Como analisar a venda automóveis no Brasil com o Lean Seis Sigma?

01 de maio de 2015
Última modificação: 01 de maio de 2015

Autor: Virgilio F. M. dos Santos
Categorias: Análise de dados, Melhoria de Processos

Como está a venda dos automóveis?

Venda automóveis: neste artigo vamos falar sobre a venda automóveis no Brasil. Muitos comentam sobre as férias coletivas da indústria automobilística, os descontos, as promoções, enfim, notícias que afirmam que esta indústria não está tão bem. Nos jornais e na TV é a mesma coisa, termina o mês e os jornalistas afirmam que a venda de veículos caiu x% ou subiu y% em relação ao mesmo período do ano passado. Em resumo, muita informação e pouco conhecimento. Fala-se muito, mas ninguém sabe a verdade da coisa.

Para isto, fomos ao site da ANFAVEA (Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores) e coletamos os dados sobre a produção de automóveis nacionais, exportações, licenciamento de importados e licenciamento de nacionais. A série histórica começa em 1957. Se quiser saber como era o volume de produção quando seu pai era criança, lá tem esta informação. Brincadeiras a parte, que tal pegarmos os últimos 20 anos para elaborarmos nosso gráfico de tendência?

v1

Figura 1: produção e licenciamento de veículos no Brasil.

Pelo gráfico é possível ver que tivemos anos de crescimento muito forte, com um pequeno degrau na crise de 2008 e um início de declínio a partir de 2013. Porém, podemos fazer algumas contas e explorarmos um pouco mais a temperatura do mercado. Podemos fazer isto focando apenas nos licenciamentos, pois é o equivalente as vendas, de 2008 para cá. Para isto, usaremos um gráfico de controle, que vai nos ajudar a entender os tipos de variação (causa comum ou causa especial).

v2

Figura 2: gráfico de controle de individuais do licenciamento de veículos nacionais.

Pela figura 2 dá para ver que agosto de 2012 bombou, mas final de 2008 (nov-dez) e começo de 2009 (jan-fev) a coisa não foi tão bem. Também é possível ver que o ano começou fraco, com fevereiro de 2015 mostrando dados bem ruins, quase uma causa especial. É um momento de calma e análise, para entender se as vendas irão continuar mais baixas ou se o que vemos é apenas uma variação natural do processo.

Sei que toda queda em vendas é preocupante, pois impacta faturamento e a margem de lucro, mas sempre devemos ter consciência que qualquer processo varia. Caso contrário, teremos transtorno maníaco depressivo, comemorando meses “bons” e entrando em depressão nos meses “ruins”, mesmo que estes sejam apenas variação normal do processo. Toda vez em que se ver em uma situação diferente da prevista, lembre-se do método criado pelos pilotos de caça para sobreviverem em um combate aéreo durante a guerra da Coréia: “OODA” – Observar, Orientar-se, Decidir e Agir. E como você consegue orientar-se? Gráfico de controle nele!

E como será que ficou a produção neste mesmo período (após transformação de variáveis)?

v3

Figura 3: gráfico de controle da produção de veículos.

Pela figura 3 é possível verificar que há um declínio mais pronunciado no volume de produção, dando a entender que as montadoras estavam com bastante estoque e optaram por reduzi-lo agora. Como será que está a relação entre licenciamento e produção? Será que há correlação? Vamos de regressão?

v4

Figura 4: regressão entre produção de veículos e licenciamentos.

Pela figura 4 dá para perceber que o modelo de regressão não é tão bom para explicar esta relação. Parece-me que a indústria opera com bastante estoque. Somente 35% da variabilidade na produção de veículos explica-se pela variabilidade nas vendas. Dado interessante. Para enxergar um pouco mais, poderíamos criar uma variável chamada de diferença, em que analisaríamos a diferença entre a produção e o número de veículos licenciados e exportados naquele mês. Se positivo, produzimos mais que vendemos e geramos estoque. Se negativo, vendemos mais que produzimos e consumimos o estoque. Vamos nesta?

v5

Figura 5: gráfico de tendência da diferença.

Na figura 5 é possível ver que nossa predição estava correta. Dezembro de 2014 foi um mês de redução de estoques. Deste modo, apesar do grande impacto nas férias coletivas e em algumas demissões, dezembro não foi um mês ruim de vendas. A principal causa para isto foi a redução nos estoques das montadoras, que preveem um ano de 2015 mais difícil do que 2014 e por isto, já começaram a se preparar. Tudo que fazemos no Green Belt e no Black Belt é aprender e praticar a análise de dados.

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.