Seis Sigma e Qualidade: como se relacionam?

Seis Sigma e Qualidade
01 de dezembro de 2016
Última modificação: 01 de dezembro de 2016

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Seis Sigma

Seis Sigma e Qualidade: o que tem a ver estes dois conceitos?

Apesar do Seis Sigma estar definitivamente tendo êxito em criar resultados impressionante e mudanças culturais em algumas empresas influentes, ele certamente ainda não é um sucesso amplamente difundido, principalmente no Brasil. Como o Seis Sigma e Qualidade de conectam?

Já a qualidade, ou melhor, a famosa Gestão da Qualidade Total, que foi moda nos anos 80 e agora sumiu, não podemos pensar que estar morta. Muitas empresas ainda estão comprometidas com esforços de melhoria baseados nos princípios e ferramentas da Gestão da Qualidade Total. E o Seis Sigma, é, em muitos aspectos, um renascimento vigoroso dos ideais e métodos da qualidade, já que estes são aplicados com paixão e comprometimento ainda maiores do que geralmente era o caso no passado.

Porém, apesar dos Seis Sigma e Qualidade terem este estreito relacionamento, pode-se afirmar que os resultados do Seis Sigma estão mostrando-se bem superiores. Os programas da qualidade do passado eram geralmente vítimas de erros que feriam tanto seus resultados quanto a reputação da Gestão da Qualidade Total. Erros estes, que poderiam ser facilmente repetidos pelas empresas que agora estão fazendo uma tentativa com o Seis Sigma.

Seis Sigma e Qualidade são complementares?

Logo, realmente esperamos que os exemplos e métodos de base ampla que lhe são fornecidos em nossas certificações Green Belt, Black Belt, Lean e Gestão de Projetos, ajudem aquelas empresas já comprometidas com a qualidade ou melhoria de processos a melhorar seus esforços já existentes. E como? Por meio de uma melhor compreensão do sistema Seis Sigma por inteiro.

Quando falamos em Seis Sigma e Qualidade, lembramos do legado deixado pela Qualidade Total. Se em parte houve pontos positivos, de outro lado ainda vemos algumas organizações de olho roxo. E por que? Em parte, a visão negativa é apenas percepção, ou seja, foi o preço que a Qualidade Total teve de pagar por ter sido tão falada em seus primeiros anos.

Com a mesma importância, porém, a forma por meio da qual muitos esforços foram apresentados e gerenciados deixou um gosto amargo na boca de muitos veteranos na Gestão da Qualidade Total. Logo, pessoas que têm experiência com Qualidade podem ser mais difíceis de convencer que o Seis Sigma realmente tem algo novo e superior a oferecer.

Alguns dos erros dos esforços da GTQ, podem certamente ser repetidos em uma iniciativa Seis Sigma se você não tiver cuidado. A armadilha final que pode aprisionar qualquer organização com melhores em mente, é a complacência.

Certamente não seria aconselhável para uma empresa que integrou a melhoria da qualidade com êxito às suas práticas de negócios, abandoná-la e substituí-la pelo Seis Sigma. Mas uma visão tão míope quanto esta seria ignorar os avanços em ferramentas e em princípios de gestão de negócios que foram alcançados pelo sistema Seis Sigma, somente porque “já estamos fazendo qualidade”.

Como o Seis Sigma e Qualidade se encontraram?

O Six Sigma é uma estratégia de gerenciamento de negócios que visa melhorar a qualidade dos processos minimizando e, eventualmente, removendo os erros e as variações. O conceito de Six Sigma foi introduzido pela Motorola em 1986, mas foi popularizado por Jack Welch, que incorporou a estratégia em seus processos de negócios na General Electric. O conceito de Seis Sigma surgiu quando um dos executivos seniores da Motorola se queixou da má qualidade da Motorola. Bill Smith finalmente formulou a metodologia em 1986.

A qualidade desempenha um papel importante no sucesso e no fracasso de uma organização. Desconsiderar um aspecto importante como a qualidade, não permitirá que você sobreviva no longo prazo. O Six Sigma garante qualidade superior de produtos, removendo os defeitos nos processos e sistemas. Six sigma é um processo que ajuda a melhorar os processos e sistemas globais, identificando e, eventualmente, removendo os obstáculos que podem impedir a organização de atingir os níveis de perfeição. De acordo com sigma, qualquer tipo de desafio que se depara nos processos de uma organização é considerado um defeito e precisa ser eliminado.

As organizações que praticam o Six Sigma criam níveis especiais para os funcionários dentro da organização. Esses níveis são chamados de: “green belts”, ” black belts ” e assim por diante. Os indivíduos certificados com qualquer um desses cinturões são frequentemente especialistas em processo de seis sigma. De acordo com o Six Sigma, qualquer processo que não leve à satisfação do cliente é referido como um defeito e deve ser eliminado do sistema para garantir qualidade superior de produtos e serviços. Toda organização se esforça para manter a excelente qualidade de sua marca e o processo de seis sigma garante o mesmo, removendo vários defeitos e erros que impedem a satisfação do cliente.

Quais as funções e responsabilidades do agente de qualidade?

  • Ele é responsável por garantir a qualidade dos produtos e serviços; E assim cuidar de todo o processo de QA no ciclo de desenvolvimento de software.
  • É um vigia do oficial de garantia de qualidade para manter os altos padrões de um produto ou serviço.
  • Uma das responsabilidades mais importantes é que ele tem que melhorar os padrões de QA já definidos que já estão definidos.
  • Ele também é responsável por exibir as estatísticas de vendas e verificar as possíveis quedas nas vendas por causa da qualidade não tão boa de produtos e serviços.
  • É responsabilidade do oficial da QA garantir que a definição de qualidade seja entendida por todos os funcionários para alcançar o objetivo comum.

Com o passar do tempo, as técnicas de avaliação e teste de qualidade sofreram mudanças revolucionárias. Portanto, torna-se crucial que um escritório de QA fique atualizado e atualizado com os recentes lançamentos de produtos, seminários e workshops em domínio de gerenciamento de qualidade. Esta prática pode desempenhar um bom papel na manutenção do conhecimento técnico e acompanhar os padrões de QA em rápido crescimento. Muitas vezes, as pessoas consideram o controle de qualidade e a garantia de qualidade o mesmo. Na realidade, há uma diferença sutil em ambos os métodos. De acordo com os especialistas do sistema de gerenciamento de qualidade, o controle de qualidade tem mais ênfase no produto em questão. Por outro lado, a QA consiste em focar o processo de desenvolvimento.

Conclusão

Assim, precisamos tomar cuidado. Se nossa única razão para o Seis Sigma é porque pensamos que nossos esforços pela melhoria existentes são “suficientemente bons”, isto deve ser um aviso em si mesmo. Seis Sigma e Qualidade, Seis Sigma e Lean, Seis Sigma e qualquer outra metodologia de melhoria de processos, ao meu ver, devem conviver pacificamente e de maneira sinérgica.

Uma grande empresa do setor siderúrgico, certa vez, resolveu mudar toda sua estrutura de melhoria. Isto aconteceu, pois, o novo presidente era adepto do Lean e ao chegar, desmontou a área de Seis Sigma. Criou umas das maiores aberrações organizacionais que já, em que o Seis Sigma respondia para Qualidade e o Lean, direto para a presidência. Qual é a finalidade de todos estes programas? Melhorar os processos para que os clientes tenham disponível um produto de maior valor, na percepção deles. Mais qualidade e menor custo, estes para mim são os objetivos reais. Se vou utilizar A3, PDSA, PDCA, QC Story, ou coisa que o valha, não tem problema algum.

Aprenda, Aplique, Destaque-se!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *