Quais são as 6 maneiras de controlar a sua carreira?

Gerenciar a Carreira
25 de março de 2018
Última modificação: 25 de março de 2018

Autor: Virgilio Marques Dos Santos
Categorias: Blog

Descubra 6 maneiras de assumir o controle do desenvolvimento de sua carreira

O século XXI pode ser considerado o DIY do desenvolvimento de carreira, ou seja, estamos vivendo a era do desenvolvimento “faça você mesmo”. As empresas oferecem com menos frequência treinamento formal – uma tradição que existe há anos. Isso pode acontecer porque os funcionários mudam de emprego com certa regularidade, visto que a estabilidade no emprego atinge em média cerca de quatro anos, fazendo com que as empresas não percebam o valor de investir em pessoas com alta probabilidade de sair.

Esse é um forte contraste com o investimento que os líderes seniores costumavam aplicar nos funcionários antigamente. Durante a década de 1990, por exemplo, o “desenvolvimento pessoal” era tratado como uma grande iniciativa das empresas.

Infelizmente, as organizações hoje estão deixando inadvertidamente os funcionários com lacunas de habilidades e pontos cegos que podem atrapalhar a carreira e a eficácia organizacional. E os gerentes não estão ajudando.

Preocupados demais com suas próprias peles, a maioria dos gerentes não tem tempo ou energia para se concentrar nos interesses de outras pessoas. Na verdade, Korn Ferry descobriu que, quando os gerentes se classificavam em 67 habilidades gerenciais, “desenvolver outros” ocupava o último lugar.

Como sobreviver em um ambiente como esse?

Idealmente, as organizações deveriam fazer mais para promover o desenvolvimento de carreira:

  • incentivar feedback imediato;
  • desenvolver critérios de desempenho claros;
  • fornecer feedback de desenvolvimento com clareza e tato;
  • fornecer recursos e incentivos para os gerentes tornarem o desenvolvimento de funcionários uma prioridade.

Mas a realidade é que o maior fardo está nos empregados. Trabalhadores de todos os níveis devem aprender a identificar suas fraquezas, descobrir seus pontos cegos e fortalecer suas habilidades.

Quais são as 6 atitudes que você precisa ter para ter sucesso?

Aqui estão seis coisas que você pode fazer para assumir o controle de seu desenvolvimento de carreira:

1. Entender o que você está avaliando.

Como é o sucesso em sua posição? Quais são suas metas de trabalho e métricas de sucesso? É melhor identificá-las com seu gerente, mas, se isso não estiver acontecendo, anote o que você entende, as metas e os principais indicadores de desempenho. Leve-os ao seu chefe para obter o acordo deles e faça um diálogo contínuo para garantir que você esteja no caminho certo.

2. Resolver seus próprios pontos cegos.

As pessoas com melhores desempenhos estão sempre aprendendo e ajustando e, rotineiramente, buscam feedback de seus chefes, colegas e subordinados. Se o seu chefe não lhe fornecer feedback de forma proativa, inicie a conversa você mesmo. Depois de uma apresentação ou uma grande reunião, diga uma coisa que você acha que correu bem e peça conselhos sobre uma coisa que você poderia melhorar. É melhor mantê-lo simples. A maioria das pessoas só pode absorver uma área para melhorar de cada vez. Ouça e agradeça o seu chefe pelo feedback.

3. Codificar seus aprendizados.

Você pode capturar feedback e aprender mantendo um diário. Liste de cinco a dez habilidades ou competências que você precisa desenvolver em sua posição e avalie a si mesmo (seja sozinho ou com a ajuda de um conselheiro de confiança) em cada uma delas.

Por exemplo, se você é um profissional de Marketing da marca, pode se dar um A em desenvolvimento de publicidade, um B + em análise de preços e um C em trade marketing. Concentre-se nos C’s para fechar as lacunas de habilidades. Buscar feedback de alguém que já realizou seu trabalho pode acelerar seu aprendizado.

4. Aumentar sua visibilidade com o C-suite.

Nem sempre é possível ser notado pelos líderes seniores por meio de seu trabalho direto, portanto, você pode tentar ser voluntário em iniciativas como caridade, eventos da empresa ou recrutamento no campus. Esta é uma maneira fácil, mas muitas vezes negligenciada, de se acotovelar com pessoas mais experientes que o irão enxergar em ação e, idealmente, tomar conhecimento de suas contribuições.

5. Tornar-se um especialista em uma área de importância crescente para sua empresa.

Sua empresa pode estar lidando com a interrupção de uma nova tecnologia, como a Internet, a inteligência artificial ou a computação baseada em nuvem. Torne-se a pessoa especializada em seu departamento em um assunto emergente.

Realize pesquisas e revisões de literatura, participe de conferências ou escreva sobre o assunto. Desenvolver expertise em uma área nascente de importância crescente pode levar a promoções e a outras oportunidades de carreira.

6. Buscar bons conselhos e mentores.

A perspectiva de uma pessoa sênior é inestimável, mas atacar alguém com frases como “Você poderia ser meu mentor?” provavelmente irá assustá-los. Tente se encontrar de uma maneira informal: na lanchonete do saguão de sua empresa ou na área de lazer da empresa.

Conheça a biografia da pessoa e esteja preparado para fazer algumas boas perguntas relacionadas à sua área de especialização. Se as coisas correrem bem, você ouvirá: “Se eu puder ajudar você, deixe-me saber”. Uma semana depois, você pode fazer um convite para “continuar a conversa” durante o café. Com o tempo, um relacionamento de mentor pode se desenvolver organicamente.

Habilidades funcionais fortes levam tempo para se desenvolver.

Na maioria dos cargos, seja vendas corporativas, marketing da marca, logística da cadeia de suprimentos ou finanças corporativas, ser competente geralmente consiste em ter profundo conhecimento funcional em quatro ou cinco áreas de trabalho fundamentais e um bom conhecimento de trabalho em outros quatro ou cinco. Sem a disposição de assumir múltiplas atribuições, ou mesmo movimentos laterais estratégicos, um conjunto de habilidades bem arredondadas será evasivo. É preciso paciência.

No início de carreira, um amigo ainda estava no nível de gerente de uma grande multinacional, enquanto um outro amigo se mudou para vice-presidente, aproveitando-se de uma oportunidade em outra empresa. Mas, à medida que o conjunto de habilidades do meu amigo se solidificou, ele entendeu como as partes do negócio se encaixavam e sua progressão na carreira acelerou.

Seu conjunto de habilidades é, em última análise, o seu capital de carreira, por isso dedique um tempo para desenvolver suas habilidades funcionais. Saltar de emprego em emprego com muita rapidez (por exemplo, em incrementos de 18 meses ou de dois anos) não permitirá que você desenvolva o conhecimento funcional necessário para avançar em sua carreira. Com tempo, paciência e tomando a iniciativa, você tem mais chances de prosperar nesse mundo de corporativo.

Como a FM2S te ajuda nisso?

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dois =