Entenda as diferenças entre Hard Skills e Soft Skills e saiba como se desenvolver em cada uma delas

Entenda as diferenças entre Hard Skills e Soft Skills e saiba como se desenvolver em cada uma delas
25 de abril de 2022
Última modificação: 25 de abril de 2022

Autor: Victor Gabry
Categorias: Carreira

Seja se preparando para uma vaga ou estudando uma trilha de carreira, é comum que os termos hard skill e soft skill apareçam no dia a dia. Mas qual a diferença entre hard skills e soft skills? Podendo variar desde a execução até a forma de avaliação do RH, separamos para você as principais diferenças entre hard skills e soft skills e como tirar o melhor proveito de ambas. Confira!

 

O que significa hard skill e soft skill

“Skills” é o termo em inglês para “habilidades”, e se difundiu no meio dos Recursos Humanos. São os quesitos avaliados em uma entrevista de emprego e ajudam a nortear a escolha de um profissional para um cargo.

As Hard Skills são habilidades mensuráveis e relacionadas ao domínio de habilidades que mudam pouco ao longo do tempo. Idiomas, linguagens de programação e a operação de maquinário específico são sempre citados como exemplos de hard skills. Determinadas posições demandam certo domínio sobre habilidades específicas, e algumas são tão difundidas no meio corporativo que acabam sendo necessárias para qualquer área – como Excel, por exemplo.

Já as Soft Skills são mais difíceis de mensurar. Chamadas também de habilidades interpessoais ou habilidades relacionais, as soft skills ganharam maior protagonismo recentemente. Durante a pandemia e ao cenário da Grande Resignação, cada vez mais a capacidade de oratória, inteligência emocional e autogestão do tempo se tornam imprescindíveis para o mercado de trabalho.

 

As principais diferenças entre hard skill e soft skill

Quando colocadas na ponta do lápis, fica claro que o profissional precisa ser versado em ambas. Um profissional que não saiba nenhuma das habilidades específicas do seu ofício dificilmente vai conseguir realizar um trabalho que se destaque. 

Por outro lado, ser “o melhor” no que faz não é suficiente: é necessário engajar pessoas no processo, comunicar suas ideias e resultados e ter resiliência para lidar com os imprevistos que ocorrerão. Por isso, separamos as principais diferenças entre as hard skills e as soft skills para você orientar como gerir a sua carreira e qual o próximo passo será o melhor na sua capacitação.

 

Mensuração do domínio das habilidades

Como as habilidades possuem naturezas muito distintas, há uma forte diferença também no modo de mensuração e avaliação. Isso é destaque para os profissionais de RH, que precisam desenvolver metodologias ou consumir programas que sejam capazes de avaliar os pontos fortes e fracos de um candidato neste meio.

  • As Hard Skills são mensuradas com certificados ou outra forma de quantificação da sua habilidade. Cursos livres, horas de estudo, ou certificados emitidos por instituições de renome no mercado são o que recrutadores buscam na hora de uma contratação ou promoção.
  • As Soft Skills são mensuradas muito mais com dinâmicas comportamentais e testes psicológicos aplicados em diferentes etapas do processo seletivo. Nelas será possível avaliar como você se relaciona com outros candidatos, seu desempenho sob pressão e sua capacidade de demonstrar ideias – todas soft skills reconhecidas como essenciais para o mercado.

 

Mensuração do resultado das habilidades

Cada uma dessas skills costuma apresentar indicadores de resultado distintos, devido a sua natureza. É difícil comparar o impacto de um líder que aplique o 5S e é capaz de inspirar uma equipe e garantir um ambiente de trabalho saudável para todos, com o tempo de carregamento de um caminhão em um Centro de Distribuição. 

Embora ambos tragam retornos positivos e quantitativos para a empresa, o segundo é mais facilmente mensurável. Esse tipo de viés nos dados acaba por tornar as hard skills mais bem vistas, pois podem ser facilmente transformadas em KPI’s e, consequentemente, OKR’s. 

Entretanto, tem surgido cada vez mais metodologias para avaliar o impacto das Soft Skills, como o NPS, o CES e a satisfação do cliente. Com cada vez mais delas aplicadas ao mercado e usadas por empresas de software especializadas, já é possível observar uma mudança na avaliação das marcas sobre o impacto das soft skills no mercado.

 

Perfil do profissional de cada skill

É natural que nos desenvolvamos mais de acordo com uma habilidade do que outra. Podemos ter uma aptidão natural para lidar com números e certo entrave ao apresentar nossas ideias. Ou então, sermos pessoas muito criativas, que se veem tendo um “branco” quando um prazo se aproxima. 

 

  • Um profissional que tenha um conjunto de hard skills bem desenvolvidas tende a conseguir se posicionar melhor em um começo de carreira, em cargos mais técnicos. 

Porém, com o tempo, caso não invista em treinamento de soft skills, pode acabar por ser visto como um estorvo para a equipe ou alguém de difícil diálogo. Alguns se hiperespecializam em um campo de atuação, tornando-se “indispensáveis”, mas não conseguem escalar seu valor no mercado.

 

  • Um profissional com boas soft skills desenvolvidas, por outro lado, pode se destacar no meio ao liderar uma equipe, demonstrar iniciativa ou interagir com as lideranças. É mais fácil progredir ao se fazer ser visto. 

Entretanto, caso não desenvolva hard skills com frequência, pode acabar ficando para trás e não sabendo aproveitar completamente as equipes que coordena.

 

Como exercitar cada uma delas

Por serem diferentes em natureza, também haverá formas diferentes de exercitar cada uma das skills. O desenvolvimento dessas habilidades agrega valor às empresas que queiram se destacar no mercado, tanto ao tornar a mão de obra cada vez mais qualificada como ajudando na retenção de talentos.

Para desenvolvê-las o profissional pode, pro ativamente, buscar novas formas de treinamento, como o programa de assinatura da FM2S (com cursos de soft E hard skills), como pode buscar a capacitação interna na companhia.

 

Desenvolvimento de Hard Skills

Um profissional que queira desenvolver uma hard skill deve primeiro entender como ela pode ajudá-lo em seu ofício ou no plano de carreira que traçou para si. Essa habilidade – um idioma, uma linguagem de programação, um software novo – possui níveis de competência. 

Por exemplo, para um idioma, ser capaz de formar sentenças completas e conversar sobre trivialidades pode ser um nível iniciante. Escrever códigos simples, a mesma coisa. Os cursos que o profissional irá cursar vão tentar cumprir esses gaps e fazê-lo se destacar naquela habilidade.

 

Desenvolvimento de Soft Skills

Já para desenvolver soft skills sólidas, muitas vezes é necessária uma abordagem mais próxima. Existem técnicas de gestão do tempo, comunicação assertiva e gestão emocional que podem ser aprendidas através de cursos e livros, porém é também comum o processo de mentoria.

Esse processo envolve um gestor ou profissional que domine a habilidade que você deseja desenvolver avaliando seus bloqueios e sua forma de aprimorar suas skills. Ele vai te munir de dicas essenciais e é um programa mais barato dentro de companhias que queiram treinar suas lideranças.

 

Diferenças entre hard skill e soft skill são complementares

Sim, elas são diferentes, e ambas são necessárias para o desenvolvimento de um profissional de forma plena. Nenhum homem é uma ilha, e por isso hard skills sozinhas não bastam. Ao mesmo tempo, existe um mundo entre falar e fazer, e o profissional que queira se destacar precisa estar ciente disso na hora de propor mudanças.

Assinatura FM2S - Paciência

Leia mais:

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.