Linguagem-Corporal
Carreira

11/06/2019

Última atualização: 25/04/2023

Linguagem corporal: como utiliza-la no trabalho?

A linguagem corporal é uma forma não verbal de comunicação que envolve gestos, posturas, expressões faciais e contato visual. Ela pode dizer muito sobre as emoções, atitudes e intenções de uma pessoa, e é frequentemente usada de forma consciente ou inconsciente em situações sociais e profissionais.

A linguagem corporal pode ser usada para expressar emoções como alegria, raiva, tristeza, medo, surpresa, entre outras. Por exemplo, uma pessoa pode sorrir quando está feliz, franzir as sobrancelhas quando está frustrada ou evitar o contato visual quando está envergonhada. As posturas também podem expressar emoções, como ficar ereto quando confiante ou se encolher quando inseguro.

Neste artigo, nós vamos contar tudo sobre linguagem corporal para você aprender a desenvolver a sua. 

O que é linguagem corporal?

As pessoas no local de trabalho podem transmitir uma grande quantidade de informações sem falar; isso é chamado de comunicação não verbal. A comunicação não verbal pode transmitir tanto quanto a comunicação escrita e verbal, e os seres humanos leem e reagem a esses sinais não verbais no local de trabalho. Este modo de linguagem corporal, na comunicação, é chamado de cinesiologia pelos pesquisadores.

Quer dizer, existem centenas de milhares de sinais possíveis que podem ser comunicados por meio de movimentos e gestos corporais. Além dos movimentos e gestos corporais, as dicas não verbais dadas por meio de expressões faciais e contato visual, espaço pessoal e toque influenciam as interações individuais no local de trabalho. Embora essa linguagem corporal seja bastante bem compreendida em geral em cada cultura, existem grandes diferenças culturais na comunicação não verbal.

Como interpretar e ler a linguagem corporal?

Postura

A postura de uma pessoa pode dizer muito sobre suas emoções e atitudes. Por exemplo, uma pessoa que está com as costas retas e ombros para trás geralmente parece confiante, enquanto uma pessoa com os ombros caídos pode parecer desanimada ou desconfortável.

Expressões faciais

As expressões faciais são uma forma poderosa de comunicação não verbal. Preste atenção aos sorrisos, franzidos de testa, olhos arregalados e outras expressões faciais que podem dar pistas sobre as emoções de uma pessoa.

Gestos

Os gestos, como o aceno de cabeça, os movimentos de mão e os toques no rosto, podem fornecer informações valiosas sobre as emoções e intenções de uma pessoa.

Contexto

É importante lembrar que a linguagem corporal pode ser interpretada de maneira diferente dependendo do contexto. Por exemplo, um sorriso pode indicar felicidade em uma situação, mas pode indicar nervosismo ou desconforto em outra.

Consistência

A linguagem corporal é mais significativa quando é consistente com as palavras de uma pessoa. Se a linguagem corporal de uma pessoa não corresponder às suas palavras, é possível que eles estejam tentando esconder algo.

Como melhorar a sua própria linguagem corporal?

A linguagem corporal é composta por um conjunto de gestos e expressões, cada um com um sentido próprio e que transmite comunicados diferentes. Para melhorar sua imagem, você deve entender alguns desses gestos e como eles afetam sua comunicação.

Contato visual

O contato visual é importante para a construção de confiança e intimidade. Mantenha o contato visual durante conversas para transmitir interesse e atenção.

Sorria

O sorriso é uma forma eficaz de transmitir amabilidade e boa vontade. A dica é sorrir de forma natural durante conversas para transmitir uma imagem positiva.

Mão apropriada

Os gestos de mão podem ser usados para transmitir mensagens e para complementar a fala. Aprenda a usar gestos de mão apropriados para transmitir suas mensagens de maneira clara e efetiva.

Mantenha o distanciamento físico adequado

O distanciamento físico pode transmitir mensagens sobre o nível de intimidade e relacionamento. Mantenha o distanciamento físico adequado para transmitir a mensagem apropriada.

Pratique

A prática é importante para melhorar a linguagem corporal. Pratique sua linguagem corporal em situações sociais e profissionais para aprimorar suas habilidades.

Como a linguagem corporal pode afetar no ambiente de trabalho?

Criação de primeiras impressões

A linguagem corporal pode influenciar a forma como as pessoas percebem você e pode criar uma primeira impressão positiva ou negativa. Mantenha uma postura confiante, sorria e use expressões faciais positivas para criar uma primeira impressão positiva.

Comunicação efetiva

A linguagem corporal pode complementar ou reforçar o que você está dizendo verbalmente. Use gestos, tom de voz, expressões faciais e postura para transmitir clareza e sinceridade na sua comunicação.

Estabelecimento de relacionamentos

A linguagem corporal pode afetar a forma como as pessoas se relacionam com você no ambiente de trabalho. Mantenha contato visual, tenha consciência do seu espaço pessoal e evite posturas defensivas para estabelecer relacionamentos positivos.

Influência na liderança

A linguagem corporal pode ser usada para transmitir autoridade e liderança no ambiente de trabalho. Mantenha uma postura confiante, use gestos assertivos e tenha consciência de sua presença para transmitir liderança.

Consequências negativas

A linguagem corporal negativa, como cruzar os braços ou franzir a testa, pode criar tensão e mal-entendidos no ambiente de trabalho. É importante controlar sua linguagem corporal para evitar consequências negativas.

Portanto, para melhor sua linguagem corporal no trabalho e te permitir transmitir informações com clareza, separamos um curso para você:

Curso Comunicação Assertiva

Linguagem corporal nas diferentes culturas

A linguagem corporal é uma forma universal de comunicação não verbal, mas as formas de expressão podem variar entre culturas. Por exemplo, em algumas culturas, o contato visual intenso é visto como uma forma de respeito e confiança, enquanto em outras culturas, é visto como agressivo ou invasivo. 

Algumas valorizam a expressão animada e gestos, enquanto outras preferem uma expressão mais contida. A distância física pode ser mantida de forma mais ampla, enquanto em outras, a distância é mantida de forma mais aproximada. Além disso, certos gestos que são considerados positivos em uma cultura, são vistos como negativos fora daquele contexto. 

É importante lembrar que, embora a linguagem corporal possa variar entre culturas, as emoções subjacentes geralmente são as mesmas. Por isso, é importante estar atento aos sinais não verbais e procurar compreender as diferenças culturais para evitar mal-entendidos ou ofensas. 

Ao trabalhar ou se relacionar com pessoas de culturas diferentes, é importante ser consciente da linguagem corporal e procurar compreender as normas e expectativas de cada cultura.

Quais os movimentos da linguagem corporal?

Gestos ou movimentos da cabeça, mãos, braços e pernas podem ser usados ​​para transmitir mensagens específicas que tenham traduções linguísticas. Por exemplo, uma pessoa pode usar uma onda com a mão em vez de dizer "olá" ou acenar com a cabeça em concordância, o que significa "sim" ou "está bem". Esses gestos podem ser muito úteis no local de trabalho porque são uma maneira rápida de transmitir pensamentos e sentimentos sem precisar falar ou escrever. Além disso, muitos desses gestos geralmente são amplamente compreendidos, embora possam ter diferentes significados em outras culturas. Por exemplo, embora o sinal de "ok" que é feito por meio do toque do polegar e indicador com os dedos restantes estendidos é visto como um gesto positivo nos EUA, em algumas outras culturas isso pode significar um palavrão.

Além dos gestos que as pessoas usam que ter um significado particular, as pessoas também usam gestos que não têm significados específicos e geralmente compreendidos. Esses gestos, chamados ilustradores, acrescentam significado a uma mensagem verbal. Por exemplo, ao fazer uma apresentação, uma pessoa pode usar gestos manuais para enfatizar um ponto. Muitas pessoas usam gestos enquanto falam com outras pessoas para acompanhar suas palavras, e embora esses movimentos corporais possam não ter um significado que possa ser identificado, eles servem para embelezar as palavras de uma pessoa.

Os movimentos do corpo de uma pessoa que transmitem sentimentos e emoções por meio de expressões faciais e posições do corpo são chamados de exibições de afeto. Esses movimentos corporais podem indicar se uma pessoa está aberta e receptiva, com raiva, distraída ou com várias outras emoções. Muitas são comumente interpretadas; por exemplo, acredita-se que os indivíduos que se sentam em uma posição curvada e franzem a testa são desinteressados ​​ou infelizes. Aqueles que se sentam eretos, sorriem e levantam as sobrancelhas, são vistos como interessados ​​e felizes. Embora essas exibições muitas vezes sejam apropriadamente interpretadas, elas podem não estar relacionadas à interação com outra pessoa e, portanto, podem ser mal interpretadas. Por exemplo, se uma pessoa tem uma dor de cabeça terrível, ele pode apertar os olhos, olhar para baixo e fazer caretas durante uma conversa,

Os pesquisadores também categorizam certos comportamentos não verbais chamados adaptadores, que são comportamentos tipicamente inconscientes e são usados ​​quando a pessoa está tensa ou ansiosa. Exemplos de ilustradores: ajustar as roupas, morder as unhas, mexer e brincar com um objeto. Os ilustradores indicam aos outros que uma pessoa está chateada ou nervosa, e comportamentos como esse durante uma entrevista de emprego ou uma reunião com um colega de trabalho podem ser interpretados de forma muito negativa. Uma pessoa que se envolve em tal comportamento pode ser vista como preocupada, ansiosa ou até mesmo desonesta. Tal como acontece com as exibições de afeto, essa linguagem corporal pode não transmitir sentimentos verdadeiros; uma pessoa que está inquieta e morde as unhas pode estar exibindo tais comportamentos por razões inócuas.

Ao ouvir os outros, os indivíduos costumam transmitir mensagens não verbalmente. Portanto, deve-se ter cuidado para evitar o seguinte:

  • Sentar-se ou inclinar-se para trás é um movimento corporal que pode transmitir desinteresse ou desacordo com as palavras de um interlocutor. Além disso, descansar o queixo na mão pode transmitir tédio. Por outro lado, inclinar-se levemente para frente, levantar as sobrancelhas e fazer contato visual indica que você está receptivo.
  • Braços cruzados frequentemente conotam uma postura defensiva, o que pode indicar que uma pessoa está insatisfeita, se sente ameaçada ou não quer ouvir o interlocutor.
  • Adaptadores, como mexer ou brincar com objetos, podem indicar que você está nervoso em torno do interlocutor ou desinteressado com a mensagem do interlocutor.

Como funciona a expressão facial?

Embora as expressões faciais e o contato visual não sejam cinésicos e, portanto, tecnicamente não sejam a linguagem corporal, eles são tipos de comunicação não verbal que podem afetar as relações comerciais. Pesquisadores descobriram que as pessoas podem identificar com grande precisão sete emoções humanas separadas, mesmo depois de ver apenas expressões faciais e oculares: tristeza, felicidade, raiva, medo, surpresa, desprezo e interesse. Portanto, sem falar uma palavra, uma expressão facial pode transmitir uma grande quantidade de informações para os outros. Da mesma forma, o contato visual ou a falta de contato visual também podem indicar as atitudes e emoções de uma pessoa.

Pesquisas indicam que as pessoas usam quatro diferentes técnicas de manejo facial para controlar nossas expressões faciais. Primeiro, as pessoas intensificam suas expressões faciais ou as exageram, a fim de mostrar uma emoção forte. Por exemplo, uma vendedora que acabou de fazer uma grande venda pode intensificar sua expressão positiva ao sorrir mais amplamente e erguer as sobrancelhas. 

Segundo, as pessoas podem desintensificar suas expressões faciais quando as controlam ou subjugam. Por exemplo, um funcionário que acabou de descobrir que recebeu um aumento poderia sorrir menos ou parecer menos feliz depois de descobrir que seu colega de trabalho não recebeu um aumento. 

Terceiro, uma pessoa neutraliza suas expressões quando evita mostrar qualquer expressão facial. Uma pessoa pode não demonstrar qualquer emoção ao ser repreendida no local de trabalho ou ao tentar negociar com outro empresário. Finalmente, os humanos mascaram suas expressões faciais. Isso ocorre quando uma pessoa esconde suas emoções verdadeiras e transmite emoções diferentes. 

Por exemplo, um funcionário pode expressar entusiasmo a um gerente que lhe dá uma tarefa indesejável para retribuir um favor a esse gerente. Ou, um representante do atendimento ao cliente pode expressar preocupação e carinho em sua expressão facial, quando na verdade está incomodado com o cliente. Cada uma dessas técnicas de gerenciamento facial possibilita que as pessoas interajam umas com as outras de maneira socialmente aceitável.

Fazer e manter contato visual pode ter resultados positivos no local de trabalho. O contato visual pode ser usado para indicar a uma pessoa que você é receptivo ao que ela tem a dizer. Além disso, o contato visual pode indicar que você deseja se comunicar com uma pessoa. Finalmente, o contato visual pode ser usado para expressar respeito por uma pessoa, mantendo um contato visual mais longo. 

Curiosamente, abster-se de fazer contato visual, como olhar para baixo ou para longe, pode indicar um nível de respeito por alguém de status mais alto. A falta de contato visual ou a indisposição de manter contato visual podem indicar desconforto com a situação, desinteresse pelas palavras da outra pessoa ou aversão pela pessoa. Contudo, timidez ou extroversão e nem sempre pode ser interpretado como uma reação a uma determinada pessoa ou situação.

Como a linguagem corporal se conecta ao espaço físico?

Os pesquisadores usam o termo proxêmico para descrever a maneira como uma pessoa usa o espaço na comunicação. Cada indivíduo tem um espaço pessoal, que é como uma bolha invisível em torno deles. Essa bolha se torna maior ou menor, dependendo da pessoa com quem interagimos. Ficamos confortáveis ​​em pé ou sentados perto de alguém de quem gostamos e mais confortáveis ​​com alguém que não gostamos ou que não conhecemos à distância. No entanto, a quantidade de espaço pessoal que uma pessoa deseja depende de muitas características, incluindo sexo e idade.

O espaço pessoal que uma pessoa prefere também depende da situação. Ao interagir com amigos, parentes ou realizar negócios casuais, a maioria das pessoas prefere uma distância de 0,3 a 1,2 metros. Ao conduzir negócios formais ou impessoais, a maioria das pessoas prefere um espaço pessoal de 1 a 3 metros. Portanto, é provável que uma pessoa se sinta mais confortável em estar de perto de um colega de trabalho confiável do que com um novo cliente.

Embora existam normas amplas para um espaço pessoal confortável, não é incomum que uma pessoa sinta que seu espaço pessoal foi violado quando outra pessoa se senta ou fica muito perto. Quando o espaço pessoal é violado, existem várias reações que as pessoas podem ter. Primeiro, eles podem desistir de fazer o backup ou sair do quarto. 

Segundo, se antecipar a possibilidade de uma violação do espaço pessoal, uma pessoa pode evitar que o espaço seja violado. Isso pode significar ficar longe de reuniões, multidões e festas. Em terceiro lugar, as pessoas podem se isolar da intrusão do espaço pessoal. Um gerente que coloque sua mesa em seu escritório de tal forma que ninguém possa sentar perto dele. Um funcionário que se senta no final de uma mesa durante uma reunião pode estar fazendo isso para evitar que outras pessoas se sentem perto dele. 

Finalmente, uma pessoa pode lutar para manter seu espaço pessoal, pedindo a outra pessoa para voltar atrás ou se afastar. Em um ambiente de negócios, pode ser útil reconhecer os comportamentos em que os outros se envolvem quando seu espaço pessoal é violado. Ou seja, se você perceber que os outros se afastam de você quando estão falando, sentam-se mais à distância ou se parecem fisicamente desconfortáveis, eles podem ter um espaço pessoal maior, que deve ser respeitado.

Linguagem corporal: o toque

No local de trabalho, as pessoas podem usar o toque para se comunicar não verbalmente. O toque funcional-profissional é impessoal. O toque que um médico usa ao realizar um exame físico é um toque funcional-profissional. No entanto, o toque não faz parte da maioria das profissões e, portanto, esse tipo de toque não é usado com frequência nos negócios. O toque social-educado, como um aperto de mão, é muito mais comum. Esse tipo de toque é usado para reconhecer outros indivíduos. É um toque esperado em muitas cultura de negócios. 

Finalmente, o toque caloroso da amizade mostra que você valoriza o outro como pessoa. Um tapinha nas costas, uma mão na cintura ou um abraço é um toque de amizade e calor. Na maioria dos locais de trabalho, o toque social-educado é o único toque necessário, e a maioria dos gerentes e funcionários é encorajada a evitar o uso do toque (particularmente o toque de amizade e calor) no local de trabalho. Enquanto muitas pessoas veem uma mão em um ombro ou um tapinha nas costas como um toque útil para transmitir encorajamento ou preocupação com o bem-estar do outro, os temores de assédio sexual fizeram com que muitos evitassem todos os tipos de toque além dos apertos de mão.

Leia Mais:

Virgilio Marques Dos Santos

Virgilio Marques Dos Santos

Sócio-fundador da FM2S, formado em Engenharia Mecânica pela Unicamp (2006), com mestrado e doutorado na Engenharia de Processos de Fabricação na FEM/UNICAMP (2007 a 2013) e Master Black Belt pela UNICAMP (2011). Foi professor dos cursos de Black Belt, Green Belt e especialização em Gestão e Estratégia de Empresas da UNICAMP, assim como de outras universidades e cursos de pós-graduação. Atuou como gerente de processos e melhoria em empresa de bebidas e foi um dos idealizadores do Desafio Unicamp de Inovação Tecnológica.