WCM: quais as barreiras na implementação de suas práticas?

15 de fevereiro de 2019
Última modificação: 15 de fevereiro de 2019

Autor: Paula Louzada
Categorias: Blog, Melhoria de Processos

Você conhece as dificuldades para implementação das práticas de WCM?

A crescente competitividade global e o crescente número de concorrentes no dia-a-dia forçaram a manufatura a melhorar seu desempenho para sobreviver nesse tipo de ambiente crítico. Assim, as organizações de manufatura estão implementando abordagens de World Class Manufacturing  (WCM) para melhorar seu desempenho. O termo “manufatura de classe mundial” (World Class Manufacturing) foi cunhado por Hayes e Wheelwright. O WCM é geralmente caracterizado por três estratégias principais: foco no cliente, qualidade e agilidade e seis competências de suporte, como envolvimento dos funcionários, gerenciamento de suprimentos, tecnologia, desenvolvimento de produtos, responsabilidade ambiental e segurança dos funcionários e cidadania corporativa.

A implementação de práticas de WCM depende de vários fatores críticos como comprometimento da alta administração, cultura organizacional, motivação, trabalho em equipe, comprometimento dos funcionários, educação e treinamento, recursos financeiros adequados, liderança adequada etc. Além disso, existem várias barreiras o que inibe a implementação bem-sucedida de práticas de fabricação de classe mundial que precisam ser abordadas de forma mais eficaz para implementá-las com mais êxito. Assim, o objetivo principal deste artigo é realizar uma análise exaustiva da literatura sobre as barreiras que inibem a implementação bem-sucedida de práticas de fabricação de classe mundial.

A seguir analisaremos as barreiras de diferentes práticas de WCM, tais como Gerenciamento de Qualidade Total (TQM), Manutenção Produtiva Total (TPM), 5S, Lean, JIT, Supply Chain Management.

Barreiras na implementação do TQM:

A falta de pessoal qualificado, baixa mentalidade de oferta, falta de comunicação eficaz, custo extra e demorado, falta de suporte da alta administração, dificuldades na mensuração, nível de implementação da TQM são uma barreira chave a implementação do TQM nas indústrias.

Além da falta de comprometimento da alta gerência, alta rotatividade no nível gerencial. A atitude dos funcionários em relação à qualidade, falta de treinamento e educação adequados, falta de coordenação entre departamentos, barreira de recursos humanos, ausência de benchmarking, planejamento inadequado e resistência do empregado a mudar como as barreiras que afetam a implementação do TQM em organizações de serviços.

Barreiras na implementação do 5S:

Há várias barreiras em relação à implementação do 5S tais como: falta de comprometimento da alta administração, restrições financeiras, falta de consciência do 5S, falta de planejamento estratégico do 5S, falta de comprometimento do empregado, resistência à mudança e adoção, falta de cooperação / trabalho em equipe, falta de educação e treinamento, falta de motivação, incapacidade de mudar a cultura organizacional, falta de clareza da política da organização e programa 5S, falta de comunicação, falta de visão e missão, falta de liderança, conflito com outro sistema de gestão da qualidade. Fica assim, evidente, a necessidade do gerenciamento encurtar as linhas de comunicação para implementar a metodologia 5S com mais sucesso.

Barreiras na implementação do TPM

As barreiras mais evidentes são: a falta de comprometimento da alta gerência, resistência à mudança organizacional, falta de vontade de comprometer recursos, não envolvimento de pessoal não administrativo, cultura de trabalho, falta de conhecimento sobre TPM, resistência por parte dos funcionários, comprometimento de longo prazo da administração e dos funcionários, necessidade de treinamento. É possível classificar as barreiras do TPM em várias categorias, ou seja, barreiras organizacionais, culturais, comportamentais, tecnológicas, operacionais, financeiras e departamentais.

Barreiras na implementação da Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM)

Na implementação do SCM, há barreiras como a falta de incentivo à organização; má qualidade dos recursos humanos; concorrência de mercado e incerteza; falta de sistema de apoio governamental; falta de comprometimento da alta administração; implicações de custo; relutância do fornecedor em mudar e desconhecimento dos clientes.

Especialistas afirmam a existência de duas categorias de barreira na implementação de práticas de gestão ambiental da cadeia de suprimentos.

Essas duas categorias incluem barreiras internas e externas. As barreiras internas contêm custo e falta de legitimidade. Enquanto as barreiras externas abrangem a regulamentação, comprometimento insuficiente do fornecedor e barreiras específicas da indústria. Deve-se destacar também a falta de investimento, falta de tecnologia para agendamento, barreiras tarifárias, falta de colaboração entre parceiros comerciais, integração insuficiente de tecnologias de gerenciamento da cadeia de suprimentos são os principais obstáculos na gestão da cadeia internacional de suprimentos em geral.

