Criatividade: Treinamento é tudo!

treinamento
24 de julho de 2015
Última modificação: 24 de julho de 2015

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Blog

Como funciona o treinamento do seu cérebro?

Até agora, a ciência do treinamento não determinou exatamente o que acontece nos nossos cérebros durante o processo criativo, já que ele realmente combina todo um conjunto de diferentes processos cerebrais. E, ao contrário da crença popular, inclui ambos os lados do nosso cérebro trabalhando juntos, ao invés de apenas um ou outro.

A verdade é que nossos hemisférios do cérebro estão inextricavelmente conectados. Os dois lados do nosso cérebro são simplesmente distinguidos por seus diferentes estilos de processamento.

A ideia de que as pessoas podem ser “pensadores do cérebro direito” ou “pensadores do cérebro esquerdo” é, na verdade, um mito que já desmacarado:

As origens deste mito comum vieram de algumas pesquisas da década de 1960 sobre pacientes cujo corpo caloso (a banda de fibras neurais que conectam os hemisférios) foi cortado como um tratamento de última instância para a epilepsia. Isso eliminou o processo natural de comunicação entre hemisférios e permitiu que os cientistas realizassem experiências sobre como cada hemisfério funcionava isoladamente.

A menos que você tenha tido este procedimento sozinho, ou tenha removido a metade do seu cérebro, você não está com o cérebro direito ou esquerdo.

Quais são os processos para treinamento do seu cérebro?

Em seu livro, A Technique for Producing Ideas, James Webb Young explica que, embora o processo para produzir novas ideias seja simples o suficiente para explicar, “realmente requer o trabalho intelectual mais difícil de seguir, de modo que nem todos aceitam usá-lo “. Ele também explica que trabalhar para encontrar ideias não é a solução para encontrar mais deles, mas sim precisamos treinar nossas mentes no processo de produzir novas ideias naturalmente.

Os dois princípios gerais de ideias

James descreve dois princípios da produção de ideias, que eu realmente gosto:

  • Uma ideia não é nada mais ou menos do que uma nova combinação de elementos antigos.
  • A capacidade de trazer elementos antigos para novas combinações depende em grande parte da capacidade de ver relacionamentos.

Este segundo é realmente importante na produção de novas ideias, mas é algo em que nossas mentes precisam ser treinadas:

  • Para algumas mentes, cada fato é um pouco de conhecimento. Para outros, é um elo de uma cadeia de conhecimento.
  • Para ajudar nossos cérebros a melhorar a entrega de boas ideias para nós, precisamos primeiro fazer uma preparação. Vamos dar uma olhada no que é preciso para criar nossos cérebros para geração de ideias.

Como fazer o treinamento para ter novas ideias?

Como as ideias são feitas a partir de encontrar relacionamentos entre elementos existentes, precisamos coletar um inventário mental desses elementos antes que possamos começar a conectá-los. James também observa em seu livro como muitas vezes abordamos este processo de forma incorreta:

Em vez de trabalhar sistematicamente no trabalho de reunir matérias-primas, nos sentamos esperando a inspiração para nos atingir. Preparar seu cérebro para o processo de fazer novas conexões leva tempo e esforço. Precisamos ter o hábito de coletar informações que estão ao nosso redor para que nossos cérebros tenham algo para trabalhar.

James oferece algumas ideias em seu livro, como usar cartões de índice para organizar e destilar informações em pedaços. Outra sugestão é usar um scrapbook ou arquivo, e indexar tudo para que você possa encontrar o que você precisa, quando você precisar.

E como fazer o treinamento?

Ele oferece algumas ideias úteis para ajudá-lo a alcançar isso também:

  • Reservar um tempo: John diz que seus pensamentos precisam de tempo para se estabelecer antes que sua criatividade se sinta segura o suficiente para emergir e começar a trabalhar. Deixar de lado o tempo para pensar regularmente pode ser uma boa maneira de treinar sua mente para relaxar, eventualmente tornando este tempo definido um refúgio seguro para a mente da tartaruga começar a juntar as conexões que poderiam se transformar em ideias.
  • Encontre um espaço criativo: ajustar o tempo regularmente envia um sinal para o seu cérebro que é seguro trabalhar com ideias criativas. Encontrar um espaço específico para ser criativo também pode ajudar. Isso é semelhante à pesquisa sobre como a temperatura e o ruído em torno de nós afetam a nossa criatividade.

Com o treinamento, deixe o cérebro trabalhar?

Essa pode ser uma das partes mais difíceis, ainda mais importantes, do processo de produção de ideais. Eu acho que James Webb Young diz o melhor:

  • Largue todo o assunto e coloque-o fora de sua mente e deixe seu subconsciente fazer o seu bem.
  • Outra coisa de John Cleese fala sobre o quão benéfico pode ser “dormir em um problema”. Ele lembra observar uma mudança dramática em sua abordagem para um problema criativo depois de deixá-lo sozinho. Ele não só acordou com uma ideia perfeitamente clara sobre como continuar seu trabalho, mas o problema em si já não era mais aparente.
  • O truque aqui é confiar o suficiente para deixar ir.

À medida que envolvemos nossas mentes conscientes em outras tarefas, como dormir ou tomar banho, nosso subconsciente pode trabalhar para encontrar relacionamentos em todos os dados que coletamos até agora.

Como o treinamento leva ao momento Aha?

James Webb Young explica o processo de produção de ideais em etapas. Uma vez que terminamos os três primeiros, que incluem a coleta de material e deixar nosso subconsciente processar os dados e encontrar conexões, ele diz que chegamos a um momento “Aha!”, Quando uma ótima ideia nos atinge:

Vai até você quando você menos se espera – enquanto se barbear ou se banha, ou na maioria das vezes quando você está meio acordado pela manhã. Pode acordar você no meio da noite.

Como fazer o treinamento ODD MAN OUT?

Treinamento: o exercício de hoje é chamado de Homem Estranho (ODD MAN OUT). Se você dedicar 10 minutos por dia para aprender a ser mais criativo, terá dedicado 200 minutos por mês e mais de 2000 minutos por ano. 2000 minutos para ser mais criativo é um investimento que vale a pena, não concorda? Se quiser aquecer, Green Belt, Black Belt ou Criatividade EAD.

Chega de papo e vamos ao exercício. Ele é muito simples, pois está relacionado ao exercício desenvolvido pelo De Bono para crianças.

Processo

  1. Obtenha quatro palavras aleatórias.
  2. Mostre, de alguma maneira qual das palavras é estranha ao resto do conjunto.
  3. Defina o critério utilizado para escolher a palavra estranha.

Cuidado: evite utilizar critérios óbvios para definir qual das palavra é a estranha. Estas razões óbvias devem incluir: o número de letras, começar e acabar com alguma letra, etc. Razões fundamentadas na natureza física da pronúncia ou da palavra também deverão ser evitadas.

Treinamento

Exemplo

Quatro palavras aleatórias: pele, resgate, chimpanzé e preocupação.

Pensamentos imediatos:

  • Preocupação é a única emoção humana dentre as palavras.
  • Chimpanzé é o único ser vivo.

Pensamentos futuros:

  • Resgate é a única palavra que implica em criminalidade.
  • Pele, preocupação e resgaste não são palavras agradáveis (para algumas pessoas). Chimpanzé já é uma palavra simpática.

Variações:

  1. O jogo pode ser feito de maneira que o grupo escolha duas palavras fora de contexto. Uma por vez.
  2. O jogo pode ser feito de maneira que o grupo mostre que as quatro palavras podem ser a palavra fora de contexto, justificando assim suas escolhas.

Mão a obra pessoal. Não deixaremos tarefas destas vez, pois vocês já estão aptos a escolherem sozinho onde aplicar a terceira técnica aprendida.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *