O Método Científico na empresa
Seis Sigma

18 de novembro de 2016

Última atualização: 27 de abril de 2023

O Método Científico na empresa

O método científico é um processo de investigação que é amplamente utilizado em ciências naturais, mas também pode ser aplicado em outras áreas, como negócios e administração. Ele envolve a formulação de hipóteses, coleta de dados, análise dos dados e chegada a conclusões.

Nas empresas, o método científico pode ser usado para melhorar a tomada de decisão, resolver problemas e inovar. Uma empresa pode utilizar o método científico para testar diferentes estratégias de marketing e escolher a que tem melhores resultados. 

Ele também pode ser usado para desenvolver novos produtos ou processos, ou para melhorar a eficiência operacional. São só alguns exemplos de método científico aplicado nas organizações.

Neste artigo, nós vamos mostrar tudo sobre o método científico e como aplicar para além das ciências, até porque pode ser muito útil para seu negócio.

Assinatura FM2S

O que é o Método Científico?

O método científico é uma abordagem metodológica para se alcançar conhecimento e compreensão sobre fenômenos naturais e sociais. Ele é baseado na coleta e análise de dados através de uma série de etapas, incluindo observação, formulação de hipóteses, experimentação, análise de dados e conclusão.

A primeira etapa do método científico é um conjunto de processos em que se coleta informações sobre um fenômeno ou problema específico. A partir dessas observações, são formuladas hipóteses, que são explicações provisórias para os dados coletados e que serão testadas para verificar sua validade como conhecimento científico.

Na etapa de experimentação, são conduzidos experimentos para testar as hipóteses formuladas. Isso envolve a manipulação de variáveis independentes e a medição de variáveis dependentes.

Os dados coletados são então analisados e interpretados, com o objetivo de chegar a uma conclusão sobre a validade da hipótese inicial.

Por fim, os resultados são publicados e submetidos a revisão por pares para garantir a confiabilidade e validade dos resultados.

É importante destacar que o método científico é contínuo e iterativo, ou seja, os resultados obtidos podem levar a novas perguntas e hipóteses, e, por isso, o processo deve ser iniciado novamente. 

Quais são os tipos de método científico?

  1. Método experimental: Consiste em manipular variáveis independentes e medir as variáveis dependentes para estabelecer relações causais. Este método é amplamente utilizado em ciências naturais e medicina.
  2. Método observacional: Consiste em observar e medir fenômenos sem manipular as variáveis independentes. Este método é amplamente utilizado em estudos sociais, ciências ambientais e astronomia.
  3. Método histórico: Consiste em estudar eventos passados através da análise de fontes escritas e arqueológicas. Este método é amplamente utilizado em história, arqueologia e antropologia.
  4. Método estatístico: Consiste em analisar dados quantitativos para descobrir tendências e relações. Este método é amplamente utilizado em estatística, economia e finanças.
  5. Método qualitativo: Consiste em coletar e analisar dados não quantitativos, como entrevistas e observações, para compreender fenômenos complexos. Este método é amplamente utilizado em ciências sociais, psicologia e antropologia.

Quais são as 4 etapas do Método Científico?

Agora, vamos explicar um pouco melhor o que é feito em cada etapa:

1 - Observação

A coleta de informações sobre um fenômeno ou problema específico. Isso pode incluir a realização de uma pesquisa científica, a leitura de literatura existente e a observação de eventos no mundo natural ou social.

2 - Formulação de hipóteses

A elaboração de explicações provisórias para os dados coletados, que são submetidas a testes para verificar sua validade. Essas hipóteses devem ser claras e testáveis.

3 - Realização de experimentos

A condução de experimentos e coleta de dados para testar as hipóteses formuladas. Isso pode incluir a manipulação de variáveis independentes e a medição de variáveis dependentes.

Análise de dados: A interpretação dos resultados obtidos e a construção de conclusões a partir destes. Isso pode incluir a utilização de técnicas estatísticas para analisar os dados.

4 - Conclusão

A chegada de uma conclusão a partir dos resultados obtidos, podendo refutar ou aceitar a hipótese inicial.

Qual a importância para as empresas?

O método científico é conhecida pelo seu intenso uso nas áreas das ciências naturais e filosofia, porém, também é possível aplicar a teoria científica na sua organização.

Para as empresas, o método científico é importante porque permite tomar decisões baseadas em evidências e dados, melhorar produtos e serviços, reduzir riscos, inovar e comunicar de forma clara e precisa. 

Ele pode ajudar a garantir que as decisões sejam fundamentadas e tenham maior probabilidade de sucesso, construir confiança e credibilidade com os clientes, investidores e parceiros, e mantê-las competitivas e inovadoras no mercado.

Exemplo de aplicação do método científico

Howard Florey e Ernst Chain, além de Alexander Fleming, foram cientistas australianos que desempenharam um papel importante no desenvolvimento da penicilina como um antibiótico e na afirmação da importância do método científico.

Eles seguiram o método científico ao realizar experimentos para identificar e testar a eficácia da penicilina, bem como ao publicar seus resultados e suas descobertas em revistas científicas para que outros cientistas possam verificar e replicar seus trabalhos. Eles também colaboraram com outros cientistas para continuar o desenvolvimento e aperfeiçoamento da penicilina.

Outros métodos

Há ainda diversos outros métodos para se chegar ao conhecimento e que você já deve ter estudado sobre na escola. Que tal dar uma repassada neles, também?

Método Dialético

É uma forma de pensamento e análise que enfatiza a relação entre as coisas e a mudança constante. Ele foi desenvolvido originalmente por filósofos gregos, mas foi mais amplamente utilizado e desenvolvido por filósofos alemães, particularmente Georg Wilhelm Friedrich Hegel e Karl Marx. É amplamente utilizado na filosofia, na história, na economia política, na sociologia e em outras disciplinas.

Método Hipotético-Dedutivo

O método hipotético-dedutivo é um processo científico no qual se parte de uma hipótese para chegar a conclusões lógicas e verificáveis por meio de experimentos ou observações. A hipótese é uma explicação provisória para um fenômeno ou questão, e é testada através de experimentos ou observações para verificar sua validade. É amplamente utilizado em ciências naturais, como física, química e biologia.

Método Indutivo

O método indutivo é um processo científico no qual se parte de observações ou experimentos para chegar a conclusões gerais ou leis. Ele é oposto ao método hipotético-dedutivo. No método indutivo, os cientistas coletam dados através de experimentos ou observações, e usam esses dados para identificar padrões e tendências. 

É utilizado em ciências como a biologia, a sociologia e a psicologia, em que as hipóteses e teorias são frequentemente baseadas em dados coletados a partir de observações de indivíduos ou grupos.

Método Cartesiano

Por fim, há um método criado por René Descartes que busca a verdade única, universal. O método cartesiano inclui passos como a dúvida metódica, o uso da razão para chegar a conhecimento verdadeiro e a verificação dos resultados através da experimentação e observação. 

Leia Mais:

Murilo Fms

Murilo Fms

Sócio-fundador e diretor de Educação na FM2S. Graduado em Engenharia Mecânica pela Unicamp em 2012. Também possui Mestrado e Doutorado em Engenharia Mecânica, com ênfase em Materiais e Processos de Fabricação pela na Unicamp. Durante a pós-graduação, dedicou-se, além dos projetos de consultoria, à pesquisa e ao ensino dos cursos de Green e Black Belt. Participou como professor em programas de formação de engenheiros especialistas em grandes empresas como Tetra Pak, Rodobens e Laticínios Scala. Também formou especialistas para a área da saúde em Hospitais como o Hospital Português de Salvador, o Hugol de Goiânia e o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.