Barreiras na implementação de manufatura enxuta (Lean)

Destacam-se falta de pessoas qualificadas, falta de conscientização, cultura da empresa, programa de treinamento ineficiente, falta de entendimento, falta de critérios efetivos de mensuração, resistência dos funcionários e falta de recursos como principais entraves na implementação de manufatura enxuta nas indústrias.

Barreiras na implementação da JIT

É possível caracterizar as barreiras do JIT em diferentes categorias como barreiras culturais, envolvimento do funcionário e barreiras de comprometimento, barreiras relacionadas à qualidade, barreiras relacionadas ao layout de planta e equipamento, barreiras relacionadas ao processo / sistema de produção e barreiras relacionadas ao gerenciamento de inventário. Observa-se também que a falta de compromisso e apoio da alta gerência, falta de treinamento e educação, restrições financeiras, resistência dos funcionários, planejamento e layout deficientes das instalações, diferença cultural organizacional, previsões de vendas ruins como as principais barreiras à produção do JIT.

Como identificar as barreiras na prática do WCM?

Ao analisar as diferentes práticas de fabricação, como SCM, 5S, TPM, TQM, JIT e manufatura enxuta, verifica-se que existe uma categoria comum de barreiras em todas as práticas de fabricação de classe mundial. Essas barreiras são as seguintes:

Falta de conhecimento:

A falta de conhecimento sobre as práticas de fabricação de classe mundial também arruína os esforços das organizações. A alta gerência deve providenciar treinamento adequado sobre os conceitos, razões para implementar o programa.

Falta de suporte da alta gerência

A implementação bem-sucedida de qualquer programa de gerenciamento depende do compromisso e do apoio da alta administração. Assim, alta gerência da organização deve desenvolver planos, políticas e procedimentos para implementar o programa desejado.

Resistência dos funcionários à mudança:

O apoio dos funcionários é muito necessário para implementar com sucesso o novo programa de gerenciamento da qualidade. Uma vez que, sem seu suporte contínuo e cordial, um programa não pode ser implementado com sucesso.

Falta de educação e treinamento:

Os funcionários que trabalham na organização devem ter conhecimento adequado sobre o programa a ser implementado. Por isso, a alta gerência da organização deve conduzir programas adequados de educação e treinamento para os funcionários.

Falta de planejamento estratégico:

A alta administração da organização deve desenvolver um plano estratégico adequado para implementar o novo programa. Porque, a falta de planejamento adequado pode resultar em falha do programa a ser implementado.

Falta de motivação dos funcionários:

A motivação dos funcionários é um fator crítico na implementação efetiva de quaisquer práticas de gerenciamento. Visto que, isso permite que os funcionários participem efetivamente do programa de implementação. A ausência de motivação pode levar ao fracasso do programa de implementação do WCM.

Não clareza do objetivo organizacional:

A alta administração da organização deve comunicar adequadamente os objetivos para a implementação do novo programa. Pois, se os funcionários não souberem o objetivo da implementação do programa, eles não participarão com entusiasmo do programa.

Restrições financeiras:

A organização deve adequar seus recursos financeiros, já que eles são necessários para conduzir programas de treinamento e fornecer os recursos necessários.

Cultura organizacional ineficiente:

A cultura predominante da organização tem um grande impacto na implementação de qualquer novo programa de gestão. A cultura organizacional deve apoiar a implementação de um novo conceito, possibilitando a implementação do WCM.

Técnicas de medição de desempenho ineficientes:

As organizações precisam medir a eficácia do programa implementado com a ajuda de abordagens de medição apropriadas. Pois, se a organização medir seu desempenho de forma errônea, não conseguirá melhorar seus problemas.

E então, qual a conclusão?

Neste artigo enumeramos as principais barreiras na implementação de práticas do WCM. Mostramos, também, que a alta gerência da organização deve desenvolver estratégias adequadas para enfrentá-las de maneira eficaz, caso contrário elas podem levar ao fracasso do programa de implementação. Essas barreiras são gerais para qualquer tipo de organização de fabricação. Contudo, essas barreiras podem diferir de organização para organização e sua intensidade pode, também, variar. A alta gerência precisa identificar as barreiras existentes em suas organizações para que a implementação das práticas do WCM sejam realizadas de maneira mais eficaz.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − sete =