ERP – Enterprise Resources Planning

04 de dezembro de 2019
Última modificação: 04 de dezembro de 2019

Autor: Guilherme Mendes
Categorias: Blog

Introdução

Para entender melhor como as soluções de ERP podem transformar seus negócios, sendo esta uma ferramenta de qualidade e melhoria de processos, primeiramente é melhor entender o que ele é e como funciona. Antes de discorrer sobre esse assunto, é importante que você acesse conhecimentos prévios ao ERP, que nada mais é do que um desdobramento mais específico de um outro sistema, o MRP. Portanto, para uma compreensão mais sólida desses conceitos, recomendamos as seguintes leituras:

Dentre os diversos softwares que auxiliam a engenharia, você provavelmente encontrará ERP e MRP. Muitas definições dessas categorias de software não incluem muita diferenciação entre as duas, o que pode tornar o processo de escolha de um sistema bastante confuso. Sem mencionar o fato de que eles são apenas uma carta um do outro e que ambos lidam fortemente com a indústria de transformação.

Apesar de suas semelhanças, é de extrema importância saber diferenciar esses conceitos para saber qual é o sistema mais adequado ao seu negócio. Então, vamos começar com algumas definições.

O que é ERP?

O ERP, ou planejamento de recursos empresariais (enterprise resources planning), é um sistema de software modular projetado para integrar as principais áreas funcionais dos processos de negócios de uma organização em um sistema unificado.

Um sistema ERP inclui componentes principais de software, frequentemente chamados de módulos, que se concentram em áreas essenciais de negócios, como finanças e contabilidade, RH, gerenciamento de produção e materiais, gerenciamento de relacionamento com clientes (CRM) e gerenciamento da cadeia de suprimentos. As organizações escolhem quais módulos principais usar com base nos que são mais importantes para seus negócios em particular.

Qual o diferencial do ERP?

O que distingue principalmente o software ERP do software direcionado autônomo – que muitos fornecedores e analistas do setor chamam de melhores soluções – é um banco de dados central comum a partir do qual os vários módulos de software ERP acessam informações, algumas das quais são compartilhadas com os outros módulos envolvidos em um determinado processo de negócios. Isso significa que as empresas que usam o ERP são em grande parte poupadas de ter que fazer entradas duplas para atualizar as informações porque o sistema compartilha os dados, permitindo uma maior precisão e colaboração entre os departamentos da organização.

As opções de implementação desse sistema incluem local, nuvem e uma mistura dos dois, chamados híbridos, como plataforma como serviço (PaaS) e infraestrutura como serviço (IaaS). Embora o ERP tenha sido historicamente associado a implementações caras, monolíticas e de ponta a ponta, as versões em nuvem agora permitem implantações mais fáceis, das quais as PMEs (pequenas e médias empresas) estão se beneficiando em maior número.

Alguns sistemas ERP também oferecem recursos de última geração, como IA, IoT e análises avançadas, para promover a transformação digital. As empresas geralmente recorrem a um sistema ERP quando superam planilhas e sistemas de software díspares, geralmente isolados, e precisam dos recursos unificadores de um sistema ERP para permitir o crescimento. Como em muitos produtos de tecnologia, a definição específica do que constitui o ERP pode variar amplamente de fornecedor para fornecedor.

Funcionamento do ERP

Estes sistemas contam com um banco de dados relacional centralizado, que coleta informações de negócios e as armazena em tabelas. O armazenamento centralizado dos dados permite que os usuários finais, como finanças, vendas e outros departamentos, acessem rapidamente as informações desejadas para análise.

Em vez de funcionários de departamentos diferentes gerenciarem suas próprias planilhas e relatórios, o próprio sistema permite gerar relatórios a partir de um único sistema centralizado. As informações atualizadas em um módulo ERP, como CRM, RH e finanças, são enviadas para um banco de dados compartilhado central. As informações apropriadas no banco de dados central são compartilhadas com os outros módulos.

Importância do ERP

Os especialistas listam quatro importantes benefícios comerciais:

  • Economia de custos de TI;
  • Eficiência do processo de negócios;
  • Uma plataforma de processos de negócios para padronização de processos;
  • Um catalisador para a inovação nos negócios.

Embora as empresas geralmente se concentrem nas duas primeiras áreas porque são fáceis de quantificar, as duas últimas áreas podem criar maior impacto para as empresas.

O sistema disponibiliza dados comerciais em tempo real em toda a organização, o que permite que as empresas se adaptem rapidamente e respondam às mudanças. Os dados comerciais disponíveis no ERP fornecem uma tomada de decisão mais informada dentro de uma empresa. Este sistema também podem compartilhar dados com parceiros e fornecedores para melhorar a eficiência na cadeia de suprimentos.

Benefícios dos sistemas ERP

Ele oferece uma infinidade de benefícios, a maioria dos quais vem do compartilhamento e padronização de informações. Como os componentes do ERP podem compartilhar dados com mais facilidade do que sistemas diferentes, eles podem facilitar o gerenciamento de processos de negócios entre departamentos diariamente. Eles também podem oferecer melhores informações a partir dos dados, especialmente com as tecnologias mais recentes que muitos sistemas ERP incluem, como análises poderosas, aprendizado de máquina e recursos de IoT industriais.

Além disso:

  • aumenta a eficiência automatizando a coleta de dados;
  • permite o crescimento dos negócios, gerenciando processos de negócios cada vez mais complexos;
  • ajuda a diminuir o risco, permitindo uma melhor conformidade;
  • promove a colaboração usando o compartilhamento de dados e informações integradas;
  • fornece melhor inteligência de negócios e recursos de atendimento ao cliente;
  • melhora o gerenciamento da cadeia de suprimentos.

Vantagens e Limitações

Muitos consideram que o software de ERP é um requisito para as empresas – especialmente para funções essenciais de negócios, como finanças – e o mesmo se aplica às PMEs em crescimento. O grande volume de dados que as empresas geram, juntamente com a complexidade do cenário global de negócios e as demandas modernas dos consumidores, tornaram a racionalização dos processos de negócios e o gerenciamento e otimização de dados cada vez mais críticos. Um sistema de software ERP normalmente está no centro de tais recursos.

Dito isto, existem vantagens e limitações na implementação do enterprise resources planning.

Vantagens:

  • Pode economizar dinheiro a longo prazo, simplificando os processos;
  • Fornece um sistema unificado que pode reduzir as despesas relacionadas à TI e os custos de treinamento do usuário final;
  • Permite maior visibilidade de inúmeras áreas de negócios, como estoque, essenciais para atender às necessidades dos clientes;
  • Permite melhores relatórios e planejamento devido a melhores dados;
  • Oferece melhor conformidade e segurança de dados, além de dados aprimorados, backup e capacidade de controlar os direitos do usuário.

Limitações

  • Pode ter um alto custo inicial;
  • Pode ser difícil de implementar;
  • Requer gerenciamento de alterações durante e após a implementação.

Os módulos básicos de ERP básicos podem ser menos sofisticados em comparação com o software independente e direcionado. As empresas podem exigir módulos adicionais para maior controle e melhor gerenciamento de áreas específicas, como a cadeia de suprimentos ou os recursos de relacionamento com o cliente.

Agora que definimos claramente as fronteiras desse sistema, vamos estabelecer um paralelo entre o ERP e o MRP.

MRP e ERP: Quais são as maiores diferenças?

Pode ser difícil diferenciar entre ERP e MRP, principalmente por causa de suas siglas semelhantes e de sua presença mútua na indústria de transformação. No entanto, eles têm muitas distinções que afetam como exatamente são usados em um negócio. Vamos dar uma olhada em algumas das discrepâncias mais significativas entre MRP e ERP:

Autonomia e Integração

A maior diferença entre MRP e ERP reside no fato de que o MRP é mais um software solo, enquanto o ERP é integrado. Isso significa que o ERP pode se conectar facilmente a outros sistemas e módulos de software. Alguns sistemas MRP podem ser combinados com outros softwares, mas é um processo mais difícil do que com um ERP. O ERP pós-moderno é altamente modular, portanto, as empresas podem escolher quais aspectos do software são os mais adequados e reservar apenas dinheiro e espaço para esses recursos. Eles podem suportar vários módulos para controle total dos negócios. Por outro lado, os sistemas MRP são independentes e funcionam sozinhos apenas com ferramentas relacionadas à fabricação.

Usuários

O tipo de pessoa que usa cada sistema também varia drasticamente também. Como um ERP é padrão entre muitos setores e é tratado por muitos departamentos, não há um limite sobre quem são os usuários de software ERP. Como os sistemas MRP são exclusivos das operações de fabricação, as pessoas que os utilizam geralmente estão naquele departamento de uma empresa.

Custo

Uma diferença significativa e essencial entre os sistemas ERP e MRP é que o ERP é uma opção mais cara. Quando você considera o fato de que o ERP pode executar funções para várias facetas de uma empresa, em vez de apenas fabricar, faz sentido que seja uma solução mais cara. Isso não é dito com a intenção de descontar o fato de que sistemas eficazes de MRP também possuem um custo, mas deve-se observar que o ERP é normalmente mais caro.

Escopo

Como mencionado anteriormente, o ERP e o MRP são diferentes devido à variedade de recursos que eles oferecem. O MRP é uma solução mais simples que o complexo ERP. O software de planejamento de requisitos de material concentra-se apenas na fabricação, enquanto o ERP contém uma variedade de soluções destinadas a facilitar diversos processos de negócios, como contabilidade e RH. O MRP é um componente crucial do ERP, mas, dependendo das necessidades da empresa, pode não ser o processo mais crítico no pacote.

Se uma empresa está procurando uma solução que engloba uma variedade de processos de negócios, o ERP é definitivamente a escolha certa. No entanto, pode ser um exagero para empresas que precisam apenas de uma solução de fabricação.

Aproveite e confira os conteúdos relacionados:

Dê um diferencial no seu currículo e ganhe destaque nas entrevistas, conheça nossa Plataforma EAD.

Deixe seu comentário

um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *