos. No próximo, vamos falar sobre as perdas. Abordados no Green Belt e Black Belt.

Quais os 14 Princípios do Sistema Toyota de Produção?

tal quais os 14 pontos de Deming, a Toyota também possui um conjunto de 14 Princípios do seu modelo de gestão. Vocês sabem quais são? No artigo de hoje vamos mostrar quais são os 14 Princípios do Modelo Toyota. Depois, trataremos de cada um deles mais detalhadamente nos post subsequentes. Espero que gostem.

  1. Basear as decisões administrativas em uma filosofia de longo prazo, mesmo em detrimento de metas financeiras de curto prazo.
  2. Criar um fluxo de processo contínuo para trazer os problemas à tona.
  3. Usar sistemas puxados para evitar a superprodução.
  4. Nivelar a carga de trabalho (heijunka). (Trabalhar como a tartaruga e não como a lebre).
  5. Construir uma cultura de parar e resolver os problemas, obtendo a qualidade logo na primeira tentativa.
  6. Tarefas padronizadas são a base para a melhoria contínua e a capacitação dos funcionários.
  7. Usar controle visual parar que nenhum problema fique oculto.
  8. Usar somente tecnologia confiável e completamente testada que atenda aos funcionários e processos.
  9. Desenvolver líderes que compreendam completamente o trabalho, que vivam a filosofia e a ensinem aos outros.
  10. Desenvolver pessoas e equipes excepcionais que sigam a filosofia da empresa.
  11. Respeitar sua rede de parceiros e de fornecedores desafiando-os e ajudando-os a melhorar.
  12. Ver por si mesmo para compreender completamente a situação (genchi genbutsu).
  13. Tomar decisões lentamente por consenso, considerando completamente todas as opções; implementá-las com rapidez.
  14. Tornar-se uma organização de aprendizagem por meio da reflexão incansável (hansei) e da melhoria contínua (kaizen).

Bom, agora que já sabem os princípios da Toyota, dou uma sugestão. O imprima e o coloque próximo a sua mesa, para que ao tomar decisões ou agir você lembre-se deles. A cultura da empresa é feita de princípios e, a cultura é aquilo que os funcionários fazem quando a direção e a gerência não estão vendo. Qual é a cultura da sua empresa? E os princípios? Tem orgulho dela? Boa reflexão. Todos princípios abordados no Green Belt, Black Belt e Lean.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *