Manutenção: Entenda todos os tipos e suas aplicações

Para que serve a Manutenção
16 de julho de 2020
Última modificação: 16 de julho de 2020

Autor: Paula Louzada
Categorias: Blog, Lean

Manutenção Industrial: Entenda todos os tipos e suas aplicações

Os serviços de manutenção industrial são de extrema importância. São eles os responsáveis por gerar lucros, garantir o bom funcionamento, o prolongamento da vida útil de equipamentos e a permanência de uma indústria no mercado. Através dela é que se garante a qualidade de produtos e serviços. Esse conceito possui dois principais objetivos. O primeiro e mais comum envolve o papel da manutenção, ou seja, “consertar as coisas“. O segundo, e não por isso menos importante, está relacionado com a função de “manter o equipamento funcionando“.  Apesar de parecidos, esses conceitos representam grandes diferenças em abordagens, prioridades e resultados. Nesse artigo, você vai conferir os nove tipos de manutenção que vão ajudar a garantir o pleno funcionamento de seus equipamentos, sem que a produção seja impactada por falhas e/ou paradas.

Confira também:
Na busca pela mitigação de falhas e redução de desperdícios, a metodologia e filosofia Lean é uma grande aliada! Confira a apostila gratuita de Introdução ao Lean ou Matricule-se no Curso gratuito de Introdução ao Lean da FM2S!

apostila-introducao-lean

Para aprofundar ainda mais seus conhecimentos, conheça a seção Formação Lean da nossa Plataforma EaD!

Sem mais delongas, sabendo que o objetivo da indústria é obter lucros, parece intuitiva a ideia de que os donos façam projeções a fim de analisar os investimentos, produtividade, etc. Entre essas análises, incluir a manutenção é fundamental para maximizar os lucros. Isso porque toda máquina que apresenta uma falha ou mau funcionamento deve ser paralisada para realizar manutenção e reparos. Logo, tendo isso em mente, é fácil entender porque os reparos são necessários.

Assim os conhecimentos em manutenção são extremamente importantes para a lucratividade de um negócio e, mais do que isso, para que os grandes empresários contratem pessoas especializadas nessa função. Afinal, como saber se um colaborador está sendo produtivo se você não conhece as funções que ele deve desempenhar? Pois bem, neste artigo você vai entender tudo o que precisa saber sobre a manutenção industrial

O que é Manutenção?

Em geral, pode ser definida como o conjunto de esforços para manter a condição e o desempenho de uma máquina sempre com a condição e o desempenho que ela tem quando ainda é nova. Neste post, abordaremos para que serve a manutenção e seus benefícios. As atividades de reparos podem ser basicamente divididas em dois tipos: as planejadas e as não planejadas.

A manutenção planejada, mais especificamente, é organizada e executada com base na projeção de futuro, pelos controles e registros provenientes dos planos determinados anteriormente.

No entanto, o tipo de reparonão pode ser equiparado a cada equipamento, o que depende do método, custo e nível crítico.

Para conhecer mais detalhadamente cada um desses métodos, confira o post de Gestão de Manutenção. Se se interessou, vale a pena conferir o curso de TPM da FM2S.

A importância da Manutanção

Para entender melhor quais são os diferentes tipos de manutenção, antes é necessário entender quais são os benefícios e a importância desse serviço.

Em resumo, sua principal função é prevenir falhas em máquinas ou equipamentos (ativos) e, quando elas ocorrem, sua função é reestabelecer o pleno funcionamento dos equipamentos antes que causem graves prejuízos nas indústrias. Assim, a importância da manutenção é ainda mais reforçada pelos seus três principais benefícios.

  • Aumento da vida útil dos equipamentos: com o monitoramento constante, fica mais fácil identificar defeitos e falhas e assim eliminá-los antes que causem danos de forma mais grave à estrutura do equipamento, logo, eles tendem a durar por mais tempo. Ainda assim, as trocas de peças defeituosas reduz a carga sobre outras que estão em pleno funcionamento, reduzindo desgastes e aumentando também a vida útil destas peças;
  • Redução do risco de acidentes: com máquinas operando 100% o índice de falhas é menor e, por consequência, os riscos de acidentes também ficam reduzidos. Isso impacta no ambiente de trabalho, além de elevar a sua produtividade, evitando processos judiciais à empresa.
  • Redução de custos: O aumento da vida útil das máquinas faz com que você despenda menos custos com peças e maquinários. Por fim, outro importante fator é que a máquina poderá operar por muito mais tempo sem interrupções, aumentando sua produtividade e lucros.

O reparo regular dos ativos é, na verdade, uma ação obrigatória e serve para manter o negócio em constante crescimento.  Assim, sua função é manter o desempenho da organização que a aplica otimizado, de forma a reduzir ao mínimo a falha. No fim das contas, isso pode levar a um desempenho efetivo dos ativos.

Tipos de Manutenção

São diversos os modelos de manutenção utilizados na indústria, afinal cada organização utiliza aquela que melhor se adequa ao seu ambiente de trabalho e, ao mesmo tempo, que atende às exigências do mercado em que atua. Pela diversidade de modelos é fácil inferir que um único modelo não seria suficiente para atender à todas as indústrias possíveis.

Logo, os tipos de manutenção são escolhidos sob uma lista de pré-requisitos da indústria que envolvem: custos, ramo de atividades, normas de qualidade, indicadores e muitos outros. Entre os tipos de manutenção existentes estão:

  • Corretiva
  • Preventiva;
  • Preditiva;
  • Detectiva;
  • Autônoma;
  • Produtiva Total (TPM);
  • De Quebra;
  • De Parada;
  • Baseada no tempo.

Agora que você já sabe o que é, além da importância da manutenção industrial, vamos apresentar aqui, qual a finalidade e as principais aplicações de cada um dos tipos de manutenção elencados acima.

Manutenção Corretiva

Sendo o tipo mais conhecido, a manutenção corretiva nada mais é do que a tarefa de realizar reparos em uma máquina ou equipamento que apresentou defeito. Ela costuma ser dividida em dois tipos diferentes:

  • Corretiva programada: ocorre de maneira planejada. Sempre que um defeito em uma máquina não é fatal, ou seja, não promove a interrupção de seu trabalho, o reparo pode ser adiado, escolhendo-se um momento mais favorável para ser realizado;
  • Corretiva emergencial: acontece de forma repentina. Sempre que uma máquina de grande importância para a produtividade industrial apresenta falhas, seu concerto é fundamental. Em geral, quando a falha acontece, um técnico é enviado para recolocar a máquina em operação o mais rápido possível.

Apesar deste modelo ser indispensável, principalmente tratando-se do modelo emergencial, é necessário levar em conta que depender apenas da manutenção corretiva pode acarretar na perda de produtividade. Na sequência, haverão outros modelos que, quando combinados à corretiva podem trazer melhores soluções ao seu negócio.

Manutenção preventiva

Se por um lado a manutenção corretiva atua sempre que um equipamento apresenta defeito, a preventiva deve realizar reparo de peças antes que o defeito aconteça. Para isso, esse modelo utiliza de uma série de indicadores técnicos que são controlados através de um cronograma de vistorias, semelhantes às revisões realizadas em um automóvel. Também utiliza-se como apoio os manuais e informações repassadas pelo fabricante para que todos os reparos sejam realizados conforme os padrões estabelecidos.

Em indústrias de produção contínua, ou seja, aquelas onde as máquinas são exigidas constantemente, o estresse causada pelo funcionamento contínuo reduz a vida útil das peças. Assim, diante dessas condições de produção a manutenção preventiva é plenamente benéfica, elevando a vida útil dos equipamentos e garantindo a operação das máquinas.

Manutenção preditiva

Consiste em uma técnica que utiliza ferramentas e estratégias de monitoramento de condições para rastrear o desempenho do equipamento durante a operação normal, de forma a detectar possíveis falhas e defeitos e corrigi-los antes que resultem em falha. Assim, utiliza de sensores e equipamentos de monitoramento para verificar constantemente a condição dos componentes das máquinas. Este modelo é usado para que as indústrias operem, de fato, no modo mais eficiente possível, minimizando a quantidade de interrupções e prejuízos causados por falhas e defeitos.

No entanto, como a principal base da manutenção preditiva é o sistema operacional, o tempo para implementá-lo pode ser uma barreira. Afinal, além da instalação, é preciso integrá-lo a demais softwares de manutenção e capacitar os colaboradores para trabalhá-lo no dia a dia, criando assim uma cultura que pode demandar tempo, e recursos, que nem todas organizações estão dispostos a alocar.

Manutenção Detectiva

A detectiva surgiu como alternativa à manutenção preditiva. É um modelo utilizado em indústrias que não utilizam o maquinário com alta frequência.

Também utiliza de sensores para monitorar as máquinas e equipamentos, mas diferente da preditiva, é realizada em períodos que seguem um cronograma e não de forma constante ao longo do tempo. Alguns especialistas costumam explicar este modelo como sendo uma junção da manutenção preditiva com a preventiva.

Manutenção Autônoma

Tem como objetivo treinar colaboradores para que eles sejam capacitados em melhorar o ambiente de trabalho através da otimização de processos e com atividades mais eficientes.

Assim, neste modelo a responsabilidade pelos reparos do equipamento é delegada aos colaboradores que estão utilizando-o.

Para que este modelo seja bem aplicado, é fundamental o treinamento dos colaboradores, assim não apenas se garante um melhor funcionamento e reparo da máquina, bem como uma utilização mais cuidadosa, aumentando assim, sua vida útil.

Manutenção Produtiva Total (TPM)

A manutenção produtiva total, ou também conhecida da sigla em inglês TPM (total productive maintenance), consiste em estabelecer uma cultura de conscientização dos colaboradores de uma organização, a respeito da importância de preservar determinados equipamentos e maquinário utilizados na produção.

Esse tipo de manutenção faz com que a eficácia geral do equipamento (OEE) e a quantidade de manutenção planejada sejam aumentadas. Assim, um trabalho mais planejado significa que mais trabalhadores têm os recursos necessários para realizar seu trabalho, o que significa níveis mais altos de satisfação.

Aproveite para conhecer o curso de OEE disponível na Assinatura FM2S. Ele permite o aluno a entender os princípios do OEE, e visualizar sua aplicação por meio de exemplos e exercícios. Deixamos abaixo uma vídeo aula do curso pra você conferir!

Além disso, o TPM também aproveita os operadores de máquinas para participar dos reparos e se empoderar a respeito de seus equipamentos.

Manutenção de Quebra

Semelhante a corretiva, a manutenção de quebra só é realizada quando um equipamento apresenta problemas, porém diferente da corretiva, ela só ocorre quando a máquina deixa de funcionar. Esse modelo também é realizado sem seguir qualquer cronograma ou plano de manutenção. Em contrapartida a um aparente descaso, a manutenção de quebra só é adotada quando a parada de um equipamento industrial não decorrerá nenhum prejuízo para a indústria. Logo não há nenhuma prioridade para que os reparos sejam realizados.

Manutenção de Parada

Também conhecida pelo nome de breakdown maintenance, este modelo é conhecido como o processo de paralização do equipamento de modo planejado para que os ajustes necessários sejam realizados. No entanto, consiste em um modelo que deve ser feito quando o equipamento apresenta uma falha grave ou, por algum motivo há obstrução no plano.

Sabendo que todo processo de manutenção segue um cronograma, a parada do equipamento não gera nenhum prejuízo para a indústria. Assim, a equipe responsável tem o tempo necessário para realizar os reparos.

Manutenção Baseada no tempo

Consiste em um modelo que é executada por meio de procedimentos simples, ou seja, que não exigem grandes conhecimentos por parte dos funcionários. Entre os procedimentos podemos listar:

  • inspeção visual;
  • lubrificação;
  • limpeza de componentes.

Para que serve o Gerenciamento da Manutenção?

Como vimos anteriormente, o principal objetivo da manutenção do equipamento é manter a funcionalidade do equipamento e minimizar suas falhas. Para equipamentos mecânicos, esse gerenciamento envolverá reparo, substituição e serviço de ferramentas. Também garante o funcionamento adequado e intercepta as flutuações que ocorrem durante o processo de produção.

O fato é que, qualquer que seja o tipo de alteração, mesmo um pequeno tempo de inatividade, poderia reduzir a eficiência geral das máquinas, o que levaria a grandes perdas de produção. Portanto, é importante para as organizações hoje obter e implementar uma boa estratégia de manutenção. E é aí que entra a Gestão da Manutenção.

Assim sendo, em casos em que não há Gerenciamento de Equipamentos, o Gerenciamento da Manutenção pode permitir enfrentar alguns problemas que possam ter surgido como consequências de decisões descuidadas. Alguns deles são:

  • Perda de produção;
  • Reprogramação de projetos completos;
  • Desperdício de material de recursos que ainda não foram utilizados;
  • Com o tempo de trabalho, devido ao tempo de inatividade
  • Descarte de máquinas e equipamentos antes do final de sua vida útil

Como desenvolver o Gerenciamento de Manutenção?

Por outro lado, você pode ignorar esses tipos de problemas ao criar estratégias para um sistema de manutenção de equipamentos em sua organização. Existem poucas intenções que você precisará manter em mente ao programar o reparo de equipamentos em seus negócios:

  • Planejar e definir internamente alguns padrões de qualidade e uso para a equipe, baseados também no seu tipo de ativo. Dessa forma, o ativo será operado da maneira apropriada, reduzindo as chances de uso indevido e tempo de inatividade;
  • Realizar reparos cuidadosos, quando consultas adequadas forem feitas do lado do departamento em questão. Dessa forma, seus projetos de manutenção serão programados adequadamente e determinarão a necessidade de subcontratação, sempre que necessário;
  • Documentar todas as atividades completamente. Isso facilitará o rastreamento do histórico de reparos e o cálculo da depreciação para descarte oportuno. O sistema centralizado atualizará automaticamente os registros do ativo; portanto, você deve procurar um provedor de sistema online;
  • Concluir, dentro do prazo, todas as tarefas diárias e muito mais, a fim de manter o plano de manutenção. Essa conclusão das tarefas no prazo minimizará o desperdício de recursos de reparo.

Esses objetivos são altamente úteis para os seus negócios, pois, seguindo-os, você pode reduzir os custos de substituição em larga escala  e até gerar altas receitas, aumentando a produtividade geral.

Aplicações do Gerenciamento da Manutenção na indústria

A seguir, apresentamos mais especificamente algumas indústrias nas quais o Gerenciamento da Manutenção desempenha um papel fundamental. São essas as indústrias (de):

Processamento de alimentos: inclui máquinas pesadas, equipamentos móveis e ferramentas portáteis que requerem reparo de equipamentos.

Fabricação de plásticos: As fábricas de plásticos usam uma ampla gama de equipamentos pesados ​​e leves, que precisam de reparos regulares.

Siderúrgica: Os trabalhos de manutenção em fábricas de aço atendem a todos os equipamentos, desde fornos até ferramentas portáteis.

Restaurantes: Existem muitos tipos de equipamentos usados ​​nas cozinhas comerciais que precisam ser mantidos em posição de trabalho para que possam fornecer o serviço adequado. Além disso, a manutenção regular do equipamento também ajuda os restaurantes a manter sua conformidade regulatória.

Construção: nessa indústria, são necessários equipamentos móveis pesados, ferramentas elétricas portáteis e equipamentos de segurança no campo do canteiro de obras; a manutenção desses equipamentos devem, portanto, garantir boas condições de trabalho para uma operação eficiente.

Fabricação de automóveis: Para fabricar e montar qualquer veículo, as peças necessárias devem ser equipamentos afinados. Portanto, para atender à demanda de produção, a melhor maneira é implementar um bom gerenciamento de manutenção de equipamentos para que os equipamentos sejam reparados e reparados regularmente.

Oficinas: as oficinas usam uma variedade de ferramentas para produzir vários itens, por exemplo, madeira, produtos de metal, vidro soprado, etc. Para uma produção de boa qualidade, suas ferramentas precisam ser mantidas em perfeitas condições, e isso pode ser facilmente alcançado através da manutenção gestão.

Agora podemos dizer para que serve a manutenção!

Então, para que serve a manutenção? Com esse post acredito que podemos atribuir-lhe várias utilidades. Desde economia – tanto de dinheiro, como de tempo – até segurança, já que prevê possíveis falhas e as pode evitar, inclusive as que podem gerar algum risco para o operador de máquina ou quem quer que esteja vulnerável a elas.

Sendo assim, apresentamos e detalhamos a manutenção e para que ela serve, assim como a Gestão da Manutenção, que é um desenvolvimento planejado daquela. Por fim, acreditamos que não restam dúvidas quanto aos benefícios de sua aplicação, os quais as tornam, na verdade, necessárias e imprescindíveis.

Conheça os cursos de manutenção da FM2S:

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *