O que são as Cinco Forças de Porter? Como utilizá-las?

cinco forças de porter
24 de abril de 2017
Última modificação: 24 de abril de 2017

Autor: Virgilio Marques Dos Santos
Categorias: Blog, Melhoria de Processos

O que são as Cinco Forças de Porter?

As Cinco Forças de Porter é uma ferramenta simples, mas poderosa para entender aonde o poder está em uma negociação. Isso é útil, porque o ajuda a entender tanto a força de sua posição competitiva atual quanto a força de uma posição que você está planejando estar num futuro próximo.

Com uma clara compreensão de onde o poder reside, você pode aproveitar sua força, melhorar uma fraqueza e evitar a tomada de ações erradas. Isso torna as Cinco Forças de Porter uma parte importante de seu kit de ferramentas de planejamento.

Na maioria de suas aplicações, a ferramenta é usada para identificar se novos produtos, serviços ou negócios têm o potencial de ser rentável. No entanto as Cinco Forças de Porter podem ser inspiradoras quando usadas para entender o equilíbrio de força em outras situações.

Como funcionam as 5 Forças de Porter?

A Análise das Cinco Forças de Porter assume que existem cinco forças importantes que determinam o poder competitivo em uma negociação. Essas são:

  • Poder do Fornecedor: Aqui você avalia como é fácil para os fornecedores aumentar os preços. Isso é impulsionado pelo número de fornecedores de cada recurso chave, a singularidade de seu produto ou serviço, sua força e o controle sobre você, o custo de trocar o fornecedor, e assim por diante. Quanto menos opções de fornecedor você tiver, e quanto mais precisar de ajuda dos fornecedores, mais poderosos eles serão.
  • Poder do Comprador ou Clientes: Aqui você se pergunta como é fácil para os compradores o forçarem a baixar os seus preços. Novamente, isso é impulsionado pelo número de compradores, a importância de cada comprador individual para o seu negócio, o custo para eles mudarem dos seus produtos e serviços para os do concorrente, e assim por diante. Se você lidar com poucos, mas poderosos compradores, então eles são muitas vezes capazes de ditar os termos para você.
  • Rivalidade competitiva: O que é importante aqui é o número e a capacidade de seus concorrentes. Se você tem muitos concorrentes, e eles oferecem produtos e serviços igualmente atraentes, então você provavelmente terá pouca energia na situação, porque os fornecedores e os compradores irão para outro lugar se não conseguirem um bom negócio com você. Por outro lado, se ninguém mais pode fazer o que você faz, então você poderá, muitas vezes ter uma força tremenda.
  • Ameaça de Substituição: Isso é afetado pela capacidade de seus clientes encontrarem uma maneira diferente de fazer o que fazem – por exemplo, se você fornecer um produto de software exclusivo que automatize um processo importante, as pessoas podem substituí-lo fazendo o processo manualmente ou por Terceirização. Se a substituição é fácil e viável, então isso enfraquece sua força de negociação.
  • Ameaça de Novos Entrantes: Sua força também é afetada pela capacidade de pessoas ou empresas entrarem para seu mercado. Se custa pouco tempo ou dinheiro para entrar no mercado e competir de forma eficaz, se houver poucas economias de escala ou se você tem pouca proteção das suas tecnologias-chave, novos concorrentes podem rapidamente entrar no seu mercado e enfraquecer a sua posição. Se você tem barreiras fortes e duráveis à entrada, então você pode preservar uma posição favorável, garantindo uma grande vantagem competitiva ao seu negócio.

Como levantar suas Cinco Forças de Porter?

O diagnóstico inicial das Cinco Forças de Porter poderá ser feito por meio de 5 ou 6 questões para cada força. Por isso, colocamos os pontos importantes a seguir:

Poder do Fornecedor

  • Número de fornecedores
  • Tamanho dos fornecedores
  • Facilidade de suprimento da necessidade atendida
  • Sua habilidade de substituição de fornecedores
  • Custo de mudança

Poder do Comprador ou Clientes

  • Número de clientes
  • Tamanho de cada um
  • Diferenças entre os concorrentes
  • Sensibilidade ao preço
  • Habilidade em substituir fornecedores
  • Custo de mudança

Rivalidade competitiva

  • Número de concorrentes
  • Diferenças de qualidade
  • Outras diferenças
  • Custos de mudança
  • Lealdade do cliente

Ameaça de Substituição

  • Desempenho dos substitutos
  • Custo da mudança

Ameaça de Novos Entrantes

  • Tempo e custo para entrar no mercado
  • Conhecimento especialista
  • Economia de escala
  • Vantagem de custos
  • Proteção tecnológica
  • Barreiras de entrada

Como utilizar as Cinco Forças de Porter?

Para usar a ferramenta para entender sua situação, olhe para cada uma dessas forças e escreva suas observações em uma planilha ou em alguma ferramenta de mapas mentais como o XMind.

Adicione ao seu plano de itens a pesquisar os fatores relevantes para o seu mercado ou situação e, em seguida, verifique os prós e contras listados para o poder de negociação da sua empresa.

Em seguida, marque os fatores-chave na planilha e resuma o tamanho e a escala da força. Uma maneira fácil de fazer isso é usar, por exemplo, um único sinal “+” para uma força moderadamente a seu favor, ou “—” para uma força fortemente contra você.

Então olhe para a situação que você encontrar usando esta análise e pense em como ela afeta você. Tenha em mente que poucas situações são perfeitas; no entanto olhar para as coisas dessa forma o ajudará a pensar o que você pode mudar para aumentar o seu poder em relação a cada força. Além do mais, se você se encontrar em uma posição estruturalmente fraca, esta ferramenta o ajudará a pensar sobre o que poderá ser feito para passar para uma posição mais forte.

Como surgiu as Cinco Forças de Porter

Esta ferramenta foi criada pelo professor da Harvard Business School, Michael Porter, para analisar a atratividade e a provável rentabilidade de uma indústria. Desde a publicação, tornou-se uma das mais importantes ferramentas de estratégia empresarial. O artigo clássico que o introduz é “Como as forças competitivas dão forma à estratégia” da Harvard Business Review 57, março – abril 1979, páginas 86-93. Sugiro a leitura do artigo, pois é muito interessante como em 1979, Porter deu a tônica do que seria a análise estratégica pelos próximos 20 anos.

Exemplo: Como aplicar as Cinco Forças de Porter?

Paulo Santos está decidindo mudar de carreira e se tornar um empreendedor de produtos orgânicos – ele sempre amou o campo e quer mudar para uma carreira onde ele seja seu próprio patrão. Ele então, antes de pedir demissão em seu emprego atual, utilizou a análise das cinco forças de Porter para entender a sua situação:

Ameaça de novos entrantes (É fácil entrar no mercado)

  • Baixo custo para entrada na indústria
  • É necessária experiência, mas aprender é fácil
  • Alguma economia de escala
  • Algumas vantagens de custos, se já estiver no negócio há algum tempo
  • Sem proteção tecnológica
  • Pequenas barreiras de entrada

Rivalidade competitiva (Generalizada)

  • Muito concorrentes
  • Os produtos são commodities
  • Baixo custo de substituição
  • Baixa lealdade dos clientes
  • Alto custos de abandonar o mercado

Poder dos fornecedores (Neutro)

  • Número moderado de fornecedores
  • Grandes fornecedores
  • Produtos similares
  • Passíveis de substituição
  • Passíveis de troca de fornecedor
  • Poder dos fornecedores neutro

Ameaça de substituição (Alguma ameaça)

  • Algumas substituições cruzadas de produtos
  • Importação de alimentos

Poder do comprador ou clientes (Alto poder)

  • Poucos mercados muito grandes
  • Clientes cooperam entre si
  • Ordens de compra muito grandes
  • Produtos homogêneos
  • Extrema sensibilidade ao preço
  • Habilidade para substituição

O que as Cinco Forças de Porter dizem ao Paulo Santos?

  • A ameaça de novas entrantes é bastante alta: se alguém notar que o mercado é bom e o lucro sustentável, novos concorrentes podem entrar na indústria facilmente, reduzindo os lucros.
  • A rivalidade competitiva é extremamente alta: se alguém aumentar os preços, eles serão rapidamente subestimados. A intensa concorrência exerce uma forte pressão para queda dos preços.
  • O poder do comprador é forte, outra vez implicando em pressão para uma queda forte dos preços.
  • Existe alguma ameaça de substituição.

A menos que ele seja capaz de encontrar alguma maneira de mudar essa situação, isso parece uma indústria muito dura para sobreviver. Talvez ele precise se especializar em um setor do mercado que está protegido de algumas dessas forças, ou encontrar um negócio relacionado que está em uma posição mais forte.

Ou seja, apesar de nosso amigo Paulo Santos ter um sonho bastante interessante, para que ele não sofra nessa nova aventura, ele deverá estrutura-la mais. Em tempos de crise é comum as pessoas desejam mudar de área, mas para isso, recomendamos as forças uma análise das Cinco Forças de Porter. Em todas nossas certificações White Belt, Green Belt ou Black Belt, sempre reforçamos a importância de fazermos um planejamento para a carreira.

Como resumir as Cinco Forças de Porter?

A Análise das Cinco Forças de Porter é uma ferramenta importante para avaliar o potencial de rentabilidade em uma indústria. Com uma pequena adaptação, também é útil como uma forma de avaliar o equilíbrio de poder em situações mais gerais.

Ele funciona olhando para as cinco forças importantes que afetam o poder de cada elemento numa negociação:

  • Fornecedor de energia: O poder dos fornecedores para aumentar os preços de seus insumos.
  • Poder do Comprador: O poder de seus clientes para diminuir seus preços.
  • Rivalidade Competitiva: A força da concorrência na indústria.
  • A ameaça de substituição: a medida em que diferentes produtos ou serviços possam ser usados no lugar do seu.
  • A ameaça de novos entrantes: a facilidade com que novos concorrentes podem entrar no mercado se virem que você está fazendo bons lucros (e, em seguida, conduzir os seus preços para baixo).

Ao pensar sobre como cada força o afeta, e ao identificar a força e sua direção, você poderá avaliar rapidamente a força de sua posição e sua capacidade de fazer um lucro sustentado na indústria.

Você poderá então olhar como você pode afetar cada uma das forças para mover o equilíbrio de poder mais a seu favor.

Deixe seu comentário

um comentário

  • Cristiano Marques disse:

    Utilizo esta metodologia para elaborar diagnóstico e planejamento estratégico nas empresas, porém sem plano de ação de nada adianta, será apenas burocracia. Fazer também Porter com SWOT é outra opção interessante. Obrigado FM2S! muito bom artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =