Mapa mental: o que é? Como utilizá-lo?

MAPA MENTAL FM2S BLOG
18 de junho de 2019
Última modificação: 19 de julho de 2021

Autor: Paulo Oliveira
Categorias: Blog, Melhoria de Processos

Já  ouviu falar de mapa mental? Gostaria de aprender a utilizá-lo para melhorar suas analises?

Existem muitos modelos de mapas mentais, mas a maioria das pessoas não sabem exatamente como fazê-los, ou até mesmo para que servem.

Dessa forma, confira nesse artigo o que você precisa saber sobre essa técnica poderosa que auxilia as pessoas a visualizarem seus pensamentos e comunicá-los aos outros de maneira mais simples e objetiva, consistente à sua temática. Os tópicos desse artigo serão:

  • O que é um mapa mental?
  • Por que fazer um mapa mental?
  • a importância dos mapas mentais
  • Como fazer um mapa mental. (passo a passo)
  • Ferramentas para criar mapas mentais
  • benefícios e cuidados

O que é um mapa mental?

Um mapa mental é uma forma gráfica de representar visualmente ideias e conceitos. É uma ferramenta de pensamento visual que auxilia na estruturação da informação, auxiliando você a analisar melhor, compreender, sintetizar, relembrar e gerar novas ideias.

Assim como em toda grande ideia, seu poder está em sua simplicidade. Mapas mentais são, um pouco, semelhantes a mapas conceituais. Porém os conceituais são elaborados para criar relações entre conceitos e frases de ligação, formando preposições que, em tempo real, são passiveis de análise lógica.

Em um mapa mental, ao contrário das anotações tradicionais ou de um texto linear, as informações são estruturadas de uma forma que se assemelha muito mais a como seu cérebro realmente funciona. Logo, por ser uma atividade analítica e artística, ela envolve o cérebro de uma forma muito, muito mais rica, ajudando em todas as suas funções cognitivas.

Como surgiu

Os seres humanos são criaturas que necessitam, frequentemente, de apoios visuais para que sejam capazes de assimilar algo, aprender, realizar tarefas e reproduzir conhecimentos. Foi a partir dessa necessidade que na década de 70 o pesquisador inglês Tony Buzan desenvolveu a técnica que ficaria conhecida como mapeamento mental.

Buzan estava em busca de uma metodologia que o auxiliasse a memorizar grandes quantias de informações durante seus anos como universitário. Dessa forma, Buzan estudou e compilou anotações de pesquisadores das principais áreas do comportamento humano e combinou com suas próprias anotações sobre psicologia, criatividade e memorização. 

Após realizar diversos testes e comprovar o sucesso de sua teoria na prática, Buzan publicou o livro “The Mind Map Book”, em 1995, que descreve como a criação de mapas mentais atua na contextualização de um tema a partir de conexões diversas, permitindo ao usuário obter uma visão geral do tema e fixar-se em seus pontos mais importantes através de associações.

Por que fazer um mapa mental?

Um mapa mental pode ser usado como um sistema simplificado de gerenciamento de conteúdo. Assim, ele permite que você armazene todos os seus dados em um local centralizado para se manter organizado, o que te possibilita construir uma estrutura mais intuitiva em torno do conceito central. 

Além disso, criar mapas mentais pode transformar uma longa lista de informações monótonas em um diagrama colorido, memorável e altamente organizado que funciona de acordo com a maneira natural de fazer as coisas do seu cérebro.

imagem ilustrativa de mapa mental

Exemplo de Mapa Mental para gestão de projetos

A importância dos mapas mentais

Qualquer pessoa pode fazer e tirar proveito de um mapa mental. Contudo, há algumas profissões que conseguem obter benefícios extras ao aplicá-los ao seu dia a dia:

  • Professores: conseguem adquirir um maior pensamento sistêmico de como os modelos de aula e explicações pode colaborar para o bom andamento da aula;
  • Estudantes: são beneficiados pelo fator de memorização e compreensão assimilativa dos mapas;
  • Gestores: a condução de atividades de médio e longo prazo, bem como a criação de estratégias e planos de projetos serão impactados, o que auxilia esses profissionais a ter uma liderança mais “próxima” de cada processo;
  • Consultores e auditores: a forma como cada informação será coletada, a busca pela causa raiz dos problemas e a comunicação de soluções, preventivas ou corretivas, é facilitada pela apresentação de um mapa mental;
  • Profissionais de criação: o processo de brainstorming pode ser muito mais dinâmico e assertivo, com o uso de mapas mentais;
  • Desenvolvedores: assim como os profissionais criativos, desenvolvedores conseguem executar melhor seus sprints quando visualizam atividades e possíveis desvios exemplificados em um mapa mental.

Mapa mental para temas gerais

Na verdade, o mapa mental pode ser aplicado não só para pessoas, como para temas gerais, sejam eles da atualidade ou fatos históricos. Por exemplo, se você pesquisar “mapa mental coronavírus” ou mesmo “mapa mental feudalismo”, encontrará outras aplicações desta incrível ferramenta.

Ebook como acelerar a carreira profissional com a educação a distância

Como fazer um Mapa Mental? (passo a passo)

A criação de mapas mentais não segue uma regra padrão ou única. Portanto, cada pessoa pode criar o seu seguindo a estrutura difundida por Buzan, e realizando as adaptações que lhe forem necessárias. Seguindo a estrutura a ideia central é:

Passo 1: realize um “brainstorming”

O mapa mental exerce a função de apoio visual para que suas assimilações se fixem em sua mente. Portanto, tire um tempo para fazer um brainstorming.

Essa etapa irá estimular seu cérebro a criar, ou buscar externamente, tópicos que estejam associados ao tema, que pode ser uma palavra, um evento histórico, uma imagem, um problema a solucionar ou uma pergunta inicial. 

Após isso, escreva seu tema no centro de um papel em branco e avance para a etapa seguinte. Existem também alguns softwares ou sites para mapa mental online que discorreremos mais abaixo.

Se você não sabe o que é ou como fazer um brainstorming, confira:

Passo 2: organize as informações

Em seguida, agora que tem seu tema central, e o brainstorming o ajudou a encontrar assuntos e tópicos que podem ser associados a ele, é hora de organizar isso. 

Você desenvolverá sua proposta de estudo do tema  a partir dessa organização, portanto, crie ramificações utilizando setas a partir do centro e, em cada ponta das setas, insira os tópicos associados. Para cada ramificação, uma dica que pode ajudar é utilizar uma palavra chave, assim seu material fica objetivo e resumido.

Em organizações, é comum mapas mentais que possuem de 4 a 8 ramificações, pois a pessoa que o cria estabelece que os tópicos associados estão ligados a: tarefas a serem desempenhadas, questionamentos a respeito do tema central, ideias e possibilidades de abordagem, equipe e responsabilidades, prazos, etc.

Passo 3: complete seu mapa

Em seguida, você pode completar seu mapa mental com novas ramificações distribuídas a cada tópico associado, usando assim, formas geométricas e cores para melhorar o aspecto visual e impactar ainda mais na compreensão de quem o lê.

Caso esteja criando seu mapa em um software, você também pode adicionar arquivos, imagens e espaço para comentários e anotações. Isso faz com que o dinamismo e a colaboração dos envolvidos na aplicação do mapa seja ainda maior. 

E lembre-se, um mapa mental não é algo imutável. Há sim um melhor aproveitamento dos que se mantêm constantes por um maior período, mas em ambientes como empresas podem haver mudanças. Por isso, cada vez que algo for alterado, ou precisar ser incluído, tenha em mente que novas ideias podem surgir e a abordagem do tema central pode ser aprimorada. 

Ferramentas para criar mapas mentais

Para algumas pessoas, os mapas mentais feitos em papel e caneta cumprem o objetivo. Contudo, há profissionais, processos e organizações que necessitam de algo mais robusto, editável e de fácil distribuição. Por isso, listamos algumas ferramentas e/ou sites para fazer mapa mental online bastante úteis, confira:

Canva: talvez o site mais conhecido para criação por sua praticidade. Com ele qualquer pessoa pode criar um mapa mental altamente visual e com aspecto bastante profissional. Além disso, é uma ferramenta majoritariamente gratuita, que exige apenas um login, guarda todas as suas criações e que o auxiliará em muitas outras artes.

Mindmeister: outro site que te oferece uma infinidade de opções na hora de criar seu mapa mental. A proposta central do site é essa mesmo, então toda sua tratativa torna a vida do usuário muito fácil. Possui versão gratuita e paga, e se o usuário for estudante, dispõe de desconto.

Lucidchart: permite que qualquer pessoa crie mapas mentais, diagramas, cronogramas, e diversos outros gráficos. Possui: integração a algumas ferramentas, modo colaborativo, modelos pré-montados e opção gratuita e paga.

Coggle: essa ferramenta possui uma plataforma muito intuitiva e que possibilita ao usuário criar mapas mentais de forma ágil, visual e prática. Você pode optar pela versão gratuita ou paga.

Existem diversos outros sites e softwares para te ajudar na criação de seu mapa mental. Tenha apenas uma coisa em mente na hora de determinar qual irá lhe servir melhor: mapas mentais devem ser associativos, as pessoas precisam bater o olho e compreender as informações

Benefícios e cuidados

Já explicamos quase tudo sobre o mapeamento mental, mas vamos utilizar essa seção para deixar claro os benefícios, e também os cuidados, inerentes ao uso dessa técnica. Dentre os benefícios temos:

  • Melhor estruturação de informações: atua de forma holística, o que torna a estrutura e associação do conjunto muito mais robusta;
  • Estímulo da criatividade: através do brainstorming o fluxo cerebral traz a tona pensamentos e ideias ainda não explorados individualmente;
  • Maior colaboração: pois atua de maneira ativa e junto dos envolvidos;
  • Melhoria na memória: por estimular a associação entre tema central e tópicos;
  • Aumento na produtividade: o assunto levantado reduz desvios e procrastinação.

Já entre os cuidados ao uso de mapas mentais, citamos:

  • Pessoas que não atuam com pensamento lógico podem ter dificuldade na compreensão;
  • Necessita de participação de todos de forma ativa. Este é um benefício e cuidado, pois dependendo do objetivo pode ser algo difícil à organização ou equipe.

Resumo

Em síntese , podemos definir o mapa mental como uma ferramenta de gerenciamento de informação visual que nos ajuda a estruturar, organizar, memorizar, organizar, fazer brainstorming e aprender informações de uma forma altamente especializada.

Assinatura FM2S

Gostou? Torne-se um Assinante FM2S e tenha acesso a outros conteúdos voltados para a gestão e melhoria de processos como o Curso de Folha A3 e nosso Curso de Metodologias Para Excelência Operacional.

 

 

Leia mais no blog:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =