Cuidado com as lendas corporativas

lendas corporativas
14 de julho de 2015
Última modificação: 14 de julho de 2015

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Blog

O que são Lendas Corporativas?

O que é uma lenda?

Neste sentido da palavra, uma lenda é definida como uma pessoa que tomou medidas extraordinárias para alcançar um objetivo. O cara que dirigiu 400 milhas para apoiar o pedido urgente de um cliente. A equipe que trouxe 40 funcionários a bordo com 48 horas de antecedência. A mulher que, apesar de todas as probabilidades, conseguiu passar com sucesso por uma auditoria corporativa com uma conclusão bem-sucedida. Basicamente, são as pessoas e as ações que incorporam os altos padrões que sua organização representa.

Qual é o propósito?

Claro, posso lhe dizer quais são os nossos valores corporativos. Eu posso até dar uma ideia genérica do que eles significam. No entanto, a comunicação humana tem uma longa base histórica em narrativas e tradições. Contar com você sobre como um de nossos funcionários realmente incorpora o espírito de nossos valores corporativos faz com que fique em seu cérebro muito melhor. Se ocorrer uma situação semelhante, você não vai se perguntar como proceder. Você poderá recordar a lenda e o que outra pessoa fez para alcançar o sucesso.

Como as lendas corporativas moldam a cultura?

Alguns anos atrás, em uma multinacional com base em um arranha-céu na cidade de Londres, rolou a história de um gerente que foi demitido após apenas alguns dias em sua nova posição por ter mencionado o nome de um cliente enquanto respondia a pergunta aparentemente inocente de seu chefe: “Como está indo, sobre o que você está trabalhando?” Estranho, você não diria?

Esses tipos de lendas corporativas fazem parte dos estudos de caso que analisamos em escolas de negócios. Por exemplo, a Southwest Airlines diz que seus pilotos estão sempre dispostos a ajudar a limpar os aviões que voam. A Microsoft conta o caso de um engenheiro que cometeu todos os tipos de erros nos projetos em que trabalhava, seguindo constantemente o caminho para a empresa, até que eventualmente ele tornou-se vice-presidente. Tenho certeza de que sua organização tem histórias semelhantes que são discutidas em torno da máquina de café. Elas são poderosas…

Por que essas histórias resistem? Por que elas são tão eficazes? Em primeiro lugar, eles tendem a ser contra-intuitivas e puxam você para baixo. Um piloto que limpa um avião depois de chegar ao seu destino? Uma empresa que leva você para responder seu chefe quando ele faz uma pergunta? A história faz o ouvinte pensar sobre o que aconteceu e encoraja a análise da forma como a empresa trabalha. Ao mesmo tempo, essas lendas fazem parte de uma rede informal de comunicação. Eles são compartilhados entre empregado.

Finalmente, as lendas corporativas são sempre sobre valores que são altamente relevantes dentro da cultura da empresa, mesmo que eles possam não parecer imediatamente visíveis. Essas histórias enviam uma mensagem potente ao longo das linhas de “fazer isso” ou “não fazer isso”, e sempre tem que ver com negócios. Na Southwest Airlines, os pilotos estão preparados para limpar o avião antes do próximo voo se houver um atraso, pois, dessa forma, contribuem para a pontualidade da empresa, seu fator diferencial. Microsoft ..

Como as lendas corporativas começam?

Lendas Corporativas: tome cuidado com algumas informações que nos chegam. Elas podem rapidamente transformarem-se em “verdades”. Consideremos como surgiu a lenda dos vampiros.

A história começa com a senhora Elizabeth Bartolo. Algumas pessoas disseram a ela que se tomasse banho com o sangue de jovens virgens, ela nunca iria envelhecer. Então, ela pediu aos seus empregados que fossem atrás de virgens com o intuito de encontrar o sangue para o seu banho da juventude. Seguindo suas ordens os servos localizaram as virgens, retiram seu sangue e jogaram seus corpos sem sangue nas redondezas da propriedade. Quais eram as possibilidades?

Há uma doença sanguínea chamada porfiria que possui graves sintomas e um dele é o surgimento de erupções na pele causadas pela exposição à luz do sol. Por isto, portadores desta doença passam os dias se escondendo do sol e só saem à noite, o que os torna extremamente pálidos. Outro sintoma é o sangramento das gengivas. Imaginem se vocês conhecessem alguém com pele pálida, que não pode expor-se ao sol, só sai à noite e ainda assim o visse com as gengivas sangrando? As chances de você acreditar que vampiros existem começariam a aumentar, não?

Como funcionam as lendas Corporativas?

Tudo isto aliado aos corpos sem sangue encontrados próximos a casa da senhora Elizabeth resultaram na crença em vampiros. Como adicional, fala-se que os vampiros tem alergia a alho. Por sorte, duas pessoas que eu conheço e que tem esta doença são alérgicas ao alho. Desta maneira a possibilidade de que os vampiros existem torna-se cada vez mais uma crença.

Possibilidades com uma boa história podem rapidamente tornarem-se fato e crença. Assim, é importante desconfiarmos das possibilidades e aceitarmos que elas possuem uma enorme importância na forma como pensamos. Dito isto, cuidado com seus modelos mentais e com as explicações e teorias que ouvem diariamente. Muitas reuniões para análises de problemas podem acabar atribuindo a causa aos vampiros e lobisomens. Olho aberto. Desconfie e faça-os provar. Em Deus acredito, para os demais, tragam-me dados, por favor.

*O que é porfiria?

É um conjunto composto por cerca de oito doenças diferentes, todas de caráter genético, além de também poderem ser de forma adquirida, decorrentes de disfunções enzimáticas durante a síntese do heme. Com isto ocorre uma acumulação e uma superprodução de precursores do metabolismo.

A palavra “porfiria” possui origens gregas e remete a algo como “pigmento roxo”. Este nome também possui relação com a aparência arroxeada do fluído corporal que as pessoas portadoras produzem durante uma crise. Devido aos sintomas produzidos pela porfiria, esta foi, muitas vezes, utilizada para explicar as lendas dos lobisomens e dos vampiros.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *