Como o design thinking pode ajudar seu negócio?

Design Thinking
05 de dezembro de 2018
Última modificação: 28 de setembro de 2021

Autor: Virgilio Marques Dos Santos
Categorias: Design Thinking

O que é o design thinking?

O Design Thinking é em uma abordagem poderosa, eficiente e acessível, que pode ser integrada a todos os aspectos dos negócios e da sociedade. Indivíduos e equipes podem utilizar este método para criar ideias inovadoras e implementá-las.

É uma abordagem que se aprofunda no desenvolvimento de mudanças, complementar aos nossos cursos Green e Black Belt.

O objetivo é estabelecer a correspondência entre as necessidades humanas e os recursos técnicos disponíveis, considerando as restrições práticas dos negócios. A metodologia busca integrar os desejos do usuário com aquilo que é viável, do ponto de vista financeiro e técnico.

O Design Thinking se fundamenta na capacidade humana para a intuição e de reconhecimento de padrões para o desenvolvimento de ideias integrem o emocional e o funcional.

Como o Design Thinking proporciona experiências únicas?

Por ser uma abordagem centrada no ser humano, a técnica se utiliza da empatia e do conhecimento sobre as pessoas para projetar experiências que criem oportunidades de envolvimento e participação.

Uma forma de fazer as pessoas experimentarem algo novo e reduzir a resistência é basear-se em comportamentos com os quais os consumidores já estejam familiarizados. Por exemplo, explorando as memórias afetivas que adultos tiveram em suas infâncias para promover um produto que se relaciona com essas lembranças.

Ao incorporar um novo serviço a um comportamento já existente, elabora-se uma experiência que reúne a segurança do conhecido à empolgação do novo.

Cultivar a cultura de fornecer experiências únicas requer ir além do genérico. É necessário criar experiências percebidas como personalizadas pelos clientes. Ao contrário de um produto manufaturado ou de um serviço padronizado, uma experiência pode ganhar vida quando foi personalizada e customizada para cada cliente.

Para Tim Brown, criador do conceito de design thinking, com frequência a customização provém da capacidade e da experiência dos prestadores de serviços em acrescentar um toque especial ou apropriado no momento exato, ou seja, provém do senso de oportunidade.

O empregado deve enxergar o serviço que presta como algo que ocorre continuamente ao longo do tempo, com muitas interações e um poderoso resultado emocional. Para isto, é preciso transformar a própria cultura da organização, atribuindo ao empregado o poder e a capacidade de se beneficiar de oportunidades quando e onde elas se apresentarem.

Assim, o empregado terá as ferramentas necessárias para criar experiências não padronizadas, ao invés de seguir um conjunto limitado de instruções. Esse elemento é fundamental para a transformação organizacional que o design thinking propõe.

Como funciona o Design Thinking?

A maneira de funcionamento do Design Thinking pode ser resumida ao compartilhamento de processos, o incentivo a propriedade coletiva de ideias e proporcionar um ambiente no qual as equipes aprendam umas com as outras.

Para isso, é preciso compreender as fronteiras, limitações e restrições do projeto. Na maioria dos casos, o melhor e mais inovador resultado do design thinking provém das restrições que são impostas aos engenheiros.

O primeiro estágio inicia-se com a identificação das restrições mais importantes e dos critérios de avaliação do projeto. Podemos considerar como restrições: a falta de tecnologia, orçamento, conhecimento técnico, etc. Porém, cada projeto terá suas especificidades, portanto fique atento para as restrições de seu projeto. Lembre-se, a técnica do Design Thinking busca o foco nas necessidades humanas fundamentais.

Quais são os critérios para avaliarmos as restrições?

Devemos equilibrar 3 dimensões das restrições. São elas:

  • Praticabilidade: o que é funcionalmente possível em um futuro próximo?
  • Viabilidade: o que realmente pode se tornar parte do modelo de negócios?
  • Desejabilidade: Qual o desejo que se busca suprir? Qual sua intensidade?

Quais as ferramentas e atitudes do Design Thinker?

Se expor ao mundo, para ser influenciado pelas pessoas, utilizar prototipagem, criar histórias, interagir e unir forças com outras competências e áreas do conhecimento. Essas são formas de aprofundar o que sabemos e ampliar o impacto do que fazemos.

Para realizar um impacto no mundo, é necessário vivê-lo. Deixar-se ser influenciado pelas pessoas, expor suas ideias, criar histórias e protótipos para seus produtos e serviços, unir forças com outras áreas do conhecimento.

Por isso, um design thinker deve começar suas frases com a pergunta: como podemos resolver esse problema? Em um projeto cujo objetivo é melhorar a alimentação dos alunos em uma escola, por exemplo, podemos perguntar: como podemos incentivar as crianças a se alimentarem de forma mais saudável?

Um outro exemplo é aproveitar ao máximo as experiências de clientes ao testarem um protótipo. Ao testá-los, os clientes podem proporcionar sugestões que apontem para um mercado mais interessante, promissor e lucrativo. Tim Brown, criador do conceito, reforça seu caráter exploratório, baseado na tentativa e aprendizado, “o segredo é falhar muitas vezes rapidamente, para alcançar o sucesso mais cedo”.

Para Brown, uma equipe experiente de Design Thinkers elabora e testa vários protótipos desde o princípio de um projeto, corrigindo problemas e aperfeiçoando-os ao longo do caminho, evitando frustrações e criando maior envolvimento dos funcionários com o produto.

Como construir um relacionamento de sucesso com os clientes?

Para construir relacionamento de sucesso com os clientes, uma organização deve se comprometer com princípios centrados no ser humano. Se conseguir entender melhor os seus clientes e quem eles são como pessoas, a companhia será capaz de atender melhor às necessidades de seu mercado. No design thinking, esta é a fonte mais segura de lucratividade e crescimento sustentável em longo prazo.

Não se deve esquecer de que, no mundo dos negócios, qualquer ideia, por mais nobre que seja, deve passar pelo teste dos resultados financeiros. Por isso, é importante manter relações duradouras com o cliente, de maneira a garantir maior confiança e estabilidade para o negócio.

Qual é o principal desafio do Design Thinking?

O desafio não é atender necessidades expressas, criando, por exemplo, uma impressora mais rápida ou um teclado mais ergonômico. O desafio é ajudar as pessoas a articular necessidades latentes e sugerir soluções inovadoras para problemas muitas vezes desconhecidos pelos clientes.

Para o design thinker, os comportamentos nunca serão certos ou errados, mas sempre significativos. O seu trabalho é, portanto, converter necessidade em demanda.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *